Quinta-feira, 25th Abril 2019
6:01:10am
Preço da cesta básica sobe em todas as capitais pesquisadas em março

Preço da cesta básica sobe em todas as capitais pesquisadas em março

O custo do conjunto de alimentos essenciais subiu em todas as capitais em março de 2019, como mostra o resultado da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, feita mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em 18 cidades. As altas mais expressivas ocorreram em Brasília (11,09%), Florianópolis (7,28%), São Luís (7,26%) e Curitiba (7,20%).

A capital com a cesta mais cara foi São Paulo (R$ 509,11), seguida pelo Rio de Janeiro (R$ 496,33) e Porto Alegre (R$ 479,53). Os menores valores médios foram observados em Salvador (R$ 382,35) e Aracaju (R$ 385,62).

Em 12 meses, entre março de 2018 e o mesmo mês deste ano, todas as cidades acumularam alta, as mais expressivas em Goiânia (20,25%), Salvador (18,42%) e Brasília (17,39%). Nos primeiros três meses de 2019, todas as cidades mostraram alta acumulada, com destaque para Recife (17,85%), Vitória (17,84%) e Natal (16,87%). A menor alta foi registrada em Porto Alegre (3,19%).

Com base na cesta mais cara que, em março, foi a de São Paulo, e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família dele com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o Dieese estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário.

Em março de 2019, o valor necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 4.277,04, ou 4,29 vezes o mínimo de R$ 998. Em fevereiro de 2019, o piso necessário correspondeu a R$ 4.052,65, ou 4,06 vezes o mínimo vigente. Já em março de 2018, o valor necessário seria de R$ 3.706,44, ou 3,89 vezes o salário mínimo, que era R$ 954.

Preços dos produtos

Entre fevereiro e março de 2019, os preços dos produtos in natura ou semielaborados apresentaram tendência de alta: tomate, batata (pesquisada na Região Centro-Sul), feijão e banana. Já as cotações da carne bovina de primeira e do açúcar tiveram redução média de valor na maior parte das cidades.

O preço do quilo do tomate aumentou em todas as capitais de fevereiro para março. As taxas variaram entre 10,12%, em Campo Grande, e 54,33%, em Florianópolis. Em 12 meses, as altas acumuladas oscilaram entre 10,09%, em Porto Alegre, e 58,59%, no Recife. A redução da oferta devido ao fim da safra de verão explica a elevação expressiva dos preços no varejo.

A batata, pesquisada no Centro-Sul, ficou com o preço alto em todas as cidades. Os aumentos mais expressivos foram registrados em Brasília (79,11%), Porto Alegre (34,27%) e São Paulo (20,84%). Em 12 meses, as taxas acumuladas variaram entre 52,68%, em Goiânia, e 130,92%, em Belo Horizonte. A menor oferta de batata, com as chuvas e o fim da safra das águas, elevou o preço no varejo.

O preço médio do feijão subiu em 17 capitais em março de 2019. O tipo carioquinha, pesquisado nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, em Belo Horizonte e São Paulo, só não apresentou aumento em Campo Grande (-10,92%). Destacam-se as elevações em Brasília (102,13%), Belém (26,55%) e São Luís (17,55%). Já o feijão-preto, pesquisado nas capitais do Sul, em Vitória e no Rio de Janeiro, apresentou elevação de valor entre 6,94%, em Porto Alegre, e 19,84%, em Curitiba. Em 12 meses, o preço médio do grão carioquinha acumulou alta acima de 100%, em todas as capitais: as taxas variaram entre 112,84%, em Aracaju, e 191,44%, em Belém.

As variações acumuladas do tipo preto também foram positivas, mas em patamares menores: entre 37,93%, no Rio de Janeiro, e 69,27%, em Vitória. A redução da área plantada do feijão-carioca na chamada safra das águas e as chuvas intensas diminuíram tanto a disponibilidade quanto a qualidade do grão. No caso do tipo preto, o aumento médio de cotação se deu pela maior demanda, uma vez que o consumidor teve a opção de substituir o grão carioca pelo preto.

Já a dúzia da banana aumentou em 15 cidades e diminuiu em três. A pesquisa coleta os tipos prata e nanica e faz uma média ponderada dos preços. As altas mais expressivas foram registradas em Brasília (35,04%), Belo Horizonte (20,79%), Curitiba (18,98%) e Campo Grande (18,32%). Bananas prata e nanica apresentaram diminuição de oferta, em decorrência de problemas climáticos. No caso da nanica, também ocorreu antecipação de safra, devido ao calor. Os preços aumentaram no varejo na maior parte das cidades.

O preço do quilo da carne bovina de primeira diminuiu em 11 cidades e subiu em sete. Os recuos variaram entre -2,71%, em Brasília, e -0,22%, em Curitiba. A maior alta foi registrada em Vitória (1,39%). Em 12 meses, o produto teve alta em 17 cidades, entre 1,24%, em Belém, e 11,75%, em Goiânia. A única redução ocorreu em Florianópolis (-1,60%). A maior oferta de animais abatidos e o decréscimo no preço dos insumos aumentou o volume de carne comercializada e diminuiu o preço no varejo.

O quilo do açúcar diminuiu em dez cidades, ficou estável em Belo Horizonte e João Pessoa e aumentou em seis capitais. As quedas mais expressivas foram registradas em Florianópolis (-5,99%) e São Paulo (-5,96%). A maior alta ocorreu em Brasília (6,35%). Em 12 meses, o preço do açúcar subiu em 11 cidades, com variações entre 3,26%, em Fortaleza, e 30,87%, em Goiânia.

Fonte: A Tarde

Itens relacionados (por tag)

  • Petroleiros, aposentados e pensionistas fazem protesto em frente à sede da Petrobras em Salvador

    Petroleiros, aposentados e pensionistas da Petrobras fizeram um protesto na manhã desta quarta-feira (24), em Salvador. O ato ocorreu em frente à sede da empresa, localizada no bairro do Itaigara.

    O protesto ocorreu na via marginal da Avenida ACM, uma da principais da capital baiana, mas de acordo com a Transalvador, não atrapalhou o trânsito na região.

    De acordo com o Sindicato dos Petroleiros, a manifestação é uma forma de luta em defesa do Fundo de Pensão Petros e da Assistência Médica Suplementar (AMS). Além disso, o grupo que faz parte do protesto é contra a privatização da Petrobras e a saída da estatal da Bahia.

    Segundo o Sindipetro, na Bahia, são cerca de 25 mil aposentados e pensionistas petroleiros.

    Por meio de nota, a Petrobras esclareceu que não está de saída da Bahia. A companhia disse ainda que reconhece o direito legítimo de manifestação dos colaboradores e reitera que mantém diálogo permanente junto aos seus representantes.

    Fonte: G1/Bahia

  • Suspeita de atacar a golpes de faca dançarina da banda La Fúria fica em silêncio durante depoimento

    A mulher suspeita de atacar a golpes de faca a dançarina da banda de pagode La Fúria, Elizabeth Gonçalves, conhecida como "Negra Japa", em Salvador, na última terça-feira (16), ficou em silêncio durante o depoimento prestado à Polícia Civil. A vítima foi internada no Hospital Municipal de Salvador e passa bem.

    De acordo com o delegado Nilton Tormes, que investiga o caso, a suspeita de atacar Elizabeth esteve na delegacia na última semana, alguns dias após o crime.

    "Ela estranhamente permaneceu em silêncio. Exerceu o direito de só se manifestar em juízo", afirmou Tormes.

    Após o depoimento, a suspeita, que não teve a identidade revelada, foi liberada.

    Ainda segundo o delegado Nilton Tormes, apesar da vítima ter dito que o ataque foi motivado por ciúmes, a polícia não descarta nenhuma hipótese.

    "O local onde ocorreu o crime foi periciado, Já identificamos todas as pessoas envolvidas no processo, e as oitivas se darão no decorrer da semana", afirmou.

    Ciúmes

    No domingo (21), Elizabeth publicou no Instagram um vídeo em que relatou o momento em que foi atacada, e explicou que a suspeita disse ser esposa do homem que estava com ela no dia do crime.

    "A pessoa chegou golpeando, me deu uma facada nas costas, puxando meu cabelo, me xingando e dizendo que eu sabia que ele tinha namorada", contou

    A dançarina disse ter conhecido o rapaz em uma festa, e que ele afirmou ser solteiro.

    "Ele disse ser solteiro. Tenho print e conversas. Ele disse que tinha terminado um relacionamento recente de três meses, então eu achei que se ele era solteiro e eu era solteira, não vi nada demais a gente sair, beber e curtir juntos. Ele falava em todas as conversas que ele tinha terminado recentemente e não estava mais no relacionamento. Venho esclarecer isso para vocês. Não roubei namorado de ninguém. Não conhecia ele. Conheci ele nessa festa", contou Elizabeth no vídeo.

    Banda La Fúria

    A banda La Fúria ficou conhecida nacionalmente após o hit Fábio Assunção. Além de dançar na banda, Negra Japa também faz vocal de apoio no grupo. "Manuel", um dos sucessos do grupo, é cantado por ela junto com Bruno Magnata, vocalista do Lá Fúria.

    Por meio de nota, a assessoria da banda informou que a produção está prestando total assistência a Elizabeth e suporte à família dela até que ela se recupere.

    O grupo agradeceu as demonstrações de carinho prestadas pelo fãs, disse estar unido em função da recuperação de Elizabeth e não vai mais se pronunciar sobre o episódio.

    Fonte: G1/Bahia

  • Aplicativo de táxi é lançado em Salvador

    Um aplicativo voltado para solicitar taxistas foi lançado na manhã desta segunda-feira, 22, em Salvador, no Palácio Thomé de Souza, pelo prefeito ACM Neto. Os usuários já podem utilizar o serviço.

    Inicialmente 2 mil taxistas estão cadastrados no Táxi Mobi, a pretensão é ampliar o número para 7 mi. A grande novidade é que todas as viagens terão 20% de desconto independentemente do dia e do horário. O aplicativo está disponível para qualquer aparelho por meio de qualquer sistema operacional.

    O funcionamento do aplicativo será monitorado pela Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) objetivando regularizar as demandas dos taxistas. Ou seja, comunicar aos taxistas onde tem mais movimento, ou a demanda está sendo maior para redirecioná-los para esses locais. “Sem contar que é uma maneira da gente prezar pela segurança dos usuários, uma vez que estaremos com as fichas cadastrais dos motoristas”, afirmou o representante da Semob, Fábio Mota.

    Os técnicos da Semob vão poder acionar os taxistas e fazer o remanejamento de veículos, baseando-se na demanda de passageiros. Por exemplo, os taxistas que estejam sem serviço no momento, serão acionados e redirecionados para outra região da cidade que haja mais pedestres solicitando o serviço.

    O prefeito ACM Neto afirmou que existe também a pretensão do lançamento de um aplicativo específico para mototaxistas diante do crescente número de pessoas trabalhando nessa área. “Os mototaxistas passaram a atuar em nossa cidade a partir de uma decisão que tomamos. Por isso pretendemos implantar um aplicativo também para mototaxistas”, comentou.

    "Temos que nos adaptar as mudanças para sobreviver diante de novas realidades. O aplicativo serve para ajudar o motorista a se adaptar a esse novo mundo e a usufruir disso", conclui o prefeito.

    Fonte: A Tarde

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Ad2