Pequenos negócios foram os maiores empregadores em 2021

Pequenos negócios foram os maiores empregadores em 2021

Em outubro do ano passado, as micro e pequenas empresas (MPE) baianas tiveram um saldo líquido de 9.553 oportunidades, representando 76,7% dos postos de trabalho gerados no Estado. No acumulado do ano, esse quantitativo foi de 92.511, correspondendo a 77,9% das vagas geradas.

Os segmentos que mais geraram empregos foram serviços e comércio com, respectivamente, 41,7% e 27,4%. Nos dados disponibilizados desagregados por munícipio (mais atualizados), em setembro/2021, as MPE da capital baiana tiveram um saldo líquido de 2.681 oportunidades, representando 248%. No acumulado do ano, até setembro/2021, esse quantitativo foi de 16.669 postos de trabalho, correspondendo a 75% das vagas geradas.

De acordo com a gerente adjunta da Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae-Bahia Isabel Ribeiro, em novembro de 2021, a Bahia possuía 19.132.675 empreendimentos de micro e pequeno porte. Esses empreendimentos representam cerca de 98% das empresas no país, que respondem por cerca de 50% dos empregos com carteira assinada. Os micro empreendedores individuais (MEI) correspondem a quase 70% do universo das MPEs.

“Quase nunca esses empreendedores viram oportunidades, geralmente, essas iniciativas surgem por uma necessidade de ocupação e geração de renda para sustentar a sua família”, afirma.

Serviços e comércio


Ela explica ainda que o comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, obras de alvenaria, promoção de vendas e comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios (minimercados, mercearias e armazéns e fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para consumo domiciliar) concentram a maior quantidade de MEIs.

“Estamos falando de atividades que requerem baixos níveis de investimento, geralmente com nível de abrangência restrita à região onde estão instalados, exceto se adotarem outros canais de entrega (drivethru, entregas a domicílio, vendas on line) ou realizem comercializações/prestações de serviços nas vias públicas”, explica Isabel.


A representante do Sebrae salienta que, como se trata, em grande parte de empreendimentos iniciados com recursos próprios, com elevadas dificuldades em acessar o crédito, são liderados, geralmente, por pessoas de nível educacional mais baixo, com poucas qualificações técnicas ou gerenciais.

“As exceções ocorrem com profissionais liberais, que adquirem formações universitárias, a exemplo de veterinários, fisioterapeutas, jornalistas, educadores físicos, tecnologia da informação, contadores e outras profissões correlatas que, ou iniciaram suas carreiras por conta própria, ou foram desligados dos empregados com carteira de trabalho e passaram a prestar serviços, em geral para as mesmas empresas que foram desligados, na condição de prestadores de serviços”, esclarece.


Talento natural

O presidente da ABRH-BA Vitor Igdal salienta o talento natural do brasileiro para empreende e destaca a sétima posição ocupada pelo país no Global Entrepreneurship Monitor. “Se olharmos para Salvador e para a Bahia, percebemos que nos destacamos pelo talento da criatividade, que se somado com o empreendedorismo, resulta no fortalecimento do segmento da economia criativa”, diz.


O Superintendente do Instituto Euvaldo Lodi (IEL) Evandro Mazo reconhece que a realidade dos pequenos negócios é muito difícil em Salvador e na Bahia, com as restrições e adversidades da pandemia, falta de crédito, inflação em alta e demanda contida.

“No entanto, mesmo com todas essas dificuldades, tem havido um movimento de recuperação da atividade em 2021. No Estado, vê-se uma expressiva contribuição do setor industrial, que vem sendo puxada pela construção e também pelos setores de calçados e produtos alimentícios, compensando a perda ocorrida no ano com o encerramento da Ford”, defende.

Capacitação

Mazo salienta que a maioria dos empreendimentos é de micro e pequenas empresas. “No entanto, é bom destacar que as grandes empresas, apesar de em número reduzido, também geram emprego, além de gerar demanda para os pequenos negócios”, completa.

Isabel reconhece que apesar da importância socioeconômica desses empreendimentos, eles não apresentam potencialidades para o desenvolvimento de encadeamentos produtivos e incorporação de tecnologias mais modernas e robustas, capazes de contribuir para elevar a qualificação e produtividade da mão de obra, a produtividade e competividade da economia, o que deixa o país em uma situação pouco confortável nos indicadores de qualidade e produtividade quando comparada a outros países.

“Na verdade, estamos falando de um cenário de precarização nas relações trabalhistas com níveis de produtividade e competitividade que comprometem o nosso desenvolvimento econômico, produtivo e social”, complementa.
Para Igdal, os interessados em empreender precisam focar seus esforços na capacitação de habilidades como: empreendedorismo, gestão, marketing, liderança, inteligência emocional, vendas, comunicação, gestão de projetos e atendimento. “Só assim eles estarão na direção correta para realizar os seus objetivos pessoais”, acredita.


A Secretária de Desenvolvimento Econômico Mila Paes acredita que os interessados em vagas como essas podem ainda se preparar para participar dos processos seletivos, através de oficinas que ensinam desde a elaboração de um currículo até como se comportar em uma entrevista. “Há vagas disponíveis no SIMM, que são ofertadas através do Instagram: @semdecsimmsalvador e o agendamento do atendimento através do site: agendamentosemdec.salvador.ba.gov.br.”, finaliza.

Para garantir vagas:
1. Mantenha seu currículo atualizado;

2. Mantenha o seu processo de aprendizagem atualizado;

3. Reúna e apresente certificados de qualificações;

4. Reúna e apresenta Cartas de Recomendações;

5. Busque no seu bairro e nas redes sociais informações sobre qualificações, não apenas o Sistema S como outras ONGs – Organizações Não Governamentais tem ofertado uma ampla gama de capacitações. Participar de capacitações também uma forma de desenvolver redes de contatos e relacionamentos que podem gerar indicações e informar sobre oportunidades de emprego;

6. Acesse os sites de organismos públicos estaduais e municipais de intermediação de mão de obra;

7. Acesse sites e aplicativos particulares de intermediação de mão de obra;

8. Leia jornais e acesse outras mídias que informam sobre o mercado de trabalho.

Itens relacionados (por tag)

  • Confira o que abre e fecha no Natal e Réveillon

    Com a chegada das festas de fim de ano, estabelecimentos como shoppings, centros de compras e supermercados costumam anunciar horários de funcionamentos especiais. Confira como será o acesso a estes locais nos feriados de Natal e Ano Novo.

    SHOPPINGS

    Shopping Bela Vista
    De 17/12 a 20/12 (sexta, sábado, domingo e segunda): das 9h às 23h;
    De 21/12 a 23/12 (terça, quarta e quinta): das 9h à 0h;
    24/12 (sexta): das 9h às 18h;
    25/12 (sábado): lojas fechadas e alimentação, das 12h às 21h;
    26/12 a 30/12: funcionamento normal – domingo, das 12h às 21h, e de segunda a quinta, das 9h às 22h;
    31/12 (sexta): das 9h às 18h;
    01/01/2022 (sábado): lojas fechadas e alimentação, das 12h às 21h.
    Cinépolis: consulte programação no site www.cinepolis.com.br
    SAC: consulte o horário no site www.sac.ba.gov.br
    Alpha Fitness: consulte o horário no site www.redealphafitness.com.br
    Centro Médico Bela Vista: consulte o horário no site www.centromedicobelavista.com.br

    Salvador Shopping:
    17 a 21 de dezembro: 9h às 23h;
    22 e 23 de dezembro: 9h às 00h
    24 de dezembro: 9h às 18h;
    25 de dezembro (Natal): lazer: 12h às 21h; Praça de Alimentação, Boulevard dos Restaurantes e Espaço Gourmet com abertura opcional: 12h às 21h; Bompreço, demais lojas e quiosques: fechados;
    26 de dezembro: 12h às 21h;
    27 a 30 de dezembro: 9h às 22h;
    31 de dezembro (Réveillon): 9h às 18h;
    1° de janeiro de 2022: lazer: 12h às 21h; Praça de Alimentação, Boulevard dos Restaurantes e Espaço Gourmet com abertura opcional: 12h às 21h; Bompreço, demais lojas e quiosques: fechados;

    Salvador Norte Shopping:
    18 a 23 de dezembro: 9h às 23h;
    24 de dezembro: 9h às 18h;
    25 de dezembro (Natal): lazer: 12h às 21h; Praça de Alimentação com abertura opcional: 12h às 21h; demais lojas e quiosques: fechados;
    26 de dezembro: 12h às 21h;
    27 a 30 de dezembro: 9h às 22h;
    31 de dezembro (Réveillon): 9h às 18h;
    1° de janeiro: lazer: 12h às 21h; Praça de Alimentação: abertura opcional: 12h às 21h; demais lojas e quiosques: fechados.

    Shopping da Bahia:
    Dias 17 a 20/12 (sexta a segunda) - 9h às 23h
    Dias 21 e 22/12 (terça e quarta) - 9h às 24h
    Dias 23 e 24/12 (quinta e sexta) - PLANTÃO 32H - Das 9h do dia 23/12 às 18h do dia 24/12.
    Dia 25/12 (sábado) - Lojas fechadas / Lazer e alimentação - 12h às 21h

    Shopping Paralela
    22/12 (quarta) – Lojas, praça de alimentação e atrações de lazer abrem das 9h às 23h.
    23/12 (quinta) – Lojas, praça de alimentação e atrações de lazer abrem das 9h às 00h.
    24/12 (sexta) - Lojas, praça de alimentação e atrações de lazer abrem das 08h às 18h.
    25/12 (sábado) – Lojas fechadas. Praça de alimentação e atrações de lazer funcionam das 12h às 21h (facultativo).
    26/12 (domingo) - Lojas, praça de alimentação e atrações de lazer abrem das 12h às 21h.
    27 a 30/12 (segunda a quinta) - Lojas, praça de alimentação e atrações de lazer abrem das 09h às 22h.
    31/12 (sexta) – Lojas, praça de alimentação e atrações de lazer funcionam das 09h às 17h.
    01/01 (sábado) - Lojas fechadas. Praça de alimentação e atrações de lazer funcionam das 12h às 21h (facultativo).

    Center Lapa
    23/12: Lojas, quiosques e praça de alimentação abrem das 8h às 21h.
    24/12: Lojas, quiosques e praça de alimentação abrem das 8h às 18h
    25/12: Não funciona
    26/12: Cinema e a praça de alimentação funcionarão das 11h às 19h e as Lojas Americanas, Riachuelo e C&A, das 11h às 17h. As demais operações estarão fechadas.
    De 27 a 30/12: Funciona das 9h às 21h
    31/12: Lojas, quiosques e praça de alimentação estarão abertas das 9h às 18h. O cinema não funcionará.
    01/01: Não haverá funcionamento.

    Shopping Piedade
    - Segunda-feira (20) a quinta-feira (23): Lojas, quiosques e praça de alimentação, de 8h às 22h.
    - Sexta-feira (24): Lojas, quiosques e praça de alimentação, de 8h às 18h.
    - Sábado e domingo (25 e 26): Fechado
    -Segunda-feira a quinta-feira (27 a 30.12): Lojas, quiosques e praça de alimentação, 09h às 21h
    -Sexta-feira (31.12): Lojas, quiosques e praça de alimentação, 09h às 18h
    -Sábado (01.01): Fechado
    -Domingo (02.01): Fechado
    -Segunda (03.01): Lojas, quiosques e praça de alimentação, 09h às 21h

    Shopping Itaigara:
    Dia 19/12 (domingo), lojas e quiosques das 12h às 18h e praça de alimentação das 11h às 18h, com estacionamento gratuito.
    Dia 24 (véspera de Natal), das 9h às 17h.
    Dia 31 (véspera de réveillon), das 9h às 15h.
    Nos demais dias, o horário permanece o mesmo, de segunda a sexta das 9h às 21h e no sábado, das 9h às 20h.

    Shopping Paeo
    Funcionamento dos dias 24 e 31 de dezembro:
    . Lojas e quiosques: 09h às 17h
    . Restaurantes: funcionamento a partir das 12h
    Funcionamento dos dias 25 de dezembro e 01 de janeiro:
    . Lojas e quiosques: Fechados
    . Restaurantes: Funcionamento opcional a partir das 12h

    Shopping Barra
    Confira os horários:
    • 17 a 21/12 (sexta, sábado, domingo, segunda e terça) - Lojas e praça de alimentação, das 9h às 23h; Barra Gourmet, Madero, Mamma Jamma e Tortarelli, a partir das 12h.

    • 22 e 23/12 (quarta e quinta)- Lojas e praça de alimentação, das 9h às 0h; Barra Gourmet, Madero, Mamma Jamma e Tortarelli, a partir das 12h.

    • 24/12 (sexta) - Véspera de Natal - Lojas e praça de alimentação, das 9h às 18h; Barra Gourmet, Madero, Mamma Jamma e Tortarelli, a partir das 12h.

    • 25/12 (sábado) - Lojas fechadas; praça de alimentação, Barra Gourmet, Madero, Mamma Jamma e Tortarelli terão o funcionamento facultativo.

    • 31/12 (sexta) - Lojas e praça de alimentação, das 9h às 18h; Barra Gourmet, Madero, Mamma Jamma e Tortarelli, a partir das 12h.

    • 1 de janeiro (sexta) -Lojas fechadas; praça de alimentação, Barra Gourmet, Madero, Mamma Jamma e Tortarelli terão o funcionamento facultativo.

    Nas datas não mencionadas (de 26 a 30/12), o horário de funcionamento será normal, de 9h às 22h.

    Boulevard Camaçari
    Lojas:
    - Terça (21): das 9h às 22h.
    - Quarta (22) e quinta (23): das 9h às 23h.
    - Sexta (24, véspera de Natal): das 8h às 18h.
    - Sábado (25, Natal): fechadas.
    - Domingo (26): âncoras (C&A, Renner, Riachuelo, Le Biscuit e Americanas), das 13h às 21h; as demais abrem das 14h às 21h.
    - Sexta (31, véspera de Ano Novo): das 9h às 18h.
    - Sábado (1º, Ano Novo): fechadas.
    - Domingo (2): âncoras (C&A, Renner, Riachuelo, Le Biscuit e Americanas), das 13h às 21h; as demais abrem das 14h às 21h.

    Praça de alimentação e lazer:
    - Terça (21): das 11h às 22h.
    - Quarta (22) e quinta (23): das 11h às 23h.
    - Sexta (24, véspera de Natal): das 11h às 18h.
    - Sábado (25, Natal): das 12h às 20h.
    - Domingo (26): das 12h às 21h.
    - Sexta (31, véspera de Ano Novo): das 11h às 18h.
    - Sábado (1º, Ano Novo): das 12h às 20h.
    - Domingo (2): das 12h às 21h.

    Academia:
    - Terça (21), quarta (22) e quinta (23): das 6h às 23h.
    - Sexta (24, véspera de Natal): das 6h às 12h.
    - Sábado (25, Natal): fechada.
    - Domingo (26): das 8h às 14h.
    - Sexta (31, véspera de Ano Novo): das 6h às 12h.
    - Sábado (1º, Ano Novo): fechada.
    - Domingo (2): das 8h às 14h.

    Cinema:
    Conforme a programação (confira aqui).

    SAC:
    - Sexta (24, véspera de Natal): fechado.
    - Sábado (25, Natal): fechado.
    - Domingo (26): fechado.
    - Sexta (31, véspera de Ano Novo): fechado.
    - Sábado (1º, Ano Novo): Fechado.
    - Domingo (2): Fechado.

    Cartórios do 1º e 2º ofício de notas de Camaçari:
    - Sexta (24, véspera de Natal): fechados.
    - Sábado (25, Natal): fechados.
    - Domingo (26): Fechados.
    - Quinta (30) e sexta (31, véspera de Ano Novo): fechados
    - Sábado (1º, Ano Novo): fechados.
    - Domingo (2): Fechados.

    SUPERMERCADOS E OUTROS CENTROS DE COMPRAS

    GBARBOSA
    23/12
    Iguatemi e Lauro de Freitas – das 7h às 23h
    Costa Azul – das 7h às 00h
    San Martin. Pau da Lima e Guarajuba – das 7h às 22h
    Brotas e Cabula – das 7h às 21h
    Horto Bela Vista - horário de funcionamento do centro de compras

    24/12
    Iguatemi, Costa Azul, San Martin, Lauro de Freitas e Pau da Lima - das 7h às 18h
    Brotas, Cabula e Guarajuba – das 6h30 às 18h
    Horto Bela Vista - horário de funcionamento do centro de compras

    25/12
    Iguatemi, Costa Azul, San Martin, Lauro de Freitas, Pau da Lima, Cabula, Brotas e Horto Bela Vista – Fechadas
    Guarajuba – das 8h às 17h

    29/12
    Iguatemi e Lauro de Freitas – das 7h às 22h
    Costa Azul – das 7h às 23h
    Brotas, San Martin, Pau da Lima, Cabula e Guarajuba – das 7h às 21h
    Horto Bela Vista - horário de funcionamento do centro de compras

    30/12
    Iguatemi e Lauro de Freitas – das 7h às 23h
    Costa Azul – das 7h às 00h
    San Martin e Guarajuba – das 7h às 22h
    Brotas, Pau da Lima e Cabula – das 7h às 21h
    Horto Bela Vista - horário de funcionamento do centro de compras

    31/12
    Iguatemi, Costa Azul, San Martin, Lauro de Freitas, Pau da Lima e Cabula - das 7h às 18h
    Brotas – das 6h30 às 18h
    Guarajuba – das 6h às 18h
    Horto Bela Vista - horário de funcionamento do centro de compras

    01/01
    Iguatemi, Costa Azul, San Martin, Lauro de Freitas, Pau da Lima, Cabula, Brotas e Horto Bela Vista – Fechadas
    Guarajuba – das 10h às 18h

    Perini
    Pituba, Vasco da Gama e Graça
    23/12 - das 6h30 às 21h
    24/12 - das 6h30 às 18h
    25/12 - Fechadas
    30/12 - das 6h30 às 21h
    31/12 – das 6h30 às 18h
    01/01 - Fechadas

    Café Costa Azul
    23/12 – das 7h às 22h
    24/12 – das 7h às 18h
    25/12 – Fechada
    30/12 – das 7h às 22h
    31/12 – das 7h às 18h
    01/12 - Fechada

    Guarajuba
    23/12 – das 7h30 às 20h
    24/12 – das 6h às 18h
    25/12 – Fechada
    30/12 – das 7hàs 20h
    31/12 – das 7h30 às 18h
    01/12 - Fechada

    Nos Shoppings Barra, da Bahia, Paralela e Salvador, as lojas seguirão horário dos respectivos centros de compras.

    Mercantil Rodrigues
    Calçada, Ogunjá e Pirajá
    23/12 – das 7h às 22h
    24/12 – das 7h às 18h
    25/12 – Fechadas
    31/12 – das 7h às 18h
    01/01 - Fechadas

    Lauro de Freitas
    23/12 – das 7h às 22h
    24/12 – das 7h às 18h
    25/12 – Fechada
    31/12 – das 7h às 18h
    01/01 - Fechada

    Ferreira Costa
    Na véspera de Natal (24), a loja vai abrir das 8h às 17h. No Natal (25), estará fechada. Na terça-feira (31), o home center funciona apenas das 8h às 14h e no dia 1º de janeiro, estará fechada. *No domingo (02/01), a loja reabre das 8h30 às 17h*. Mais informações no Instagram e no site https://www.ferreiracosta.com.

    TRAVESSIAS

    Travessia Salvador-Mar Grande:
    De Salvador – para Mar Grande – 6h30, 7h, 7h30, 8h, 8h30, 9h, 9h30, 10h, 10h30, 11h, 11h30, 12h, 12h30, 13h, 13h30, 14h, 14h30, 15h, 15h30, 16h, 16h30, 17h, 17h30, 18h, 18h30, 19h e 19h30.

    De Mar Grande para Salvador – _5h, 5h30, 6h, 6h30, 7h, 7h30, 8h, 8h30, 9h, 9h30, 10h, 10h30, 11h, 11h30, 12h, 12h30, 13h, 13h30, 14h, 14h30, 15h, 15h30, 16h, 16h30, 17h, 17h30 e 18h.

    Travessia Salvador-Morro de São Paulo
    Os horários para Morro de São Paulo saindo do Terminal Náutico, em Salvador, são os seguintes: às 8h30, 9h, 10h30, 13h e 14h30. Já as saídas de Morro de São Paulo acontecem às 9h, 11h30, 13h, 14h30 e 15h. A passagem custa R$ 113 e a viagem dura em média 2 horas e 20 minutos.

    ESPAÇOS CULTURAIS

    Confira o funcionamento de espaços culturais e vilas natalinas no feriado:
    Os equipamentos geridos pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), tais como a Casa do Carnaval (Pelourinho), Cidade da Música (Comércio), Casa de Jorge Amado e Zélia Gattai (Rio Vermelho), além dos Espaços Pierre de Verger da Fotografia Baiana e Carybé de Artes (ambos na Barra) não abrirão na sexta-feira (24) e sábado (25). Todos esses locais voltam a receber público apenas no domingo (26), com funcionamento das 10h às 18h – o último horário de acesso a esses museus, no entanto, deve acontecer até as 17h. Os ingressos custam R$20 inteira e R$10 meia.

    Estarão em recesso até o dia 3 de janeiro a Casa do Benin (Pelourinho), o Teatro Gregório de Mattos (TGM) e Espaço Cultural da Barroquinha (ambos no Centro), além dos quatro espaços Boca de Brasa situados em Cajazeiras, Centro, CEU de Valéria e Subúrbio 360.

    Vilas natalinas:
    A decoração especial montada pela Prefeitura na Praça da Revolução, em Periperi, funcionará na sexta-feira (24), de 18h até 21h; e no sábado (24) e domingo (25), de 18h às 22h.

    Na Praça do Campo Grande, a vila natalina funcionará na sexta (24) com três sessões: 18h, 19h e 20h. No sábado (25), o público poderá prestigiar os atrativos do local nos horários de 18h, 19h, 20h, 21h e 22h. Por fim, no domingo (26), a visitação estará aberta às 18h, 19h, 20h e 21h. Para ter acesso ao local é necessário efetuar agendamento no site www. natal. salvador. ba. gov. br.

    Bibliotecas
    As bibliotecas geridas pela Fundação Gregório de Mattos (FGM), sendo elas a Edgard Santos (Ribeira), Denise Tavares (Curuzu) e Nair Goulart (CEU de Valéria), estarão fechadas nesta sexta (24), retornando às atividades na segunda-feira (27).

    FEIRAS E MERCADOS MUNICIPAIS

    Dia 24 (sexta-feira): Mercado Popular (6h às 14h); Mercado do Bonfim (8h às 14h); Nacs de Itapuã (7h às 17h); Mercado das Flores: 8h às 14h); Mercado Dois de Julho (8h às 14h); Mercado de Itapuã (8h às 18h); Nacs de Periperi (7h às 17h); Mercado de Cajazeiras (8h às 14h); Mercado São Miguel (8h às 14h); Mercado Modelo (8h às 15h); Mercado da Liberdade (8h às 15h); Mercado Jardim Cruzeiro (8h às 17h); Mercado Municipal São Cristóvão (8h às 16h); e Mercado de Fazenda Coutos (8h às 17h).

    Dia 25 (sábado): Mercado Popular (6h às 12h); Mercado do Bonfim (Fechado); Nacs de Itapuã (7h às 12h); Mercado das Flores: (Fechado); Mercado Dois de Julho (Fechado); Mercado de Itapuã (Fechado); Nacs de Periperi (7h às 14h); Mercado de Cajazeiras (Fechado); Mercado São Miguel (Fechado); Mercado Modelo (Fechado); Mercado da Liberdade (Fechado); Mercado de Jardim Cruzeiro (8h às 14h); Mercado Municipal São Cristóvão (Fechado); Mercado de Fazenda Coutos (Fechado).

    Dia 31 (sexta-feira): Mercado Popular (6h às 12h); Mercado do Bonfim (8h às 14h); Nacs de Itapuã (7h às 14h); Mercado das Flores: (8h às 14h); Mercado Dois de Julho (8h às 14h); Mercado de Itapuã (8h às 15h); Nacs de Periperi (7h às 17h); Mercado de Cajazeiras (8h às 14h); Mercado São Miguel (8h às 14h); Mercado Modelo (8h às 15h); Mercado da Liberdade (8h às 15h); Mercado Jardim Cruzeiro (8h às 17h); Mercado Municipal de São Cristóvão (8h às 16h); Mercado de Fazenda Coutos (8h às 17h).

    OUTROS SERVIÇOS

    Lotéricas:
    - Sexta (24, véspera de Natal): das 9h às 18h.
    - Sábado (25, Natal): fechada.
    - Domingo (26): fechada.
    - Segunda a quinta-feira (27 a 30/12) das 9h às 19h (horário estendido)
    - Sexta (31, véspera de Ano Novo): das 9h às 18h.
    - Sábado (1º, Ano Novo): fechada.
    - Domingo (2): fechada.

  • Tomate fica até 133% mais caro e chega a custar R$ 8,98 o quilo em Salvador

    O preço do tomate salgou o tempero dos baianos. O produto aumentou de 50% a 133% entre 1 de outubro e 29 de novembro deste ano, segundo o Centro de Abastecimento da Bahia (Ceasa), da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia (SDE). O que mais encareceu foi o tomate de segunda, de menor qualidade, cuja caixa de 20 a 22 quilos, saltou de R$ 30 para R$ 70 (+133,3%).

    Nos mercados de Salvador, o preço do tomate chegou a R$ 8,98 o quilo, na rede Hiper Ideal. Em um mercado na Baixa de Quintas, o produto ainda é encontrado por R$ 5,20/kg. Para driblar o aumento, os baianos passaram a consumir menos a fruta. Macarronada ao sugo e à bolonhesa terá molhos menos vermelhos, já que o ingrediente está mais raro nas receitas.

    A assistente administrativa Sarah Fonseca, 19, consumia de 1,5 kg a 2 kg de tomate por semana. Agora, compra essa mesma quantidade a cada 30 dias. Ou seja, seu consumo reduziu mais de 75%. “Só sei cozinhar com tomate, cebola e pimentão. É a base da minha comida. Então, continuo comendo todo dia, mas reduzi a quantidade”, conta Sarah.

    Em um almoço com uma amiga, ela modificou uma receita para não gastar tanto. “A gente foi fazer macarrão à bolonhesa. Eram muitos tomates para fazer o molho, não me recordo quantos, mas a gente só usou dois, porque não dá para cozinhar sem tomate”, explicou a assistente administrativa.

    O aumento de preço do tomate rasteiro, que foi de 50% no último mês, tem diminuído a margem de lucro dos restaurantes italianos de Salvador. É o caso do restaurante Bottino, no Rio Vermelho. Em outubro, a cantina pagava R$ 2,60/kg. Agora, o mesmo produto passou a custar R$ 4 - uma alta de 53,8%. “Toda vez que existe aumento de alguma matéria-prima, principalmente, que a gente usa em abundância, a gente perde margem”, reconhece Claudio Bottino, dono do restaurante. Ele pontua que não repassou o preço para os clientes nem fez alterações no cardápio.

    Aumento geral

    Não foi só em Salvador que o preço do tomate disparou. Várias outras capitais tiveram alta, de acordo com o último levantamento do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (Ipca), de outubro. Em Belo Horizonte (MG), o aumento foi de 36%; em Vitória (ES), 48%; e na cidade de Goiânia (GO), 33%. “A média de preços foi muito elevada em praticamente todas as regiões do Brasil, não foi algo específico de Salvador”, afirma Guilherme Dietze, economista da Federação do Comércio do Estado da Bahia (Fecomércio-BA).

    Segundo ele, houve uma redução da produção do tomate, o que fez encarecer os preços. “Tivemos uma estiagem muito grande e, logo na sequência, uma geada. Isso complicou a safra e o plantio de alguns produtos como o tomate. Daí vem uma produção bem mais baixa, que acarreta um preço mais elevado”, esclarece o economista.

    Contudo, ele acredita que a situação deva se normalizar no próximo mês. “Voltamos a ter período chuvoso e isso, de certa forma, melhora a produção. Pode ser um indicativo de que o aumento foi pontual e não uma inflação geral”, estima Dietze.

    Conab

    A Companhia Nacional de Abastecimento, empresa vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), explicou, por meio de nota, que, em outubro, houve pouca disponibilidade do produto no mercado, por conta de vários fatores, e isso afetou o preço do tomate em novembro.

    “As geadas de julho provocaram perdas na lavoura e necessidade de replantio, postergando a disponibilidade do produto no mercado. Além disso, as temperaturas um pouco mais amenas seguraram o amadurecimento do fruto, reduzindo ainda mais sua oferta. As chuvas também contribuíram com o cenário, na medida em que dificultam o andamento da colheita”, esclarece a Conab.

    A companhia ainda afirmou que o nível de oferta atual deriva da diminuição da área plantada na safra de inverno e que os dados oficiais do Ceasa/BA ainda não foram repassados para o governo federal.

    A Federação da Agricultura e Pecuária da Bahia (Faeb) confirma que houve redução da área plantada. "O aumento do valor do tomate é devido à redução de área plantada, reflexo dos aumentos dos custos de produção, como alta dos insumos. Além disso, esse período é de safra em Pernambuco e Paraíba, mas é um período de plantio do hortifruti aqui na Bahia", pontua a Federação.

    O coordenador de Estudos e Projetos Agrícolas da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri), Marcelo Libório, acrescenta ainda que o ciclo da cultura do tomate é curto e isso influencia diretamente no preço. "Se a lavoura for bem conduzida, com cerca de seis a sete meses ela se esgota.

    Essa característica de ser uma cultura rápida faz com que o produtor se planeje em função do preço. Quando ele percebe que o mercado está demandando o fruto ele planta, ele deixa de plantar ou reduz a área", explica Libório.

    Na Bahia, a região que se produz tomate é, principalmente, a Chapada Diamantina, nos municípios de Mucugê e Ibicoara. "Nessa região, se encontram os grandes produtores. Já no entorno desses municípios, estão os pequenos e médios produtores", informa Marcelo Libório.

    Como economizar

    Uma forma de se esquivar dos altos preços é fazer como Sarah Fonseca, lá do começo da reportagem: comprar menos. Ao menos, a estratégia deve ser adotada até que o preço dê uma aliviada, orienta a presidente do Movimento de Donas de Casa e Consumidores da Bahia (MDCCB), Selma Magnavita.

    “O consumidor pode deixar de usar até que baixe o preço, porque é a demanda que faz o preço. Se você não consome, o tomate vai ficar na prateleira. E vão ter que desovar baixando o preço ou jogando fora”, aconselha Selma.

    Ela pontua que os aumentos de preço estão cada vez maiores. “Tudo que está aumentando de preço, está aumentando desastrosamente. Não são mais 20, 50 centavos. Agora são R$ 3 ou mais. O consumidor precisa observar isso para driblar a carestia, substituindo, trocando de marca, ou não comprando. Se tiver a necessidade absoluta de comprar aquele produto, compre menos. Porque se não fizer isso, vai sempre abalar o bolso”, recomenda.

    Selma Magnavita ainda diz que é mais vantajoso, em vez de comprar a fruta, optar pelos molhos de tomate já prontos. Além disso, vale até mesmo substituí-lo por alimentos de coloração semelhante, como cenoura, abóbora, caqui, melancia e goiaba, e abusar de temperos como páprica e cúrcuma. “É preciso deixar de ser radical no uso do tomate nas receitas, trazendo a criatividade”, conclui.

    Restaurantes italianos sofrem com escassez de tomate pelati

    Os restaurantes italianos de Salvador que trabalham com o tomate pelati - do tipo enlatado, sem casca - relatam a escassez do produto. Importado, o produto chega à capital de navio, transportado direto da Itália pelo Atlântico. “Além do aumento do preço, a falta do tomate, principalmente enlatado, tem atrapalhado bastante. O preço está só aumentando. Em outubro, a gente pagava R$ 24 por uma caixa de 2kg. Agora, estamos fazendo cotação e está R$ 33”, conta a supervisora de compras do restaurante Di Liana, Tábata Polecco.

    Em breve, Tábata diz que será preciso fazer um reajuste no preço dos pratos. “A gente não consegue achar com nenhum fornecedor e estamos tentando achar onde tem, comprando pelo preço de mercado, tentando negociar. Mas o valor está muito alto. Por enquanto, não estamos tendo prejuízo, porque essa falta tem só 15 dias. Mas vamos reajustar o cardápio”, afirma a supervisora de compras, que não sabe ainda de quanto será o reajuste.

    Já no restaurante Bela Napoli, no Caminho das Árvores, foi feito um estoque de tomate pelati, quando se soube que o setor ia ter problemas com o abastecimento. “Quando vi que estava tendo isso, pela experiência, a gente já saiu buscando no mercado. Comprei antes da alta da procura e fiz estoque até dezembro, porque a gente não pode deixar que isso afete o preço ou repassar para os clientes”, esclarece Gian Angelino, dono do Bela Napoli. O preço normal que ele pagava em uma caixa de 20 kg de tomate pelati era R$ 45 a 50. No final de outubro, ela chegou a custar R$ 140. Agora, está em torno de R$ 100.

    Para as baianas de acarajé, a situação também está difícil. Se o tomate continuar a subir de preço, o vinagrete da baiana vai sumir, segundo a presidente da Associação Nacional das Baianas de Acarajé (Abam), Rita Santos.

    “Não temos como repassar os preços dos insumos para os clientes, porque os clientes também estão sem dinheiro”, explica Rita. “O que vai acontecer é não colocar a salada, se continuar no preço que está”, alerta. Ela comprava, há um mês, o quilo de tomate por R$ 2,95. Hoje, a mesma quantidade está por R$ 5,99 - um aumento de 103%.

    Preço do tomate:
    G Barbosa: R$ 7,95
    Big Bompreço: R$ 8,19/kg
    Hiper Ideal: R$ 8,98/kg
    Rede mix (Pituba): R$ 5,98/kg
    Mercado Acupe de Brotas: R$ 5,89/kg
    Mercado Super Barato (Baixa de Quintas): R$ 5,20/kg

    Aumento do tomate de outubro para novembro*:
    Tomate Extra - R$70 para R$120 (+71,4%)
    Tomate Primeira - R$60 para R$90 (+50%)
    Tomate rasteiro - R$60 para R$110 (+83,3%)
    Tomate segunda - R$30 para R$70 (+133,3%)
    *Caixa de 20 a 22kg

    Fonte: Ceasa/SDE

  • Veja o calendário do ciclo de pagamentos do Auxílio Brasil em dezembro

    A Caixa, responsável pelo pagamento das parcelas do programa Auxílio Brasil, já disponibilizou o calendário de pagamentos para o mês de dezembro. De acordo com a instituição, famílias que já recebiam o Bolsa Família e estão com os dados atualizados no Cadastro Único do governo federal (CadÚnico) não precisam fazer nenhum novo cadastro para receber os valores.

    O beneficiário poderá consultar informações sobre as datas de pagamento, o valor do benefício e a composição das parcelas em dois aplicativos: Auxílio Brasil, desenvolvido para o programa social, e o aplicativo Caixa Tem, usado para acompanhar as contas poupança digitais do banco.

    O calendário de recebimento segue o padrão do antigo Bolsa Família, e usa o último dígito do NIS para definir a data do crédito.

    Confira abaixo a tabela atualizada:

    NIS final 1 -  10 de dezembro
    NIS final 2  - 13 de dezembro
    NIS final 3  - 14 de dezembro
    NIS final 4  - 15 de dezembro
    NIS final 5  - 16 de dezembro
    NIS final 6  - 17 de dezembro
    NIS final 7  - 20 de dezembro
    NIS final 8  - 21 de dezembro
    NIS final 9  - 22 de dezembro
    NIS final 0  - 23 de dezembro

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.