Terça-feira, 4 de Agosto 2020
7:58:04pm
O Jornal da Cidade

O Jornal da Cidade

A Bahia registrou, nas últimas 24 horas, 3.998 novos casos da Covid-19 e 54 novas mortes por causa da doença, segundo boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), no final da tarde desta terça-feira (4).

Com isso, o número de casos da doença confirmados no estado sobe para 175.389 e o de mortes para 3.678. De acordo com a Sesab, a taxa de crescimento no número de casos, nas últimas 24 horas, foi de 2,3% e 1,5% no de mortes.

São considerados recuperadas 159.247 pessoas, e 12.464 estão com o vírus ativo, podendo transmitir para outros.

O primeiro caso do novo coronavírus na Bahia foi confirmado no dia 6 de março. Foi uma mulher de 34 anos, moradora de Feira de Santana, cidade a cerca de 100 Km de Salvador, que voltou da Itália em 25 de fevereiro. No país europeu, ela teve passagens por Milão e Roma.

A primeira morte de uma pessoa infectada pelo vírus no estado ocorreu em março, quando a Bahia tinha 147 casos confirmados. O paciente era um homem de 74 anos, que estava internado em um hospital particular de Salvador. Ele estava entubado e em diálise contínua.

Os casos confirmados ocorreram em 409 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (33,81%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Almadina (3.879,94), Dário Meira (3.744,16), Gandu (3.623,12), Itajuípe (3.518,62) e Ipiaú (3.245,92).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 346.430 casos descartados e 82.127 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta terça.

Na Bahia, 15.752 profissionais da saúde tiveram diagnóstico positivo para Covid-19, a maioria técnicos ou auxiliares de enfermagem.

O boletim completo está disponível no site da Secretaria de Saúde e também em uma plataforma disponibilizada pela Sesab.

Uma explosão aconteceu na região portuária de Beirute, no Líbano, nesta terça-feira (4). Imagens mostram uma grande coluna de fumaça avermelhada sobre a área.

O governo libanês contabiliza ao menos 50 mortos após a explosão. Em entrevista a uma rede de televisão, o ministro da Saúde do Líbano, Hamad Hasan, disse que há cerca de 2,7 mil feridos.

O primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, disse em um pronunciamento que o país enfrenta uma catástrofe e declarou luto oficial de um dia. Ele disse também que o governo irá investigar os responsáveis pelo armazém que funcionava no porto da capital desde 2014.

Ainda não é possível saber com exatidão a quantidade de feridos ou qual seria a causa da explosão. Apesar de o país já ter sido alvo de terroristas e viver período de instabilidade política, não há evidência ainda de que se trate de um atentado terrorista.

A explosão no porto causou destruição em larga escala e quebrou o vidro de janelas a quilômetros de distância. Alguns barcos que navegavam próximos à costa do Líbano chegaram a ser balançados pela força da explosão. As explosões chegaram a ser ouvidas em Larnaca, no Chipre, a pouco mais de 200 km da costa libanesa.

O chefe de segurança interna do Líbano, Abbas Ibrahim, disse em entrevista a uma rede de televisão que a explosão aconteceu em uma área que armazena materiais altamente explosivos, como o nitrato de amônio, mas que não são explosivos em si.

Uma embarcação da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL) foi danificada após a explosão no porto. Em um comunicado, os capacetes azuis informaram que alguns membros da missão de paz se feriram e foram transferidos para hospitais do país.

Segundo a Cruz Vermelha, barcos foram mobilizados para resgatar pessoas que foram jogadas ao mar após a explosão. Também segundo a organização humanitária, ainda há gente presa nos escombros e dentro de suas casas.

A emissora libanesa LBCI informou que o hospital Hôtel-Dieu de France, no centro da capital libanesa, atende a mais de 500 feridos. O governo da capital pede que os feridos sejam levados para atendimento em centros de saúde de fora da cidade.

Há operações para retirar as pessoas da região, de acordo com agência oficial, a NNA.
Um fotógrafo da agência norte-americana Associated Press, que trabalha perto do porto de Beirute, contou ver pessoas feridas no chão e uma destruição generalizada no local.

Veredito de julgamento
O Líbano vive um período de instabilidade política. No fim do ano passado, o primeiro-ministro Saad Al-Hariri renunciou. O país viveu um período com um vácuo de poder, até que Hassan Diab assumiu e anunciou a formação de um novo governo em janeiro.

Nesta sexta-feira (7), um tribunal apoiado pela ONU deve divulgar seu veredito no julgamento contra quatro homens acusados de terem participado do assassinato do ex-primeiro-ministro libanês Rafic Hariri em 2005, uma etapa fundamental em um longo processo no qual os suspeitos continuam em liberdade.

Líbano está imerso numa catástrofe econômica
Os réus, todos membros do movimento xiita do Hezbollah, estão sendo julgados à revelia pelo Tribunal Especial do Líbano (TSL), com sede em Haia, encarregado de ditar a sentença 15 anos após o atentado com um carro-bomba no centro de Beirute. Nele, morreram o bilionário sunita e outras 21 pessoas.

O assassinato de Hariri, pelo qual quatro generais libaneses foram inicialmente acusados, desencadeou uma onda de protestos que forçou a retirada das tropas sírias do país, após uma presença de 30 anos no país.

Em março deste ano, o país deu um calote em seus credores. O Líbano deveria reembolsar US$ 1,2 bilhão em títulos do Tesouro, dos quais uma parte significativa está nas mãos dos bancos e do Banco Central, e decidiu não fazer isso.

Embarcação brasileira
A Fragata Liberdade, da Marinha do Brasil, está no mar do Líbano, mas distante do local da explosão. A Marinha publicou uma nota na qual informou que os militares estão bem e não há feridos. A embarcação não estava na área do porto onde ocorreu a grande explosão.

"A Marinha do Brasil informa, com relação à explosão ocorrida em Beirute, hoje, que todos os militares componentes da Força Tarefa Marítima (UNIFIL) da MB estão bem e não há feridos. A Fragata Independência encontra-se operando no mar, normalmente. O navio estava distante do local onde ocorreu a explosão. Outras informações serão passadas tempestivamente." – Centro de Comunicação Social da Marinha.

O prefeito ACM Neto afirmou, nesta quarta-feira (4), que a expectativa é de que Salvador consiga passar mais três dias nesta semana com taxas de ocupação de UTIs para covid-19 igual ou abaixo de 70%. Se assim se mantiver, isso permitirá o início da fase 2 da retomada econômica, que contempla bares, restaurantes, academias, salões de beleza e outras atividades.

“Caso consigamos os três dias que faltam ainda essa semana, a retomada vai ser na segunda [10]. Já tínhamos chegado a essa a conclusão pra evitar aglomeração no Dia dos Pais, no domingo. A pior coisa é se a gente abre com aglomeração por causa do Dia dos Pais", considerou o prefeito, que comentou sobre o assunto no bairro do Comércio, durante lançamento de medidas para recuperar o turismo.

No fim da tarde desta quarta, a taxa de ocupação das UTIs ficou em 68%, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab). Segundo o protocolo conjunto elaborado pela prefeitura e governo estadual, são necessários 14 dias de espaçamento entre as fases de retomada. Os shoppings da capital reabriram há duas semanas.

Para que o segundo momento da reabertura tenha início, é preciso que a taxa de ocupação dos leitos de UTI para Covid-19 fique em no máximo 70% por cinco dias, que podem ser contados, inclusive, dentro das duas semanas de intervalo entre as fases.

ACM Neto disse que vai aguardar pelo menos mais um dia com a taxa abaixo dos 70% para divulgar os protocolos sanitários para reabertura de bares, restaurantes, salões de beleza e academias. Inicialmente, a previsão era de que ele publicasse os protocolos nesta terça passada (3). De acordo com a prefeitura, os protocolos de cada setor serão divulgados nesta quinta-feira (5) durante a entrega dos novos viadutos do sistema BRT, na Av. ACM.

Donos de bares e restaurantes poderão nessa retomada usar espaço público para colocar mesas e cadeiras. Alguns estabelecimentos já começaram a pedir autorização à Prefeitura para isso. A permissão é concedida pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), possibilitando que esses empreendedores tenham mais espaço para garantir o distanciamento de um metro e meio entre as pessoas com a utilização de área aberta, o que é mais seguro neste momento em que ainda não há vacina contra o novo coronavírus.

Mãe e filho foram presos na tarde da segunda-feira (3) em Vitória da Conquista, no Sudoeste da Bahia, por tráfico de drogas. Na abordagem, ainda tentaram subornar os policiais do Esquadrão de Motociclistas Falcão, da Polícia Militar, com R$ 40 mil. Com os dois, que não tiveram nomes divulgados, foram encontrados drogas e R$ 11 mil em espécie.

A dupla tentou fugir da abordagem policial, mas foi alcançada pelos motociclistas da PM. O filho já tem passagem por tráfico de drogas, de janeiro deste ano.

O comandante da unidade, major Carlos Elder Coelho de Abreu, contou que havia denúncia de uma movimentação suspeita de um veículo Corolla. “Cercamos o carro e conseguimos fazer a abordagem. Quando eles perceberam que seriam conduzidos, a mulher ofereceu R$ 40 mil reais para que fossem liberados, o que é inadmissível”, disse.

Os dois disseram aos PMs que em casa tinham mais drogas escondidas. “Ela autorizou a nossa entrada no local onde, após revista, encontramos 40 papelotes de cocaína, três tabletes da droga, 15 trouxinhas de maconha, um caderno contendo anotações do tráfico de drogas, comprovantes de depósito além de celulares, notebook e uma balança”, diz.

Os suspeitos foram encaminhados para a sede da 10ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Vitória da Conquista), juntamente com o material apreendido. Já na delegacia, negaram ser donos do material apreendido. Mesmo assim, foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e corrupção ativa.

Apesar dos pedidos da oposição, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não enxerga motivos para levar adiante o impeachment de Jair Bolsonaro. A declaração foi dada na noite desta segunda-feira no programa "Roda Viva", da TV Cultura.

Para Maia, Bolsonaro "cometeu erros" no combate à pandemia do novo coronavírus ao minimizar a perda das quase cem mil vidas perdidas, mas nenhuma das ações do presidente justifica a sua retirada do cargo.

"Acho que o presidente errou ao minimizar o impacto da pandemia, a questão da perda de vidas, vamos chegar aí a cem mil vidas perdidas. Acho que ele criou um falso conflito", disse.

Perguntado sobre por que não arquiva os pedidos de impeachment à sua mesa já que não pretende levá-los adiante, Maia disse que não pretende conturbar a crise sanitária.

"Nós estamos no meio de uma pandemia, e qualquer decisão agora leva um recurso ao plenário. Nós vamos ficar discutindo impeachment sem nenhuma motivação para isso. Eu não estou usando isso para ameaçar, não é do meu feitio. O presidente Bolsonaro sabe, que desses que estão colocados, eu não vejo nenhum tipo de crime atribuído ao presidente" declarou Rodrigo Maia.

O presidente da Câmara evitou tecer críticas mais duras a Bolsonaro, mas disse que o governo "perde oportunidades" de implementar a agenda econômica de reformas com a qual foi eleito em 2018.

"Acho que o presidente Bolsonaro está perdendo algumas oportunidades importantes em relação àquilo que me fizeram até votar nele no segundo turno. Mas o presidente não tinha também experiência", diz ele.

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), anunciou nesta terça-feira (4) um investimento de R$ 11 milhões no plano de retomada do turismo da capital baiana, por meio do Programa Capacita Salvador, com recursos do BID e do Prodetur.

Segundo ele, a prefeitura capacitará 7 mil profissionais da cadeia do turismo, além de formar 150 instrutores em locais de trabalho.

“Nós vamos intensificar a nossa comunicação digital. A necessidade fundamental é priorizar a saúde e a assistência social, mas vamos ser agressivos na comunicação digital. Esse vai ser uma verão em que o carro chefe não serão os eventos, não será, provavelmente, o Festival da Virada, nem as lavagens e provavelmente o Carnaval. A prefeitura está se preparando para o provável adiamento desse calendário”, disse durante a inauguração do Centro de Recuperação do Turismo (CRT), que funcionará no Hub Salvador, no Comércio.

Mais um ônibus é testado em Salvador para possível operação no sistema BRT. O veículo já começa a circular na linha 1420 Boca da Mata-Pituba, com tarifa normal, a partir desta terça-feira (04). A avaliação do veículo deve ser concluída no prazo de 30 dias. Além dessa linha, o ônibus irá circular também na 1230 Sussuarana x Barra R1, 1142 Cabula x Ribeira R2 e 1388 Estação Pirajá x Barra.

O ônibus é da marca Volvo, equipado com ar-condicionado, portas em ambos os lados e tem 15 metros de comprimento. A lotação é para 41 passageiros sentados e 58 em pé. Possui ainda cinco portas, sendo três no lado direito para o uso urbano normal e duas do lado esquerdo para utilização nas estações do BRT.

De acordo com a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), o objetivo é checar a adequação do veículo às condições do dia a dia do transporte coletivo, a exemplo de carregamento e comportamento durante a operação. Além disso, o teste permite ainda que a Semob faça a comparação com outros ônibus já testados.

Novo modal - O BRT vai beneficiar 31 mil pessoas por hora, em horários de pico. Os veículos irão operar a uma velocidade comercial de 25 a 40 km/h. Os tempos de percurso serão significativamente reduzidos se comparados aos atuais níveis de operação. O primeiro trecho do novo modal, entre o Parque da Cidade e a região do Shopping da Bahia, ficará pronto ainda este ano.

Cerca de 800 mulheres vítimas de violência doméstica e domiciliar em Salvador vão receber, a partir desta terça-feira (4), cestas básicas e kits de higiene como apoio neste período de enfrentamento à pandemia de Covid-19. A iniciativa é realizada em parceria entre a Prefeitura, por meio da Secretaria de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

O material, intitulado de Kit Dignidade, contém frascos de álcool em gel, absorventes, shampoo, escova e pasta de dente, dentre outros itens. As beneficiárias também recebem máscaras de tecido, confeccionadas por artesãs do coletivo de costureiras Rede de Economia do Sagrado Solidária. 

"Sem dúvidas, essa parceria vem para somar com todas políticas públicas que já estão sendo desenvolvidas pela Prefeitura para as mulheres vítimas de violência. O objetivo é trazer esperança e uma nova perspectiva de futuro para elas", destaca a secretária da SPMJ, Rogéria Santos.

Tanto os kits quanto os alimentos serão entregues acompanhados de folhetos informativos, elaborados com apoio de especialistas do Fundo de População da ONU e da administração municipal. A publicação ensina como se prevenir da doença causada pelo novo coronavírus, assim como reconhecer a violência de gênero e denunciar, uma vez que o número de casos pode aumentar durante a pandemia.

"Temos investido na entrega de Kits Dignidade em vários estados do país, sempre com foco em mulheres e pessoas que já estavam em situação de vulnerabilidade antes na pandemia e que podem ter sua situação agravada. É uma forma de oferecer acesso a produtos de prevenção que nem sempre estão disponíveis. Nesse contexto, é fundamental também o apoio da Prefeitura para reconhecer e proteger mulheres vítimas de violência de gênero", afirma Astrid Bant, representante do Fundo de População da ONU no Brasil.

Estratégia - A entrega dos kits faz parte de uma parceria maior, firmada pelo Fundo e pelo Município, que envolve o Gabinete do Prefeito, a Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) e a Secretaria Municipal de Promoção Social (Sempre). 

Oficializada com a assinatura de um memorando de entendimento, a parceria prevê, inicialmente, o desenvolvimento de projetos que visem a prevenção à violência de gênero e o fortalecimento da rede de proteção às mulheres. A medida também pode envolver ações com foco no desenvolvimento sustentável e equitativo da população soteropolitana, contemplando o reconhecimento, proteção, promoção e efetivação dos direitos humanos, incluindo ações relacionadas aos direitos e necessidades de adolescentes, jovens e mulheres e considerando os recortes de raça e gênero.

Cerca de 800 mulheres vítimas de violência doméstica e domiciliar em Salvador vão receber, a partir desta terça-feira (4), cestas básicas e kits de higiene como apoio neste período de enfrentamento à pandemia de Covid-19. A iniciativa é realizada em parceria entre a Prefeitura, por meio da Secretaria de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).
 
O material, intitulado de Kit Dignidade, contém frascos de álcool em gel, absorventes, shampoo, escova e pasta de dente, dentre outros itens. As beneficiárias também recebem máscaras de tecido, confeccionadas por artesãs do coletivo de costureiras Rede de Economia do Sagrado Solidária. 
 
"Sem dúvidas, essa parceria vem para somar com todas políticas públicas que já estão sendo desenvolvidas pela Prefeitura para as mulheres vítimas de violência. O objetivo é trazer esperança e uma nova perspectiva de futuro para elas", destaca a secretária da SPMJ, Rogéria Santos.
 
Tanto os kits quanto os alimentos serão entregues acompanhados de folhetos informativos, elaborados com apoio de especialistas do Fundo de População da ONU e da administração municipal. A publicação ensina como se prevenir da doença causada pelo novo coronavírus, assim como reconhecer a violência de gênero e denunciar, uma vez que o número de casos pode aumentar durante a pandemia.
 
"Temos investido na entrega de Kits Dignidade em vários estados do país, sempre com foco em mulheres e pessoas que já estavam em situação de vulnerabilidade antes na pandemia e que podem ter sua situação agravada. É uma forma de oferecer acesso a produtos de prevenção que nem sempre estão disponíveis. Nesse contexto, é fundamental também o apoio da Prefeitura para reconhecer e proteger mulheres vítimas de violência de gênero", afirma Astrid Bant, representante do Fundo de População da ONU no Brasil.
 
Estratégia - A entrega dos kits faz parte de uma parceria maior, firmada pelo Fundo e pelo Município, que envolve o Gabinete do Prefeito, a Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) e a Secretaria Municipal de Promoção Social (Sempre). 
 
Oficializada com a assinatura de um memorando de entendimento, a parceria prevê, inicialmente, o desenvolvimento de projetos que visem a prevenção à violência de gênero e o fortalecimento da rede de proteção às mulheres. A medida também pode envolver ações com foco no desenvolvimento sustentável e equitativo da população soteropolitana, contemplando o reconhecimento, proteção, promoção e efetivação dos direitos humanos, incluindo ações relacionadas aos direitos e necessidades de adolescentes, jovens e mulheres e considerando os recortes de raça e gênero.

A Defesa Civil de Salvador (Codesal) espera uma precipitação média de 133,5 milímetros para a capital baiana durante esse mês de agosto. O órgão chegou a essa conclusão após reunião com pesquisadores do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) e do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos, órgão vinculado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

A expectativa é que essa chuva, que vai diminuir bastante em relação a julho (nesse mês foram registrados 254,4 milímetros), aconteça nos primeiros dez dias do mês e tenha uma redução gradativa a partir da segunda quinzena, visto que setembro costuma ser mais seco.

A temperatura mínima esperada para agosto é de 19º e a máxima é de 31º. Esse mês também é conhecido pela incidência de ventos mais fortes, com até 40km/h. O fenômeno ocorre por conta da Alta Subtropical do Atlântico Sul, que intensifica os ventos e o transporte de umidade para o continente.

Locais mais chuvosos - No mês de julho, a média de chuva acumulada no período de 1º a 31, foi de 254,4 milímetros, um pouco acima da média esperada, que era de 208,6 milímetros. Os locais mais chuvosos foram Palestina (com 339 mm de chuva), Nova Brasília (com 337,2 mm), Pirajá (324,5 mm), Jardim Cajazeiras (313 mm) e Cajazeira VII (308,8 mm).

O dia 9 de julho, uma quinta-feira, foi o mais chuvoso, com uma média de 65,7 milímetros. Nesse dia, a chuva provocou dois deslizamentos de terra, um deles na Avenida Mário Sérgio Pontes de Paiva, no bairro Canabrava, interditando o trânsito local, e o outro em Jardim Cajazeira, no Alto da Cebola. O tráfego só foi liberado em Canabrava após a remoção do barro e galhos de árvore da pista.

Durante todo o mês de julho, a Codesal realizou 1.472 vistorias. Houve 368 ameaças de desabamento, 155 deslizamentos de terra, 267 orientações técnicas, 233 ameaças de deslizamentos, 102 infiltrações, 109 alagamentos de imóveis, 78 árvores ameaçando cair e 24 desabamentos parciais. Uma morte foi registrada devido ao desabamento de uma marquise no bairro de Periperi. A estrutura, construída de maneira irregular, desabou, deixando um morto e três feridos.

Marco – Salvador registrou, entre março e junho, período tradicionalmente mais chuvoso, os maiores índices pluviométricos dos últimos 36 anos. Foram 1.540,8 mm, quando a média histórica é de 977,9 mm. Mesmo com esse volume de chuvas e com o desafio diante da pandemia da Covid-19, o diretor-geral da Codesal, Sosthenes Macêdo, destaca que as ocorrências se mantêm em número reduzido.

"Atravessamos a Operação Chuva sem registrar graves incidentes. Atribuímos a redução de ocorrências graves aos investimentos feitos na atual gestão em projetos preventivos, tecnológicos e às frequentes atividades educativas realizadas nas comunidades e escolas", afirma.

Vendo os impactos positivos do auxílio emergencial na economia e na popularidade do presidente Jair Bolsonaro, o governo federal já está discutindo a possibilidade de estender o auxílio emergencial até o fim do ano.

Entretanto, segundo o blog da jornalista Ana Flor, no G1, para evitar um rombo ainda maior nas contas públicas de 2020, a ideia do governo é negociar com o Congresso um valor menor, entre R$ 200 e R$ 300. Mas, para modificar o repasse, é preciso aval dos parlamentares.

Na semana passada, economistas do mercado financeiro viam nas viagens de Bolsonaro um sinal de que não haveria clima para encerrar o auxilio emergencial.

Já para reduzir os valores, a equipe econômica argumenta que já há sinais de retomada para muitos setores.

Pagina 1 de 207