Sexta-feira, 15th Novembro 2019
2:32:37pm
O Jornal da Cidade

O Jornal da Cidade

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), classificou como "muito grave" as mensagens em que mostra o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, instruindo o procurador Deltan Dallagnol na Operação Lava Jato. "Chega de mentir e perseguir. É preciso retomar a credibilidade em nossas instituições", disse o petista.

Para Rui Costa, é preciso se apurar o caso para o país "saber toda a verdade". "O que o site The Intercept divulgou é muito grave. Provoca profunda indignação. É fundamental que todo o conteúdo seja esclarecido. O Brasil precisa saber toda a verdade. Caso contrário o país, continuará sem oferecer segurança jurídica Institucional, credibilidade e confiança. O Brasil precisa recuperar sua imagem no mundo", declarou o governador, em sua conta no Twitter.

Moro, que hoje é ministro do governo Jair Bolsonaro (PSL), foi o juiz responsável pela operação em Curitiba. Ele deixou a operação ao aceitar o convite para o cargo, em novembro. Segundo a reportagem, Moro sugeriu ao MPF trocar a ordem de fases da Lava Jato, cobrou a realização de novas operações, deu conselhos e pistas e antecipou ao menos uma decisão judicial. Especialistas em direito dizem que não haveria, a princípio, nenhuma ilegalidade, mas pode ter havido desvio ético.

Fonte: Bahia Notícias

Procurado pela polícia como o principal suspeito da morte do ator Rafael Henrique Miguel, de 22 anos, Paulo Cupertino Matias, de 48 anos, possui diversas passagens policiais. Segundo o delegado titular da Equipe de Intervenção Estratégica da 6ª Seccional de Polícia, Fernando Bessa, o suspeito tem passagens por roubo, lesão corporal e ameaça. De acordo com o policial, Matias não aceitava o namoro de sua filha com o ator.

— Há passagens da década de 90 em uma investigação que se deu por roubo a banco, por exemplo. São ocorrências antigas, estamos investigando — disse o delegado ao EXTRA.

Ainda de acordo com Bessa, consta nos registros que Matias já esteve preso anteriormente. O delegado não soube dar detalhes sobre essa prisão porque os investigadores ainda estão trabalhando no levantamento de sua ficha corrida. Até a tarde desta segunda-feira, ele ainda não havia sido localizado, pois fugiu logo após o crime, na tarde de domingo.

De acordo com o boletim de ocorrência, Rafael e os pais, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50, foram mortos a tiros por Matias, na tarde de domingo, na Estrada do Alvarenga, no bairro Pedreira, Zona Sul de São Paulo.

O jovem interpretava o personagem "Paçoca" em Chiquititas e ficou famoso por estrelar um comercial em que pedia brócolis para a mãe no mercado.

Rafael e os pais teriam ido até a casa da namorada do jovem para conversar sobre o relacionamento deles, já que o pai seria contra o envolvimento dos dois.

— Ao que tudo indica, essa seria a motivação do crime — explica Bessa.

Consta no boletim de ocorrência, segundo o delegado, que eles estavam conversando próximo ao portão com a mãe da garota, quando o pai chegou e, sem falar nada, disparou tiros contra as vítimas. As três morreram no local.

— As informações ainda são muito preliminares e as testemunhas presenciais, mãe e esposa do atirador, passaram mal no dia do ocorrido, e ainda não foram ouvidas — enfatiza Bessa.

Rafael Miguel e os pais serão velados e enterrados nesta segunda-feira, no Cemitério Campo Grande. O caso foi registrado como homicídio na 98ª Delegacia de Polícia, onde foi instaurado inquérito, e a 6ª Seccional de Polícia trabalha em conjunto nas investigações.

Nos últimos dias, a namorada de Rafael desabafou nas redes sociais sobre o crime.

"Só queríamos ser livres para amar, sem medida. Queríamos explorar o mundo e explorar a vida. Crescer, lado a lado, como um só".

A jovem, de 18 anos, também relembrou, em um post de despedida, momentos que viveu com o ator.

"Lembra, minha vida, que a gente se casou de brincadeira? Trocamos nossas alianças para a mão esquerda e dissemos 'Pronto, casamos'. E, quem diria, que eu e você, duas pessoas que não pensavam jamais em casamento, tinham como sonho, desde o dia que nos conhecemos, casar. Você foi meu pilar, minha força, mesmo enfrentando seus próprios problemas, mesmo vivendo uma luta constante. Lutamos juntos, até o final. Mas não é o fim, meu príncipe, jamais será. Eu vou honrar nossa história, vou realizar nossos sonhos, todos que eu puder! Eu vou lutar cada dia, sem parar, por nós dois. Me perdoe se eu não disse vezes suficiente que te amo, se briguei com você por bobagens. Eu jamais amei alguém como amo você. E jamais amarei outro."

Fonte: Extra

Mensagens atribuídas ao ex-juiz Sergio Moro e ao procurador Deltan Dallagnol, do MPF (Ministério Público Federal), que foram divulgadas neste domingo (9) pelo site The Intercept Brasil mostram que os dois trocavam colaborações quando integravam a força-tarefa da Operação Lava Jato.

Moro, que hoje é ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Jair Bolsonaro (PSL), foi o juiz responsável pela operação em Curitiba (PR). Ele deixou a operação ao aceitar o convite para o cargo, em novembro.

O site informou que obteve o material de uma fonte anônima, que pediu sigilo. O pacote inclui mensagens privadas e de grupos da força-tarefa no aplicativo Telegram de 2015 a 2018.

Após a publicação das reportagens, a equipe de procuradores da operação divulgou nota chamando a revelação de mensagens de "ataque criminoso à Lava Jato" e disse que o caso põe em risco a segurança de seus integrantes.

Na troca de mensagens, membros da força-tarefa fazem referências a casos como o processo que culminou com a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso do tríplex de Guarujá.

Preso em decorrência da sentença de Moro, o petista foi impedido de concorrer à Presidência na eleição do ano passado.

A sentença de Moro foi confirmada em segunda instância pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região). A condenação já foi chancelada também pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), que reduziu a pena para oito anos, 10 meses e 20 dias de prisão.

Segundo a reportagem, Moro sugeriu ao MPF trocar a ordem de fases da Lava Jato, cobrou a realização de novas operações, deu conselhos e pistas e antecipou ao menos uma decisão judicial. Especialistas em direito dizem que não haveria, a princípio, nenhuma ilegalidade, mas pode ter havido desvio ético.

"Olá Diante dos últimos . desdobramentos talvez fosse o caso de inverter a ordem da duas planejada (sic)", escreveu Moro a Dallagnol em fevereiro 2016, referindo-se a fases da investigação. As mensagens foram reproduzidas da forma como o site as publicou, sem correções ou revisão gramatical.

Dallagnol disse que haveria problemas logísticos para acatar a sugestão. No dia seguinte, foi deflagrada a 23ª fase da Lava Jato, a Operação Acarajé.

Em agosto do mesmo ano, depois de decorrido o período de quase um mês sem novas operações da força-tarefa, o ex-magistrado perguntou: "Não é muito tempo sem operação?". A decisão, em tese, caberia aos investigadores, e não ao juiz do caso.

"É sim", respondeu Dallagnol, de acordo com o Intercept. A operação seguinte ocorreu três semanas depois do diálogo com o magistrado.

O material que veio a público traz também reações à decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de soltar em 2015 Alexandrino Alencar, ex-executivo da Odebrecht que se tornou delator. Os diálogos mostram os membros do MPF e do Judiciário debatendo passos que poderiam levar o delator de volta para a prisão.

"Caro, STF soltou Alexandrino. Estamos com outra denúncia a ponto de sair, e pediremos prisão com base em fundamentos adicionais na cota. [...] Seria possível apreciar hoje?", escreveu Dallagnol.

"Não creio que conseguiria ver hj. Mas pensem bem se é uma boa ideia", respondeu Moro. Nove minutos depois, o então juiz acrescentou: "Teriam que ser fatos graves".

Depois de ouvir a sugestão, Dallagnol repassou a mensagem do juiz para o grupo de colegas de força-tarefa. "Falei com russo", explicou, usando o apelido que o ex-juiz tinha entre os procuradores.

Em outro episódio, Moro indicou ao procurador do MPF qual seria a tendência de uma decisão sua no processo de Lula. Em 2017, o ex-juiz cobrou os procuradores sobre uma tentativa de adiar o primeiro depoimento do petista com réu em Curitiba.

"Que história é essa que vcs querem adiar? Vcs devem estar brincando", escreveu Moro a Dallagnol. "Não tem nulidade nenhuma, é só um monte de bobagem", continuou, questionando contestações que existiam à realização do interrogatório.

Dias depois, após trocas de esclarecimentos, o procurador buscou tranquilizar o magistrado: "De nossa parte, foi um pedido mais por estratégia". Moro então falou a Dallagnol sobre como procederia diante de pedido da defesa de Lula para adiar o depoimento: "Blz, tranquilo, ainda estou preparando a decisão mas a tendência é indeferir mesmo".

Um outro episódio da Lava Jato abordado na troca de mensagens é o pedido de entrevista com o ex-presidente na prisão barrado na Justiça no ano passado. Segundo conversas reproduzidas pela reportagem, procuradores do MPF envolvidos na Lava Jato reagiram com indignação à decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de autorizar o jornal Folha de S.Paulo a entrevistar Lula pouco antes do primeiro turno.

Derrubada no mesmo dia, a permissão só voltaria a ser concedida pela corte neste ano — o jornal entrevistou o petista em Curitiba em abril.

No dia da decisão favorável, em 2018, procuradora Laura Tessler escreveu no grupo de membros do MPF: "Que piada!!! Revoltante!!! Lá vai o cara fazer palanque na cadeia. Um verdadeiro circo. E depois de Mônica Bergamo [colunista da Folha de S.Paulo], pela isonomia, devem vir tantos outros jornalistas... e a gente aqui fica só fazendo papel de palhaço com um Supremo desse..."

"Mafiosos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!", respondeu a procuradora Isabel Groba.

Tessler, na sequência, afirmou: "Sei lá...mas uma coletiva antes do segundo turno pode eleger o Haddad", referindo-se ao candidato que substituiu Lula na campanha do PT, Fernando Haddad.

Outro procurador, Athayde Ribeiro Costa, sugeriu que a Polícia Federal adotasse uma manobra para adiar a entrevista para depois da eleição, sem que tivesse de descumprir a decisão da Justiça.

"N tem data. So a pf agendar pra dps das eleicoes. Estara cumprindo a decisao. E se forcarem antes, desnuda ainda mais o carater eleitoreiro", afirmou Costa.

Em outra mensagem, de março de 2016, Dallagnol cumprimentou Moro pelo fato de o então juiz ter sido destaque em manifestações de rua pelo país que pediam a saída de Dilma.

"E parabéns pelo imenso apoio público hoje. [...] Seus sinais conduzirão multidões, inclusive para reformas de que o Brasil precisa, nos sistemas político e de justiça criminal. [...]", escreveu o procurador ao juiz.

O magistrado afirmou que havia feito uma manifestação oficial sobre o tema. "Parabens a todos nós", acrescentou.

Na sequência, Moro emitiu opinião sobre o momento político do país: "Ainda desconfio muito de nossa capacidade institucional de limpar o congresso. O melhor seria o congresso se autolimpar mas isso nao está no horizonte. E nao sei se o stf tem força suficiente para processar e condenar tantos e tao poderosos".

As conversas tornadas públicas sugerem ainda dúvidas de membros do MPF quanto à denúncia contra Lula no caso do tríplex de Guarujá, sentença que acabou levando o petista à prisão.

Quatro dias antes da apresentação da denúncia da Procuradoria, Dallagnol afirmou em um grupo que tinha receio sobre pontos da peça jurídica, como, por exemplo, a relação entre os desvios na Petrobras e a acusação de enriquecimento.

"Falarão que estamos acusando com base em notícia de jornal e indícios frágeis... então é um item que é bom que esteja bem amarrado. Fora esse item, até agora tenho receio da ligação entre petrobras e o enriquecimento, e depois que me falaram to com receio da história do apto... São pontos em que temos que ter as respostas ajustadas e na ponta da língua", escreveu o procurador.

Cerca de 24 horas depois, Dallagnol se expressou com entusiasmo ao tomar conhecimento de uma reportagem do jornal O Globo que poderia sustentar a acusação. Ele escreveu, às 22h45 de um sábado: "tesao demais essa matéria do O GLOBO de 2010. Vou dar um beijo em quem de Vcs achou isso".

Na véspera da denúncia contra Lula, o representante do MPF afirmou em um grupo: "A opinião pública é decisiva e é um caso construído com prova indireta e palavra de colaboradores contra um ícone que passou incolume pelo mensalão".

Dias depois, ele comentou em mensagem direta a Moro: "A denúncia é baseada em muita prova indireta de autoria, mas não caberia dizer isso na denúncia e na comunicação evitamos esse ponto".

Em outro dia, enquanto procuradores eram atacados por causa de pontos considerados frágeis na denúncia, o ex-juiz e hoje ministro enviou palavras de apoio a Dallagnol: "Definitivamente, as críticas à exposição de vcs são desproporcionais. Siga firme".

O material divulgado pelo Intercept permite também se ter uma ideia sobre o planejamento do célebre PowerPoint contra Lula que o procurador do MPF exibiu ao comentar a denúncia.

"Acho que o slide do apto tem que ser didático tb. Imagino o mesmo do lula, balões ao redor do balão central, ou seja, evidências ao redor da hipótese de que ele era o dono", escreveu Dallagnol em grupo de colegas, dias antes de apresentar a tela com o esquema.

SIGILO

O jornalista Glenn Greenwald, fundador e editor do Intercept Brasil, disse à reportagem que o site respeitará o direito ao sigilo da fonte que repassou as conversas e que, por isso, não pode detalhar a origem do material.

Ele afirmou, no entanto, ter "absoluto nível de confiança" na veracidade do conteúdo. "É um material tão vasto que seria impossível alguém falsificar." Greenwald afirmou que não teria como mensurar a extensão dos arquivos, mas relatou que o conjunto inclui mensagens de texto, áudios e vídeos.

"É um vazamento muito maior do que o do caso Snowden", relatou ele, que foi responsável por revelar em 2013 as mensagens até então sigilosas do governo americano. "Nunca vi algo tão extenso".

O site informou que tomou providências para proteger a íntegra do material, com cópias no Brasil e no exterior. Segundo o jornalista, o objetivo é evitar que qualquer autoridade brasileira tente impedir sua divulgação.

Greenwald disse ainda que a obtenção do material não tem nenhuma relação com a invasão, na terça-feira (4), ao celular de Moro. O próprio ministro afirmou que nenhuma informação foi roubada do aparelho.

"O arquivo que possuímos não tem nada a ver com esse episódio do hacker. Recebemos tudo semanas atrás. A fonte nos procurou há cerca de um mês", disse o editor.

OUTRO LADO
A força-tarefa da Lava Jato afirmou em nota que os procuradores "foram vítimas de ação criminosa de um hacker que praticou os mais graves ataques à atividade do Ministério Público, à vida privada e à segurança de seus integrantes".

"A violação criminosa das comunicações de autoridades constituídas é uma grave e ilícita afronta ao Estado e se coaduna com o objetivo de obstar a continuidade da Operação, expondo a vida dos seus membros e famílias a riscos pessoais", diz o texto.

A Procuradoria afirma ainda que não sabe a extensão da invasão e que não houve pedido de esclarecimento antes da publicação das reportagens. Sobre o teor dos diálogos, diz que as informações foram tiradas de contexto, o que pode gerar uma interpretação equivocada.

"Vários dos integrantes da força-tarefa de procuradores são amigos próximos e, nesse ambiente, são comuns desabafos e brincadeiras. Muitas conversas, sem o devido contexto, podem dar margem para interpretações equivocadas. A força-tarefa lamenta profundamente pelo desconforto daqueles que eventualmente tenham se sentido atingidos".

A reportagem procurou o ministro Sergio Moro, mas não obteve resposta até a publicação deste texto.

A defesa de Lula afirmou em nota que a reportagem do Intercept revela detalhes de uma trama, já denunciada pelos advogados, que envolve "uma atuação combinada entre os procuradores e o ex-juiz Sergio Moro, com o objetivo preestabelecido e com clara motivação política, de processar, condenar e retirar a liberdade do ex-presidente".

"A atuação ajustada dos procuradores e do ex-juiz da causa, com objetivos políticos, sujeitou Lula e sua família às mais diversas arbitrariedades. A esse cenário devem ser somadas diversas outras grosseiras ilegalidades", diz o comunicado.

Reportagem da Folha de S.Paulo na última quinta-feira (6) mostrou que a defesa de Lula argumentará no STF que a Lava Jato produziu relatórios sobre 14 horas de conversas gravadas entre advogados do ex-presidente, o que contraria a legislação.

Fonte: Folha Press

De acordo com o jornalista Luiz Bacci, da Record TV, Rafael, seu pai, João Alcisio Miguel, 52, e sua mãe, Miriam Selma Miguel, 50, foram alvejados por Paulo Cupertino Matias. Em nota, a assessoria da Segurança Pública de São Paulo comunicou que o caso está sendo investigado pelo 98º Distrito Policial (Jardim Miriam) e "as equipes estão em diligência para localizar e prender o autor do crime".

Em seu perfil, a namorada do ator fez uma postagem breve, escrevendo apenas "Estou bem, dentro do possível". Os dois estavam juntos há pouco mais de um ano. A apresentadora Maisa Silva também se pronunciou:

"Bizarro saber que uma crueldade dessas aconteceu, ainda mais com uma pessoa que eu conhecia. Mais vidas foram interrompidas pelas mãos de um homem. Rafael & família, descansem em paz. Que Deus conforte todos os corações. Que a justiça seja feita. Chega de assassinato", escreveu.

Ainda segundo Bacci, Isabela era obrigada a ficar trancada em casa e a não se relacionar com outras pessoas. Neste domingo, após se sentir mal, ela recebeu a visita do namorado e dos sogros. Segundo testemunhas, Paulo não gostou e atirou nos três.

Fonte: Bahia Notícias

Com a ameaça de ter seus estados excluídos do projeto de reforma da Previdência do governo federal, o governador Rui Costa (PT) e os oito demais governadores do Nordeste assinaram uma carta para defender a necessidade de manutenção da abrangência do projeto. Para eles, a exclusão representa um sinal de "abandono".

"A retirada dos estados da reforma e tratamentos diferenciados para outras categorias profissionais representam o abandono da questão previdenciária à própria sorte, como se o problema não fosse de todo o Brasil e de todos os brasileiros. No entanto, há consenso em outros tópicos, e acreditamos na intenção, amplamente compartilhada, de se encontrar o melhor caminho", dizem no texto.

Com o título "Há um só Brasil que é de todos os brasileiros", os gestores avaliam a "turbulência política e econômica" enfrentada pelas unidades federativas, citando como exemplo a queda do Produto Interno Bruto (PIB) já no primeiro trimestre deste ano.

Dessa forma, os gestores reforçam a continuidade do diálogo para sanar os pontos ainda divergentes, como o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e a aposentadoria dos trabalhadores rurais.

"Também são pontos controversos na reforma ora em pauta a desconstitucionalização da previdência, que acarretará em muitas incertezas para o trabalhador, e o sistema de capitalização, cuja experiência em outros países não é exitosa. Além de outras alterações que, ao contrário de sanear o déficit previdenciário, aumentam as despesas futuras não previstas atuarialmente", pontuam.

A carta é uma declaração alternativa ao texto assinado pelos demais governadores do país, também na quinta. O grupo majoritário demonstra apoio à proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, a fim de garantir que seus estados não sejam excluídos da matéria.

Fonte: Bahia Notícias

A TV Record divulgou, na noite desta quinta-feira (6), a continuação da conversa entre Neymar e Najila Trindade Mendes de Souza, em 16 de maio, dia seguinte ao suposto estupro.

Em um primeiro trecho do diálogo na rede social, divulgado por Neymar no dia 2, Najila convida o jogador para um segundo encontro e, sem obter resposta, ela diz: "Eu vou dormir, tá? Você não vem e está dando mancada, me deixando esperando".

No novo trecho divulgado, logo depois de ela dizer que vai dormir, Neymar diz que chegará ao hotel em 15 minutos. A conversa é interrompida e retomada aparentemente depois do encontro no hotel em que Najila bate em Neymar. A conversa tem alguns trechos amenos, mas acaba nervosa.

Na conversa, Neymar diz que ela foi culpada pelas marcas também "porque pedia mais". Najila responde com uma pergunta: "Tá doido?".

Veja a transcrição da conversa (sem correção ortográfica), na íntegra:

(Os horários são os indicados no celular. Não está claro se são de Paris ou de Brasília)

Najila (17h15): “Eu vou dormir, tá? Vc não vem e tá dando mancada me deixando esperando. Era só falar q não vinha.”
Neymar (17h15): “15’in eu chego. Eu to indo. Tava me arrumando. Hahaha.”
Najila (17h15): “Vai casar não.”
Neymar (17h16): “Hahahhaha grazas a Deus né.”
Najila (17h16): “Meu cel vai descarregar eu não sei onde tá meu carregador. To esperando. 203”
Neymar (18h16): “Independente do que você fez comigo, fica bem aí. Qualquer coisa manda msg.”
Najila (18h24): “Eu quero ir embora. Só isso.”
Neymar (18h24): “Ok.”
Najila envia a foto das nádegas.
Neymar responde com emojis de “carinha triste” e “o que posso fazer?”
Najila (18h26): “Eu tava de meia calça por causa disso. Vc lembra de tudo ontem? Enfim.”
Neymar (18h26): “Óbvio.”
Najila (18h27): “Pode me bloquear. Eu vou sumir. Vou acabar com essa... ...Nem sei explicar.”
Neymar (18h27): “Relaxa, segue sua vida e tá tudo certo.”
Najila (18h30): “Se conseguir o voo de manhã me avisa, por favor.”
Neymar (18h37): “Ok, mando”
Najila (18h40): “O cara q eu conheci hoje não era o mesmo q ontem. Foi por esse Neymar de hj q me apaixonei.”
Neymar (18h41): “Vc não me conhece bem, sou normal.”
Najila (18h41): “Somos todos”
Neymar (18h42): “Eh que ontem foi rápido e não tivemos tempo de conversar. E hoje a gente trocou ideia.”
Najila (18h44): “Pode ser. Tava empolgada em te conhecer... Ontem foi tudo tão rápido... Daí pela manhã vi essas marcas... Ontem mal falamos. Vc tava agitado... Aí hoje chegou mais calmo. Ontem eu tava calma, e hj quem ta agitada sou eu... Desencontramos... Pena que deu errado.”
Neymar (18h45): “Mas as marcas vc foi culpada tb hahaha vc pedia mais (enviou emoji de 'o que posso fazer').”
Neymar responde a mensagem em que Najila afirma que eles se desencontraram: “Sim, infelizmente.”
Neymar responde a mensagem em que Najila diz ‘Pena que deu errado’: “Não deu não, a gente se conheceu e foi legal...da pra ver que você eh uma pessoa maneira. Infelizmente o episódio de hj estragou um pouco. Mas foi um prazer te conhecer.”
Najila (18h46): “Tá doido? Eu pedi pra parar e vc até pediu desculpas. Mas agora. Mais uma pra terapia.
Neymar manda dois emojis de "carinha pensativa".
Najila (18h47): "Fica sussa. Vc continua sendo Neymar. E eu só uma qualquer."
Najila (21h24): Se vc mandou aquela foto p alguém pfv pede pra apagar pq não quero nada envolvendo meu nome c o seu."
Neymar (21h27): “Jamais faria isso.”
Najila (21h42): “Perto do que vc fez. Não seria nada. Mesmo q eu tenha me alterado só hoje, (e pagado de loca pq antes a ficha não tinha caindo) Vc sabe mt bem o q vc fez e como me tratou. Aliás, destratou!!! Mesmo que isso fique em off pra sempre e nunca mais nos falamos, lá no fundo vc sabe o q aconteceu... Deus é justo e a Ele dinheiro nenhum compra. Espero q vc nunca sinta metade da angústia que eu senti nessa viagem... Acho que uma GP é tratada com mais empatia. O q mais me assusta nisso tudo é que vc realmente achar q foi tudo de boa, e eu sou totalmente louca. Mostra q seu cérebro só funciona dentro de campo. E seu coração não funciona em lugar nenhum. Mas enfim, seja o q for não me importa mais. Vou seguir e tomar o máximo de remédio possível pra esquecer q um dia estive aqui pra ser tratada assim. Dorme bem! E obrigada. Pelo menos agora eu realmente sei quem é Neymar Jr.”

Vídeo
Desde quarta-feira (5), está circulando em aplicativos de trocas de mensagens e na internet um vídeo de cerca de um minuto que mostra Neymar e Najila em um quarto de hotel.

As imagens teriam sido gravadas no dia 16, o dia seguinte ao que, segundo ela, teria acontecido o estupro. No começo do vídeo, aparece apenas o quarto vazio. Em seguida, Najila e o jogador Neymar conversam amistosamente.

Neymar: “Assim como?”
Depois Najila começa a bater nele.
Neymar: “Não, não, não. Aí não me bate não”.
E pergunta se ele vai bater nela.
Najila: “Não? Você vai me bater, né. Vai me bater? Não?”
Neymar diz que não e aí Najila diz que ela vai bater.
Neymar: “Dá licença. Dá licença”.
Najila: “Mas eu vou te bater. Sabe por que eu vou te bater? Saber por quê? Sabe por quê? Porque você me agrediu ontem. Você me deixou aqui sozinha"
No trecho do vídeo que veio a público, que tem um minuto de duração, Najila fala em agressão, mas não menciona estupro. Não se sabe se há menção a estupro nos outros seis minutos de gravação, que não foram divulgados.

Fontes da polícia informam que o vídeo foi gravado em 16 de maio, um dia depois do suposto estupro.

A troca de mensagens com Najila exibida por Neymar mostrava que eles voltaram a conversar normalmente depois do dia apontado pela mulher como o do suposto estupro. Mas pareciam indicar que eles não tinham se encontrado no dia 16.

Ambos falam do desejo de um segundo encontro. Ela diz que quer ver o jogador de novo e Neymar responde: “Claro que quero transar com você de novo”. Ela pede: “'Trás' alguma coisa para eu levar para o meu filho”.

Nas mensagens exibidas por Neymar, não aparece nenhuma reclamação da mulher em relação ao jogador. Ela insiste em revê-lo. Mais tarde, sem que a mensagem revele o horário, ela escreve que ele a deixou sozinha: “Eu vou dormir, tá? Você não vem e tá dando mancada me deixando esperando”.

Com a divulgação do vídeo, sabe-se agora que eles se encontraram mais tarde, depois desse último diálogo.

O advogado de Najila, Danilo Garcia de Andrade, disse que ainda não assistiu à integra do vídeo, e não soube dizer qual é o conteúdo dos seis minutos que ainda não foram divulgados. Apesar de o vídeo só mostrar Najila agredindo Neymar, o advogado disse que o objetivo da sua cliente era mostrar que ela foi agredida e estuprada.

“O segundo encontro, o que ela me disse sobre o segundo encontro foi o seguinte: que ela precisava de uma prova de que aquela agressão, que aquele tapa, era o Neymar que teria dado. Então ela atraiu o Neymar novamente ao quarto e gravou o Neymar naquela situação. Eu ainda não vi o vídeo de forma exaustiva. Eu vi um minuto do vídeo”, disse o advogado.

O advogado disse que Najila deve comparecer à delegacia que conduz o inquérito, em São Paulo, às 11h da sexta-feira (7), e que o vídeo só deve ser entregue à polícia depois que ele for estudado pela defesa.

O pai do jogador viu a imagem e disse que ela prova que o filho estava sendo agredido pela denunciante; que a mulher provoca uma agressão para ver se ele revidaria; e que Neymar, ao perceber que era uma armadilha, se jogou para trás da cama.

Em entrevista ao SBT na noite de quarta-feira (5), Najila disse que sua intenção ao viajar para Paris era ter relações sexuais com Neymar, e confirmou que passagem e hospedagem foram pagas por ele, mas que, ao recebê-lo no hotel, Neymar estava agressivo; que, mesmo assim, como ela tinha muita vontade de ficar com ele, começou a trocar carícias com Neymar, até que perguntou se ele tinha levado preservativo, já que ela não tinha.

Segundo Najila, ele respondeu que não e ela então disse que não ia acontecer nada além do que já tinha acontecido.

Najila disse que Neymar primeiro ficou em silêncio, depois a virou e cometeu o que ela chamou de ato enquanto batia violentamente nas nádegas dela. Najila afirmou que repetiu algumas vezes para ele parar. Ela disse que tudo foi muito rápido, questão de segundos até que ela conseguiu se retirar para o banheiro.

Em outro trecho Najila lembra que, no dia seguinte, Neymar mandou para ela uma foto dela machucada nas nádegas. É o trecho das mensagens divulgada por Neymar em que ela diz que “vai ter volta” e ele responde: “Vai ter volta nada”.

Ela não foi perguntada e não explicou como Neymar conseguiu fazer uma foto dela machucada, se, na versão dela, ela escapou em poucos segundos para o banheiro.

Sobre o fato de ter mantido conversas amistosas com ele após o primeiro encontro, Najila disse que fez isso para que Neymar continuasse a falar com ela e assim ela pudesse provar o que ele fez com ela.

Carta precatória
A delegada Juliana Lopes Bussacos, que investiga a acusação contra o jogador Neymar na Delegacia de Defesa da Mulher, na Zona Sul de São Paulo, tem em mãos uma carta precatória com duas perguntas que devem ser feitas a Najila no inquérito que apura a exposição de imagens íntimas dela em redes sociais pelo atacante.

A primeira delas: se Najila confirma que as conversas expostas por Neymar foram realizadas. E a segunda: se ela autorizou a publicação ou se compartilhou as imagens e mensagens com outras pessoas ou grupos.

A delegada já recebeu o relatório clínico particular feito pela mulher no dia 21 de maio e, nesta quinta-feira (6), protocolou no Instituto Médico Legal um pedido para que esse relatório e o laudo do exame de corpo de delito --feito no dia em que o caso foi registrado-- sejam analisados por um grupo de médicos legistas.

É o chamado corpo de delito indireto. O objetivo é analisar se as queixas da mulher e as lesões têm relação com o caso.

Na tarde desta quinta-feira, o médico Luiz Eduardo Rossi Campedelli, que assina o relatório clínico particular, esteve na delegacia. Ele não deu entrevista, mas confirmou o laudo e não entrou em detalhes sobre o exame por causa do sigilo médico-paciente. Ele afirmou que não tirou as fotos que foram anexadas no final do relatório.

Também nesta quinta, José Edgar Bueno, o primeiro advogado de Najila, chegou à porta da delegacia acompanhado por outro advogado, Pedro Beretta, e não falou com a imprensa.

“A convite da doutora Juliana, o doutor José Edgar veio hoje apenas complementar algumas informações preservando o sigilo profissional que lhe cabe, com relação a, no caso, sua ex-cliente”, disse Beretta.

Depoimento
A mulher que denunciou Neymar por estupro disse à polícia que vai voltar à delegacia na sexta-feira (7) para prestar um novo depoimento. A delegada quer tirar dúvidas sobre a história contada por Najila na semana passada e, principalmente, ter acesso à íntegra do vídeo que mostraria a agressão de Neymar.

Nesta quinta-feira, o Jornal Nacional teve acesso a um boletim de ocorrência registrado em 2014, um caso de violência doméstica com lesão corporal.

Na época, Najila relatou à polícia que, depois de uma briga com o marido, ela estava na sala de estar, comendo uma maçã com uma faca na mão, e disse que ele partiu para cima dela. Foi puxada pelos braços e foi quando o marido foi atingido pela faca. O caso foi arquivado.

A polícia tem um novo fato a esclarecer neste caso: Najila disse que o apartamento onde mora foi arrombado. Um delegado foi até o apartamento para verificar se isso, de fato, aconteceu. A síndica do prédio já registrou um boletim de ocorrência.

Nesta noite, o advogado Danilo Garcia, que representa Najila, divulgou uma declaração dela, registrada em um cartório de São Paulo. No documento, Najila reitera que sofreu os crimes de estupro e agressão praticados por Neymar.

Afirma que tem amplo material probatório sobre as agressões sofridas. No fim, Najila afirmou estar ciente de que caso a declaração não seja a expressão da verdade responderá criminalmente por infração do Código Penal.

Cronologia com base em relatos de Najila e Neymar
Antes de 15 de maio

Najila mantém contato via rede social com Neymar e ambos passam a se corresponder
Eles acertam a ida de Najila a Paris, com passagem paga pelo jogador
15 de maio

Neymar e Najila se encontram num hotel em Paris, onde ela estava hospedada;
Neste dia, segundo a modelo, ela foi vítima de agressão e de estupro
16 de maio

Os dois voltam a se falar por um aplicativo de mensagens. Ela diz que quer ver o jogador de novo. Neymar diz: "Claro que eu quero transar com você de novo".
O jogador vai de novo ao hotel em que Najila está. Um vídeo mostra a modelo agredindo o jogador a tapas no quarto. O vídeo é interrompido sem mostrar o desfecho da cena;
Neymar deixa o hotel. Mais tarde, os dois trocam mensagens por uma rede social: a modelo envia uma foto com marcas no corpo dela. Neymar responde dizendo que ela havia sido culpada pelas marcas. "Tá doido?", questionou a modelo, afirmando que pediu para o jogador e que Neymar chegou a pedir desculpas a ela;
21 de maio

Já de volta ao Brasil, Najila se submete a um exame com o médico Luiz Eduardo Rossi Campedelli. O laudo aponta hematomas, arranhões nos glúteos, transtorno ansioso e depressivo e traumatismos superficiais não especificados;
31 de maio

A modelo registra ocorrência de estupro em uma delegacia de São Paulo;
1º de junho

O caso vem a público. O pai do jogador diz que o atleta é vítima de uma tentativa de extorsão; o advogado que representava Najila na ocasião nega.
2 de junho

Neymar grava um vídeo em que diz que a relação dos dois foi consentida. "Foi uma relação entre homem e mulher, dentro de quatro paredes, algo que acontece com todo casal (...) Agora fui pego de surpresa por causa disso."
5 de junho

Em entrevista, a modelo disse que se recusou a manter relação sexual com o jogador porque não havia preservativo; segundo ela, ele a virou e bateu violentamente nas nádegas dela;
6 de junho

Neymar depõe em uma delegacia do Rio. Na saída, agradece pelo apoio. "Me senti muito amado"

Fonte: G1

Agilidade no lugar da burocracia. Essa é a ideia da Central do Empreendedor, inaugurada em Camaçari nessa quinta-feira (6). O projeto da prefeitura em parceria com o Sebrae tem como objetivo facilitar e orientar o micro e pequeno empreendedor na regularização e no crescimento do negócio.

Coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) do município, a Central conta com a atuação de outras quatro pastas: Governo, Fazenda, Saúde e Desenvolvimento Urbano. “Esse não é um projeto de uma secretaria, é um projeto da prefeitura. Queremos que Camaçari seja conhecida como uma cidade que abriu os braços para o microempreendedor. Eliminar esse ranço cultural de burocracia que era uma queixa muito ouvida”, declara Waldir Freitas, titular da Sedec.

Com a chegada da Central, quem quiser abrir uma empresa em Camaçari terá concentrado em um único local todos os órgãos necessários para realizar a formalização do negócio. “Com certeza, agora as pessoas não vão deixar de se formalizar porque vai demorar. Estamos aqui para facilitar, ajudar o empreendedor a fazer crescer seu negócio”, disse o prefeito da cidade, Antônio Elinaldo, ao inaugurar o novo espaço.

Facilidade
O empreendedor que procurar a Central poderá ainda contar com consultoria contábil, jurídica e facilitação para obtenção de crédito. Os serviços prestados pela Central do Empreendedor são gratuitos.

O espaço conta com a presença do Sebrae, que, além de ter capacitado os servidores para tirarem as dúvidas da população, oferecerá cursos e capacitações gratuitas aos usuários. O gerente regional da instituição, Rogério Teixeira, explica a importância de ter um negócio regularizado. “Quando o empreendedor sabe os riscos e oportunidades que tem, ele pode investir com segurança e isso só aumenta as chances do negócio dar certo. É isso que representa a Central. Orientação e segurança para o empreendedor”, explica.

Fazer dar certo os negócios na cidade é, também, um dos objetos da Sedec, que encabeça o projeto. “Nós estamos confiando no empreendedor. Facilitando a abertura e vamos acompanhar a empresa também. Para que ela abra rápido e não feche rápido”, pontua Waldir Freitas.

Antes do projeto, um processo de abertura de uma empresa em Camaçari poderia levar de seis meses a um ano. Com a Central, a meta é que uma empresa possa ser aberta em 30 minutos.

Foi o caso de Ivair Oliveira, 46, que há 4 anos tem um mercadinho na orla da cidade. O empreendedor tentava há mais de um ano regularizar o negócio e obter o alvará de funcionamento, mas o processo estava emperrado. Na Central, Ivair conseguiu resolver todas as pendências e teve seu alvará assinado antes mesmo de completar 30 minutos de atendimento. O primeiro lavrado no espaço. “É muito positiva a ideia. Veio pra facilitar a vida do empresário e com parceiros como o Sebrae vai trazer mais oportunidade pros microempreendedores”, disse, ao comentar a experiência.

Assim como o mercadinho de Ivair, segundo a prefeitura de Camaçari, outros 2.800 empresas têm pendências em seus processos de regularização. Apenas no primeiro dia de funcionamento, cerca de 600 já estão aptas a finalizar os trâmites, caso procurem a Central. A meta é que no final da primeira semana de trabalho, o número suba para 1.400 empreendimentos.

MEI
Aqueles que querem dar os primeiros passos na formalização de um negócio também podem pedir ajuda ao novo espaço da prefeitura. Com 11 mil microempreendedores individuais (MEI), a meta do município é, em pouco tempo, triplicar o número

Uma das novas microempreendedoras, que formalizou seu MEI no primeiro dia de Central, foi Ariane Nascimento, 27, que começou no início deste ano, em casa, um negócio com produtos de limpeza caseiros. Nos primeiros meses do negócio, a empreendedora consegue um lucro mensal de R$ 1 mil. “Agora resolvi formalizar. Se não tivesse um local centralizado, ia passar muito tempo até poder oficializar. Ter que bater de porta em porta em vários órgãos. Assim é muito mais fácil”, comentou. Com o MEI já regular, a ideia de Ariane é abrir uma loja física e triplicar o lucro do negócio. “Regularizados a gente até contribui para a economia da cidade”, opina Igor Oliveira, 31, que foi acompanhar a esposa Ariane na visita à Central.

Assim como ela, quem poderá utilizar os serviços do novo órgão para estar cada vez mais profissional são os artesãos. Em um levantamento da Sedec, foram cadastrados 350 pessoas que trabalham com artesanato na cidade. Eles são um dos públicos-alvos da iniciativa e eram maioria na plateia das palestras que antecederam a inauguração da sala durante a tarde. “A Central aponta um novo olhar para o trabalho dos artesãos, que vão aprender como gerir seus negócios, se profissionalizar, sem deixar de ser artesão”, acredita Sineide Lopes, coordenadora de economia solidária da Sedec.

Fonte: Correio24horas

O cantor Devinho Novaes está fora da grade de shows do Sao João de Camaçari. Ele foi cortado após surgirem relatos de agressão contra a ex-namorada, Aylle Santiago. A prefeitura informou que irá substitur a atração, mas não divulgou ainda qual será a nova atração.

Por meio das suas redes sociais, Aylle relatou a forma agressiva com que o "boyzinho" agiu durante nove meses de namoro. "Operada, cheguei a pegar ele dentro do motel. Nunca houve respeito da parte dele, sofria e engolia tudo calada. Eu e Deus. Sempre usou os piores xingamentos comigo, nunca respeitou uma mulher! De 'Vá se f****', até 'vá tomar no c*, isso era rotina'. Uma hora a gente cansa", escreveu.

Ela ainda diz que sofreu violência física. "Eu estava operada e ele rasgou minha roupa e chutou meus seios que ainda estavam com pontos", escreveu.

A preitura de Alagoinhas também cancelou o show do cantor. O prefeito Joaquim Neto (PSD) explicou que a decisão partiu principalmente pelo fato da jovem ser alagoinhense. “O problema de Devinho foi que, além de ter sido uma acusação grave a uma mulher, ela é daqui de Alagoinhas, os pais dela residem aqui e ela também. Então, não ficaria bom para nossa terra. Fora que poderia ter confusões, protestos por ter agredido uma alagoinhense. Perigoso, inclusive, para ele”, pontuou.

Confira a nota da Prefeitura de Camaçari na íntegra:

Prefeitura cancela show de Devinho Novaes no Camaforró 2019

. A Prefeitura de Camaçari, através da Secretaria de Governo (Segov), por meio da Coordenação de Eventos, informa que o show do cantor Devinho Novaes, que constava na grade da programação do Camaforró 2019, está cancelado. No lugar do artista, outra banda se apresentará no dia 22 e a programação do Camaforró segue sem prejuízo.

A Prefeitura repudia qualquer situação de violência e incentiva que mulheres que passam por essa situação denunciem seus agressores. Em Camaçari, a Delegacia Especial de Atendimento a Mulher (DEAM), fica localizada na Rua Delegado Clayton Leão Chaves – Centro. Outro canal para atendimento é o Disque Denúncia, através do número 180. A violência contra a mulher é crime e deve ser denunciada!

A organização da festa, que acontece nos dias 21, 22 e 23 de junho, continua com shows de Simone e Simaria, Marcos e Belutti, Calcinha Preta, Magníficos, Lambassaia, Unha Pintada, Adelmário Coelho, Amado Batista, entre outros.

A mulher suspeita de envenenar quatro pessoas da mesma família, sendo que uma delas morreu, com uma substância popularmente conhecido como “chumbinho” no município de Saúde, no norte da Bahia, foi condenada a 48 anos de prisão, em júri popular realizado no fórum da cidade, na terça-feira (4).

Conforme o Ministério Público (MP), a vítima que morreu foi um homem de 47 anos. Ele ingeriu o veneno em um doce de leite oferecido pela suspeita, que foi identificada como Rosa Maria Dantas Melo. Na ocasião, Celson Alves da Silva estava com a mulher e dois filhos. Todos ingeriram o doce com o veneno.

O órgão informou que Rosa Maria Dantas Melo nega o crime. O crime aconteceu em junho de 2017 e a mulher estava presa desde dezembro do mesmo ano, quando teve a prisão temporária decretada. A preventiva foi decretada no dia 18 de janeiro de 2018.

Segundo o Tribunal de Justiça (TJ-BA), Rosa Maria foi condenada pela prática de homicídio e tentativa de homicídMulher suspeita de envenenar 4 pessoas da mesma família com doceio, com emprego de veneno e dissimulação ou recurso que dificultou a defesa das vítimas. A mulher está na cadeia pública do município e deve ser encaminhada para o Presídio de Juazeiro.

Caso
Conforme a denúncia do Ministério Público, o crime ocorreu no dia 20 de junho de 2017, após Rosa Maria insistir para que Celson Alves da Silva, que morreu, a mulher dele e os dois filhos do casal irem até a residência dela, onde ela ofereceu o doce de leite envenenado.

Todas as vítimas foram encaminhados para o Hospital Nossa Senhora da Saúde. Os filhos dele tiveram alta, mas ele precisou ser encaminhado para o Hospital São Francisco, em Campo Formoso, onde morreu, quatro dias após o crime.

O MP afirmou que as investigações apontam, ainda, que Rosa já havia tentado matar Celson e a mulher dele em outra oportunidade, quando colocou “chumbinho” ao vinho servido ao casal. Eles sobreviveram por terem ingerido pouca quantidade e logo passado mal, expelindo todo o conteúdo.

A prefeita de Camamu, no baixo sul da Bahia, Ioná Queiroz Nascimento (PT) teve o registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que determinou que novas eleições sejam realizadas no município. A decisão do órgão foi proferida na sessão de terça-feira (4).

Os ministros do TSE consideraram que ela não poderia ter se candidatado nas eleições de 2016, pois, na data do pleito daquele ano (2 de outubro), ainda estava inelegível em virtude de condenação por abuso de poder econômico na campanha eleitoral de 2008.

Após a decisão, a prefeita divulgou um comunicado em que diz que, mesmo fora do cargo, continuará "lutando com o amor que carrega no peito, pela amada Camamu". Ela ainda diz que "O processo de 2008 acabou e que, agora, ela não carrega mais ele, estando livre, apta, sem qualquer impedimento". Confira abaixo a íntegra do comunicado da prefeita.

A decisão do TSE foi dada na análise de recurso especial eleitoral interposto pela coligação Trabalho e Compromisso (PRB / PP / PMDB / PSL / PR / PEN / PSB / SD / PROS / PSC), pedindo a cassação do registro da candidata.

Por maioria de votos, o Plenário do TSE entendeu que o prazo de oito anos de inelegibilidade imputado a Ioná vigorou até 5 de outubro de 2016, ou seja, até depois do primeiro turno do pleito, ocorrido três dias antes.

Por essa razão, ela não poderia ter tido seu registro de candidatura deferido pelo Tribunal Regional baiano (TRE-BA).

O placar final foi de 6 votos a 1 pelo indeferimento do registro de candidatura da prefeita de Camamu e a consequente realização de um novo pleito no município, que ainda não tem data definida.

Confira íntegra do comunicado divulgado pela prefeita:

"Bom dia meus amigos e amigas!

Ao longo da minha vida venho passando por provações. E quem não as passa?

Deus me deu algo sensacional na minha vida. Muito amor Dele e de muitas pessoas. Esse amor me faz sempre forte para enfrentar as batalhas que se impõem na minha caminhada.

Quero dizer a todo o povo da minha terra que continuarei lutando com esse amor que carrego no peito, pela nossa amada Camamu. Continuarei firme, junto com todos que me colocaram como prefeita para melhorar a vida de uma cidade que vinha sofrendo ao longo da sua existência. Não tem sido fácil para eu trilhar esse caminho, mas faço por amor de verdade.

Muitos perguntam como eu consigo aguentar e sempre respondo: Tenho um Deus tão tremendo que sempre me protege e me fortalece em momentos difíceis e é Nele que confio e entrego minha vida.

Pelo menos uma coisa boa aconteceu. O processo de 2008 se findou e eu agora não carrego mais ele, estou livre, apta, sem qualquer impedimento.

Quero agradecer a tantas mensagens do meu povo, da minha região e do meu Estado. Obrigada de coração por tanta solidariedade. Estarei sempre servindo a minha cidade e a luta continua!

Ioná Queiroz"

Fonte: G1/Bahia

Ad2