Segunda-feira, 28 de Setembro 2020
7:41:05pm
O Jornal da Cidade

O Jornal da Cidade

O principal especialista em emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, disse que era importante para todos os países ter "mensagens consistentes" sobre a pandemia do novo coronavírus e não torná-la um "futebol político". A declaração veio após ser questionado, nesta quinta-feira, 17, sobre comentários contraditórios do presidente Donald Trump e das autoridades de saúde dos Estados Unidos.

Trump se opôs na quarta-feira às declarações do diretor dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, Robert Redfield, que disse que uma vacina para a covid-19 poderia ser amplamente lançada em meados de 2021 e que as máscaras poderiam ser ainda mais eficazes.

"O que é importante é que os governos, instituições científicas, deem um passo para trás, revisem as evidências e forneçam as informações mais abrangentes e fáceis de entender para que as pessoas possam tomar as medidas adequadas", disse Ryan durante evento que marcou o Dia Mundial da Segurança do Paciente. "É entender a confusão, preocupação e apreensão. E não rir disso e não transformar em algum tipo de futebol político."

Proteção para trabalhadores da saúde
Quatorze por cento dos casos globais de covid-19, ou seja, 4 milhões dos 29 milhões confirmados, são de profissionais de saúde, destacou a OMS, nesta quinta, apelando aos governos por maiores esforços para proteger este setor tão atingido pela pandemia.

Em alguns países, esse porcentual chega a 35%, sublinhou o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom, em seu discurso no Dia Mundial da Segurança do Paciente - este ano especialmente dedicado a homenagear os trabalhadores da saúde.

Na maioria dos países, esses profissionais não representam mais do que 2% ou 3% da população total, então os números mostram o alto risco que esses trabalhadores enfrentam. "A covid-19 nos lembrou do papel vital que os trabalhadores da saúde desempenham em salvar vidas", disse Tedros, que afirmou que, na atual pandemia, eles lidam não só com o risco de contágio, mas também de discriminação ou mesmo de ataques verbais ou físicos.

Além disso, segundo a OMS, um em cada quatro profissionais de saúde afirma ter sofrido ansiedade ou depressão durante a pandemia e um em cada três sofreu insônia.

Por ocasião do Dia Mundial, a OMS, em colaboração com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), lançou uma Declaração sobre a Segurança dos Trabalhadores da Saúde que inclui diversos apelos à ação dos governos.

A declaração preconiza, entre outras coisas, o desenvolvimento de programas nacionais de proteção destes trabalhadores, medidas legais que garantam a "tolerância zero" aos ataques aos profissionais do setor, e melhor acesso a serviços de apoio psicológico. (Com agências internacionais).

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou nesta quarta-feira, 16, que a Magalu e outras quatro empresas já manifestaram interesse na privatização dos Correios. De acordo com ele, esse processo está na "ordem do dia" e ocorrerá na gestão de Jair Bolsonaro.

"Já tem cinco players interessados. A Magalu é um deles. O Amazon, a DHL, Fedex... já tem pessoas, grupos interessados na aquisição dos Correios. E isso aí é importante. Nós não teremos um processo de privatização vazio", afirmou o ministro em entrevista a Rafael Ferri, do canal Café com Ferri, citando nominalmente quatro empresas.

De acordo com Faria, quem vai estabelecer as diretrizes e parâmetros da privatização dos Correios é o Congresso Nacional, com base nos estudos de consultoria contratada pelo BNDES. Na entrevista, ele também disse ter pedido celeridade ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) na avaliação sobre a venda de ativos da Oi.

Reformas
Fábio Faria disse ainda acreditar que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), "quer deixar no legado dele a reforma tributária" e aprová-la ainda em seu mandato. O deputado comanda a Casa até fevereiro de 2021. Na avaliação de Faria, será possível aprovar a tributária até a metade do mês de dezembro. "O tempo é o de solucionar o texto do governo e o texto do Congresso", afirmou.

Apesar de representar apenas 13% da população mundial, um grupo de países ricos comprou mais da metade das doses de vacina contra o coronavírus que estão sendo produzidas pelos laboratórios, informa um relatório da ONG Oxfam divulgado nesta quarta-feira (16).

Para chegar a tal conclusão a organização analisou os acordos fechados pelas empresas que desenvolvem e fabricam as cinco principais vacinas contra o coronavírus e que estão atualmente na última fase de testes clínicos: AstraZeneca, Gamaleya/Sputnik, Moderna, Pfizer e Sinovac.

"O acesso às vacinas que salvam vidas não deveria depender de onde se vive ou de quanto dinheiro se tem", declarou Robert Silverman, diretor da Oxfam. "O desenvolvimento e a aprovação de uma vacina segura e eficaz é crucial, mas é igualmente importante garantir que as doses estejam disponíveis para todos. A covid-19 está em todos os lugares", lembrou.

Cálculos da Oxfam apontam que os laboratórios devem produzir cerca de 5,9 bilhões de doses da vacina, o suficiente para imunizar cerca de 3 bilhões de pessoas. Até agora, 2,7 bilhões (51%) das 5,3 bilhões de doses negociadas foram encomendadas por países, territórios e regiões que incluem Estados Unidos, Reino Unido, União Europeia, Hong Kong, Macau, Japão, Suíça e Israel.

As outras 2,6 bilhões de doses foram adquiridas, ou receberam promessas de aquisição, de países em desenvolvimento como Brasil, Índia, Bangladesh, China e México, entre outros. Segundo a Oxfam, uma das principais candidatas, a vacina do laboratório Moderna recebeu pedidos de governos avaliados em US$ 2,5 bilhões, mas a empresa vendeu para os países ricos as opções de compra de toda sua produção.

A ONG pediu que uma "vacina do povo", que seria distribuída gratuitamente e com base nas necessidades de cada país, também seja disponibilizada. "Isso só seria possível se as corporações farmacêuticas permitissem que as vacinas fossem produzidas compartilhando gratuitamente as patentes, em vez de proteger seus monopólios e vender em função da melhor proposta", concluiu. A organização calculou que o custo estimado do suprimento da vacina para cada habitante do planeta é inferior a 1% do impacto previsto na economia mundial pela covid-19.

Dezenas de pássaros silvestres foram resgatados na tarde da quarta-feira (16) na BR-116, em Jequié, na Bahia. Também foram apreendidos galos que seriam usados em rinha. As aves estavam presas em um porta-malas de um Voyage que foi parado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Na abordagem, os agentes fizeram procedimentos de fiscalização com uma revista, quando avisataram gaiolas, galinhas e galos, encobertos e amarrados. Os animais estavam com movimentação limitada, privados de luz e sem circulação de ar, todos sinais de maus-tratos.

A equipe resolveu aprofundar a fiscalização e abriu o porta-malas, encontrando 38 aves silvestres em gaiolas pequenas, em precárias condiç~eos de saúde, sem água, ventilação e higiene. Uma ave já estava morta. Também foram localizadas 39 gaiolas vazias.

O motorista de 44 anos assumiu a responsabilidade pelo tráfico de animais, afirmando não ter autorização para criação nem guia de transporte.

Ele contou que comprou as aves em Pernambuco e as levava para comercialização em São Simão, em Goiás. Cada uma seria vendida a R$ 80.

Um Termo Circunstanciado de Ocorrência foi lavrado. O motorista, que é de São Paulo (SP), vai responder por crime contra o meio ambiente.

Já os pássaros apreendidos foram encaminhados aos cuidados da Secretaria de Meio Ambiente local. Eles passarão por processo de reabilitação e depois serão soltos na natureza.

A Bahia registrou 45 mortes e 2.237 novos casos de covid-19 (taxa de crescimento de +0,8%) nas últimas 24 horas, de acordo com boletim divulgado no final da tarde desta quarta-feira (16).

Ao todo, 2.490 foram consideradas curadas (+0,9%) no mesmo período. Com isso, a queda no número de casos ativos continua, chegando a 6.983.

Dos 287.685 casos confirmados desde o início da pandemia, em março, 274.617 já são considerados curados.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 416 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (28,85%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (6.223,88), Almadina (6.131,04), Itabuna (5.535,99), Madre de Deus (5.210,26), Dário Meira (5.023,34). Apenas Novo Horizonte não tem registros.

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 564.654 casos descartados e 69.822 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quarta-feira (16).

Na Bahia, 24.333 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos
O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 45 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da covid-19.
Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada.

Perfis
O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 6.085, representando uma letalidade de 2,12%. Dentre os óbitos, 55,84% ocorreram no sexo masculino e 44,16% no sexo feminino.

Em relação ao quesito raça e cor, 52,79% corresponderam a parda, seguidos por branca com 16,75%, preta com 15,53%, amarela com 0,84%, indígena com 0,10% e não há informação em 14,00% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 74,68%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (76,08%).

A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

O número de casos de feminicídio no estado aumentou no primeiro semestre de 2020 em comparação com os primeiros seis meses do ano passado. Os números do Monitor da Violência divulgados nesta terça-feira (15), mostram 57 casos este ano contra 48 em 2019.

Os números colocam a Bahia em terceiro lugar no ranking de estados com mais casos de feminicídio em 2020, ficando atrás apenas de São Paulo (88) e Minas Gerais (61).

Em abril a ferramenta já tinha divulgado que o estado tinha registrado a maior quantidade de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) nos dois primeiros meses de 2020.São considerados CVLI os homicídios, feminicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte.

Outros números divulgados pela ferramenta mostram que Bahia teve uma pequena redução en alguns desses delitos. Cairam os números de homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), lesão corporal dolosa em decorrência de violência doméstica, estupro consumado e estupro de vulnerável consumado.

Nos primeiros seis meses de 2020, a Bahia registrou 4.738 casos de lesão corporal dolosa em decorrência de violência doméstica. No mesmo período, em, 2019 foram 5.312.

No caso do estupro consumado, a Bahia foi o 12° estado que mais registrou ocorrências entre janeiro e junho de 2020. Foram 201 casos, contra 274 mesmo periodo do ano anterior.

O Monitor da Violência é uma parceria do Portal G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está com covid-19. Ele recebeu o resultado do exame nesta quarta-feira,16, e disse ao Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) que está bem.

Maia é a terceira autoridade que compareceu à posse do ministro Luiz Fux como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, e que contraiu a doença.

Os ministros Luís Felipe Salomão e Antonio Saldanha Palheiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), também testaram positivo para covid-19 depois do evento.

Com a confirmação, todas as maiores lideranças políticas do País testaram positivo para o novo coronavírus.

O primeiro foi o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), seguido pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e Fux.

Um presidiário comandava, de dentro do Complexo Penitenciário da Mata Escura, cerca de 30% dos roubos de veículos na capital baiana e Região Metropolitana. Ele foi identificado na operação batizada de 'ZapCar', realizada pelas forças das Secretarias da Segurança Pública (SSP) e de Administração Penitenciária (Seap), nesta terça-feira (15).

Dez celulares, acessórios e faca foram apreendidos, no início da noite desta terça-feira (15), em celas do prédio principal do presídio de Salvador. As equipes também localizaram duas baterias, cinco carregadores, seis fones, dois USB, uma faca e anotações diversas.

De acordo com o coordenador de Inteligência Prisional da Seap, Cyro Freitas, os criminosos, que já estão presos pelo mesmo delito, indicavam os veículos a serem roubados para serem fraudados e depois comercializados como lícitos através de aplicativos de mensagens.

O comandante de Policiamento Especializado (CPE), coronel Sérgio Freire, revelou que, em agosto, um comparsa dos criminosos foi alcançado por equipes da Operação Apolo enquanto fazia uma chamada de vídeo com o preso. “Ele pegava orientações sobre o destino que deveria dar para veículo roubado”, detalhou.

Os presidiários foram transferidos para uma unidade com maior segurança para recebimento de presos de alta periculosidade.

Integraram a operação coordenada pelo Grupo de Segurança Institucional (GSI) da Seap, policiais do Batalhão de Guardas (BG), da Operação Apolo, ambas da Polícia Militar, e da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) da Polícia Civil.

Quarta, 16 Setembro 2020 12:22

A vantagem de virar bicho

Lendas de homens e deuses que se transformam em bichos povoam várias mitologias. Na grega, esse era um dos recursos preferidos de Zeus para seduzir suas conquistas. Algumas escapadas do chefe do olimpo mostram esse artifício como no episódio em que ele virou um touro para atrair Europa e num Cisne para seduzir Leda.

Noutra ocasião, transformou a amante em carneiro parta escondê-la da esposa, Hera. Certa feita Zeus também se apaixonou por Ganimedes, príncipe troiano e se metamorfoseou em uma águia para raptá-lo. Na Amazônia, a lenda do boto rosa trata de estratégia semelhante. A entidade sobrenatural do rio se transforma em homem para engravidar as mulheres ou aparece em forma de mulher para levar os homens a uma aldeia no fundo das águas.

Existem duas lendas desse tipo de transformação originária do período da escravidão que não tratam de sedução. Ao contrário reforçam o caráter infame do comércio de seres humanos. O historiador português Antonio de Oliveira Cadornega, radicado em Angola no século 17, conta que nas veredas do reino do Congo, na África, havia uma raça de macacos que procurava mulheres para se acasalar e dessa união nascia um ser híbrido, com mais característica de humano que de animal, inclusive com a habilidade de falar. No entanto, ao perceber que se começasse a falar seria capturado, transformado em escravo e deportado para o Brasil, essa raça permaneceu calada, fingindo ser macaco para escapar da escravidão.

Um padre se refere a lenda semelhante, um século depois, que ocorreria na Amazônia. Tribos da região garantiam que existiam macacos amazonenses semelhantes a pessoas e, do mesmo modo como seus parentes do Congo, não falavam justamente para escapar da escravidão evitando atuar num trabalho compulsório e penoso existente na região, realizado pelos índios: ser remador nas canoas dos homens brancos.

O grande jurista Sobral Pinto nos deu exemplo significativo de que às vezes é vantajoso o homem virar bicho. Embora crítico do regime comunista, aceitou ser o advogado dos comunistas Luiz Carlos Prestes e Harry Berger, presos pela ditadura de Getúlio Vargas. Como Berger tinha sido barbaramente torturado, apresentou uma petição no Tribunal de Segurança Nacional exigindo a aplicação do artigo 14 da Lei de Proteção aos Animais para que o prisioneiro tivesse um tratamento minimamente adequado.

 

WhatsApp Image 2020-03-10 at 19.17.21

Biaggio Talento é jornalista, e colaborador do O Jornal da Cidade.

Um menino de 1 ano e 8 meses residente do povoado de Lagoa do Boi, no município de Araci, morreu e outras 21 pessoas da mesma localidade foram internadas com suspeita de contaminação pela água, segundo a Secretaria de Saúde da cidade que fica no Nordeste da Bahia. Dos internados, 19 são pacientes infantis e dois são adultos. Já receberam alta seis crianças.

Amostras do líquido são analisadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa).

Os casos começaram a aparecer na última quarta-feira (9), quando o bebê de um ano foi levado para o hospital passando mal. O menino chegou a ser encaminhado para o Hospital Estadual da Criança, em Feira de Santana, mas acabou morrendo no trajeto. Os sintomas da suposta contaminação são vômito, diarreia, dores abdominais e febre.

Novos casos foram descobertos com a visita de agentes da pasta da saúde ao povoado de Lagoa de Boi, na última sexta (11), onde foram identificadas outras nove crianças com sintomas. Os outros casos deram entrada com o decorrer dos dias. O Hospital Estadual da Criança recebeu 11 pacientes infantis, dos quais seis já tiveram alta. Outras 8 crianças estão hospitalizadas na rede de saúde do próprio município.

Ainda são 22 adultos doentes, a maioria com sintomas leves. Apenas dois estão internados no Hospital Português, em Salvador. Equipes de saúde da família do município acompanham a situação em Lagoa do Boi.

A pedido da prefeitura, o abastecimento de água nos povoados de Lagoa do Boi, Lagoa dos Cavalos e Jurema foi suspenso na sexta. Por causa da suspensão da água, foram disponibilizados carros-pipa para abastecer os moradores da região.

Ao fim das investigações e com o retorno de operação do sistema, o prazo de regularização do abastecimento é de 24h nos três povoados afetados.

Análises
Os testes realizados em amostras coletadas na região pela Embasa descartam a contaminação da água com microrganismos nocivos à saúde e que ofereçam riscos à população. A companhia pública informa que o abastecimento permanece suspenso até que sejam concluídas todas as análises previstas pela legislação de potabilidade da água. Já o Lacen recebeu as amostras do líquido nesta terça-feira (15) e deve obter os resultados em até uma semana.

O município espera o resultado do Lacen para confirmar ou descartar a suposta causa das enfermidades, informa a secretária de saúde do município, Ana Ofélia Marques. A água é apontada como a causadora do mal estar por ser o único vínculo entre os doentes.

“Após a investigação da vigilância epidemiológica e sanitária sobre a fonte da contaminação, identificamos que o único produto comum entre os infectados é a água. Coletamos amostras da água, que foram enviadas ao Lacen”, afirma a secretária de saúde de Araci.

Em nota, a Embasa ressalta que sua responsabilidade se limita à água distribuída pela empresa, “que esta água passa por controle de qualidade criterioso”. “Vale destacar que o manancial de onde a Embasa capta água para abastecer Lagoa do Boi, tem água de excelente qualidade que também abastece cerca de 50 localidades nos municípios de Araci, Tucano e Santaluz e em nenhuma delas foi registrada qualquer anormalidade que coloque em risco a saúde da população”, completa a companhia.