Quinta-feira, 28 de Maio 2020
11:16:55am
Camaforró 2020 e São joão de mais 12 cidades é cancelado por conta da pandemia do novo coronavírus

Camaforró 2020 e São joão de mais 12 cidades é cancelado por conta da pandemia do novo coronavírus

A Prefeitura de Camaçari cancelou o Camaforró 2020 por conta da pandemia do novo coronavírus. A decisão foi feita com base nas orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), que entende a necessidade de eliminar situações de aglomeração como forma de controlar a disseminação da Covid-19. A mesma medida tem sido adotada por diversas cidades baianas e de vários estados do país.

De acordo com o prefeito, Elinaldo Araújo, o evento não é só festa e folia, é geração de emprego e renda para nosso povo. “Lamento a decisão e sei que ela afetará a renda de muitas famílias que tiram o sustento trabalhando nas festas da cidade, mas neste momento, a medida é necessária para salvar vidas. Estamos ampliando esse cuidado agora, porque entendemos a gravidade da pandemia da Covid-19”, diz.

Outras cidades

As prefeituras de pelo menos 12 cidades baianas decidiram cancelar suas tradicionais festas de São João 2020 em meio ao cenário de pandemia pelo novo coronavírus. Primeiros municípios a suspenderem os festejos, Conceição do Almeida e Vitória da Conquista fizeram seus anúncios no mês passado. Nesta segunda-feira (6), outras 10 cidades assinaram um termo conjunto de não realização dos seus eventos.

Conhecidas por suas grandes festas, as prefeituras de Amargosa, Ibicuí, Senhor do Bonfim, Irecê, Miguel Calmon, Seabra, Itaberaba, Piritiba, Cruz das Almas e Santo Antônio de Jesus entraram em acordo de cancelamento.

Prefeito de Ibicuí, Marcos Galvão (PSD) falou ao CORREIO que os gestores destas cidades resolveram se unir quando viram a necessidade de tomar uma decisão sobre o assunto, já que as festas costumam ser realizadas em junho, portanto, daqui a pouco mais de dois meses.

“Tínhamos que tomar uma decisão em conjunto. Por ser uma decisão controversa, já que existem pessoas que discordam [da não realização], nós criamos um grupo no WhatsApp e fomos amadurecendo até chegarmos no acordo de assinar o documento e anunciar em conjunto o cancelamento”, explicou Galvão.

Para embasar a medida, os prefeitos consideraram as recomendações do Ministério da Saúde quanto à necessidade de se manter o isolamento social até que a pandemia esteja sob controle.

Além disso, os gestores levaram em conta o alerta sobre o pico de casos de contaminação na Bahia, previsto para o mês de maio e junho, assim como o decreto de estado de emergência no estado.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.