Quinta-feira, 3 de Dezembro 2020
8:31:54pm
Réveillon de Salvador terá transmissão da Globo, com lives de Ivete e Gusttavo Lima

Réveillon de Salvador terá transmissão da Globo, com lives de Ivete e Gusttavo Lima

O tradicional Réveillon de Salvador, o Festival Virada, não será realizado esse ano por causa da pandemia do novo coronavírus. No lugar, a prefeitura municipal irá promover uma festa de virada, no dia 31 de dezembro, com apresentações de Ivete Sangalo e Gusttavo Lima.

O cenário será o Forte de São Marcelo, na Baía de Todos os Santos, e o evento, sem público, terá transmissão da Rede Globo, que, na ocasião, estará promovendo o “Show da Virada”. O prefeito local, ACM Neto, deverá anunciar detalhes nos próximos dias. Procurado pelo site Alô Alô Bahia, evitou falar sobre o assunto.

Itens relacionados (por tag)

  • Brotas e Pituba têm 55 casos de covid detectados em 1º dia de testes

    O primeiro dia com a volta dos testes rápidos para detectar covid-19 na Pituba e Brotas teve 55 casos positivo, segundo balanço divulgado pela prefeitura nesta quinta-feira (3). Foram feitos ontem 137 testes em Brotas, com 44 pessoas com resultado positivo. Na Pituba, foram 150 testes, com 11 resultados positivos. Os testes vão continuar sendo feitos diariamente por unidades móveis no fim de linha de Bortas e na Praça Ana Lúcia Magalhães, a partir das 8h.

    Os testes devem ajudar a evitar a segunda onda da pandemia em Salvador, permitindo identificação de doentes para que cumpram o isolamento social e não disseminem a covid. O procedimento é feito através de uma punção digital (furo no dedo) após o paciente fazer um cadastro, e o resultado é encaminhado até as 18h do mesmo dia por meio de mensagem de texto para o celular da pessoa.

    Em caso de resultado positivo para o coronavírus, o cidadão é orientado a fazer o isolamento e a contraprova. Por meio do teste é possível identificar se a pessoa já teve a doença e se ainda está com ela.

    A retomada ocorre nesses bairros, devido ao número crescente de casos do novo coronavírus. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), entre os dias 24 e 30 de novembro foram contabilizados 113 novos casos em Brotas e 167 na Pituba. Outros bairros que apresentem alto índice de casos também podem receber as medidas no futuro.

    Mais ações
    Além dos testes, equipes da Limpurb fazem a desinfecção das ruas da Pituba e de Brotas com solução de hipoclorito de sódio e água e a Prefeitura-Bairro de cada região está distribuindo máscaras de proteção para a população. Segundo a gestão de cada Prefeitura-Bairro, cerca de 5 mil máscaras de tecido devem ser distribuídas ao longo dos sete dias de medidas de proteção à vida.

    Além das ações nos bairros, a população pode fazer o teste em postos de saúde e em todas as 40 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs e PAs) da cidade. Desde o dia 28 de setembro, apenas as unidades básicas de saúde já realizaram 1.847 testes rápidos. Desse total, 269 exames tiveram resposta positiva para a doença.

    Desde o início da pandemia, a SMS realizou 218.909 testes para detecção da doença . De acordo com dados obtidos no portal da Transparência da SMS, que mostra índices relacionados à covid-19, nesta quinta-feira (3) há 98.940 casos confirmados da doença na capital baiana, entre os quais 95.681 casos já estão curados.

  • Pós-pandemia: 62% dos soteropolitanos temem aumento do trânsito, diz pesquisa

    Em Salvador, cerca de 62% das pessoas estão preocupadas com o aumento do trânsito no pós-pandemia da covid-19. O dado é apontado pela pesquisa do Datafolha, encomendada pela empresa de mobilidade urbana 99. A pesquisa de percepção da população de Salvador (BA) sobre o uso de aplicativos, hábitos individuais de transporte e integração dos modos de transporte também revela que 38% dos soteropolitanos estão insatisfeitos com a mobilidade urbana de maneira geral, 37% a consideram regular e outros 25% acham ótima ou boa.

    De acordo com o gerente de Políticas Públicas da 99, Rodrigo Ferreira, a maior preocupação das pessoas entrevistadas na pesquisa é o aumento do número de carros nas ruas, principalmente com o medo da utilização do transporte público por causa da contaminação do novo coronavírus.

    "Aí entra a importância dos aplicativos de mobilidade, já que eles reduzem a necessidade de se ter um carro próprio e possibilitam que as pessoas se locomovam neste período de insegurança. Sem um automóvel particular, além de economizar espaços urbanos de estacionamentos, as pessoas continuarão com um comportamento mais multimodal, o que reduz os congestionamentos", diz o gerente. Ele acrescenta que a redução de congestionamentos passa por incentivos a integrações entre diferentes modais. "Táxis, carros particulares, ônibus, metrô, bicicleta entre outros, [para facilitar o direito de ir e vir dos brasileiros, principalmente nas periferias", fala.

    Como solução para melhorar esse quadro, 56% dos entrevistados acreditam que o uso de veículos particulares piora a mobilidade urbana e, consequentemente, 58% defendem que a existência de carro por aplicativo diminui a necessidade de ter veículo próprio. Ainda como alternativa para evitar a volta aos congestionamentos pré-pandemia, 79% acreditam que os aplicativos de mobilidade colaboram com a fluidez do trânsito em Salvador.

    “A sociedade enxerga os carros compartilhados como ferramentas essenciais para contornar os gargalos da mobilidade em grandes cidades, como Salvador. Dessa maneira, os dados dessa pesquisa mostram que, cada vez mais, os aplicativos devem se integrar aos modos de transporte nas grandes cidades para termos uma mobilidade mais efetiva e inclusiva”, afirma Ferreira.

    Com um esforço para viabilizar soluções para esta questão, Ferreira diz que a empresa busca fomentar discussões sobre mobilidade urbana e contribuir com o debate da multimodalidade nos centros urbanos, principalmente com incentivos aos transportes coletivos, ativos e compartilhados. "Essa pesquisa com o Datafolha é mais exemplo desse esforço, já que com ela em mãos é possível pensar o presente e o futuro das cidades com mais clareza . A empresa também procura manter boas relações com agentes da esfera pública e sociedade civil, aberta para conversas que colaborem com a integração do sistema de mobilidade das cidades, incentivem o comportamento multimodal e contribuam para maior democratização do acesso à cidade", conta.

    Renda e economia
    Outro dado importante foi apontado pela pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisa Econômicas (Fipe), ele mostra que a 99 adicionou indiretamente R$ 180 milhões ao PIB da capital baiana em 2019, o que agregou 0,29% ao PIB local no ano. Isso foi responsável pela geração do equivalente a cerca de dois mil empregos no ano apenas na cidade.

    É a primeira vez que a Fipe analisa o impacto socioeconômico da 99 no Brasil. O estudo se baseia em dados da plataforma sobre as operações no país, dados do IBGE e análises anteriores produzidas pelo corpo técnico da fundação.

    Boa parte dos efeitos positivos gerados na economia pela presença da 99 vem dos gastos das famílias dos motoristas que geram renda por meio do aplicativo de maneira complementar ou principal. Essa movimentação econômica estimula a cadeia produtiva e seus efeitos indiretos, o que consequentemente aumenta o índice de empregos gerados.

  • Réveillon: prefeitura não terá gastos com cachês de Ivete e Gusttavo Lima

    O prefeito ACM Neto garantiu nesta quarta-feira (2) que não gastará um único real de dinheiro público com os cachês dos artistas que se apresentarão na festa online do reveillón de Salvador.

    Ivete Sangalo e Gusttavo Lima serão as atrações da virada do ano. Os artistas se apresentarão no Forte São Marcelo, para evitar aglomerações, em evento será transmitido através dos canais digitais da prefeitura e pela TV Globo e pelo Multishow, das 22h às 2h.

    "Gustavo e Ivete são, hoje, duas das maiores atrações do Brasil. Ambos reunidos, tocando na virada do ano em Salvador, em uma festa totalmente segura, feita para que as pessoas fiquem em casa, e transmitida ao vivo. Os cachês dos artistas estão sendo 100% bancados pela iniciativa privada, a prefeitura está gastando zero. Ah, Gusttavo Lima custa R$ 1 milhão? Ivete custa R$ 1 milhão? É o preço deles de mercado. O que importa é que a prefeitura correu atrás de patrocínio para que não houvesse um centavo de dinheiro público colocado no pagamento do cachê deles. Ponto", explicou.

    O prefeito criticou ainda quem tem feito ataques à prefeitura por contratar artistas de ponta para o evento. "O resto é dor de cotovelo, é inveja. São pessoas que pensam pequeno e torcem contra a cidade. Vamos ter o maior evento do Brasil, que vai ser acompanhado pelo mundo inteiro. Façam a conta e vejam o que representa isso, em termos de promoção para a cidade. Estamos falando de economia, de perspectiva para Salvador, sobretudo num momento como esse, que não teremos Carnaval, Lavagem do Bonfim. Me orgulho muito de eestar fazendo o maior reveillon do Brasil".

    Por fim, Neto citou ainda que não contratou apenas artistas baianos porque já é tradição da festa de fim de ano baiana ter artistas do Brasil inteiro. A medida é adotada sempre no Carnaval, quando a prefeitura banca apenas cantores locais.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.