Segunda-feira, 6th Abril 2020
7:15:34pm
O Jornal da Cidade

O Jornal da Cidade

O escritório artístico Work Show, promete 7 horas de muita música com um Festival ao vivo online reunindo grandes nomes da música brasileira na atualidade.

Após o sucesso das lives de Gusttavo Lima e Jorge & Mateus, o escritório convocou Marília Mendonça, Léo Santana, Maiara e Maraisa, Dilsinho, Luiza e Maurilio, Diego e Victor Hugo, Paulo e Natan e João Neto e Frederico para um mega show no dia 17 de abril.

O evento vai acontecer da casa de cada artista e será transmitido no Youtube simultaneamente. Os shows tem início a partir das 19h.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi demovido da ideia de "usar a caneta" e demitir o seu ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, nesta segunda-feira (6). Segundo informações do site da Revista Veja, o recuo vem após uma forte articulação de militares ligados ao Planalto.

O líder do Executivo nacional já tinha se decidido pela exoneração do principal nome do governo no combate ao coronavírus, mas no final da tarde foi convencido pelos ministros Walter Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Governo), ambos militares, de que a melhor decisão seria manter o ministro por ora. Apesar disso, a possibilidade de exoneração continua forte.

Nos últimos dias, Mandetta travou uma guerra de declarações com Bolsonaro principalmente por causa da questão da quarentena ampla, que o ministro e as principais autoridades de saúde do mundo defendem, entre elas a Organização Mundial da Saúde (OMS), que lidera os esforços mundiais de combate à pandemia.

Bolsonaro prefere flexibilizar o isolamento social por acreditar que isso vai “quebrar” a economia do país e provocar caos social, o que pode ferir de morte o seu governo.

Caso Mandetta caia depois, os mais cotados para assumir a vaga são o deputado federal Osmar Terra, ex-ministro da Cidadania; a imunologista e oncologista Nise Yamaguchi, diretora do Instituto Avanços em Medicina; e o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres.

Osmar Terra, inclusive, já teria ligado para os governadores para anunciar a decisão do presidente. Ministro da Cidadania até fevereiro passado, ele tem defendido nos últimos dias posição contrária à de Mandetta na questão do isolamento social – alega que a medida não resolve e pode prejudicar a economia, mesma tese defendida pelo presidente.

Barra Torres também pensa como Bolsonaro e chegou a acompanhá-lo no dia em que ele cumprimentou apoiadores em frente ao Alvorada durante as manifestações de 15 de março. Já Yamaguchi é defensora do uso da cloroquina no tratamento do coronavírus, esperança de Bolsonaro para reduzir a letalidade da doença, embora ainda não haja comprovação da eficácia do medicamento.

Como se não bastasse a guerra quase declarada entre presidente e ministro, a mais recente pesquisa Datafolha havia apontado que entre os brasileiros que declararam ter votado em Jair Bolsonaro no segundo turno da última corrida presidencial, 82% classificaram como ótimo ou bom o trabalho da pasta comandada pelo médico e deputado licenciado Mandetta, que é filiado ao DEM.

Morreu na noite desde domingo (05), vítima da covid-19, a fisioterapeuta Viviane Albuquerque. A vítima, que é de Recife, estava grávida de 7 meses (31 semanas) no momento da morte. Segundo o Uol, o bebê foi retirado em procedimento cesariano na madrugada de ontem e está internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em estado grave.

Foi o primeiro óbito de uma gestante por causa do novo coronavírus em Pernambuco. O mais recente boletim da secretaria de Saúde do estado informa 201 casos confirmados da doença e 21 mortes até esta tarde.

Ainda de acordo com o UOL, Viviane estava internada com quadro de tosse e febre desde o início da semana. Na segunda-feira, ela fez o teste para coronavírus e, na quinta-feira (02), recebeu o resultado positivo do exame. No mesmo dia, foi levada para a UTI.

No sábado (4), ela precisou ser entubada. Devido à gravidade do caso, os médicos decidiram fazer a cesárea e retirar o bebê na madrugada. Ainda não se sabe se a criança também foi infectada.

Segundo relatos de amigos, Viviane era saudável, fazia academia com frequência e atuava como profissional da saúde. Na última postagem que fez, no dia 25 de março, ela publicou uma foto em preto e branco no Instagram segurando a barriga, quando estava com 30 semanas de gestação.


O prazo de desincompatibilização eleitoral levou à troca de secretariado em algumas pastas da prefeitura de Salvador. Com as mudanças, publicadas em edição extra do Diário Oficial do último sábado (4), a secretarias de Cultura e Turismo (Secult), Trabalho, Esporte e Lazer (Semtel), Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis) e Ordem Pública (Semop) passam a ser chefiadas por novos nomes.

Antes chefiada por Felipe Lucas, a Semop volta ao comando de Marcus Vinícius Passos. O gestor esteve à frente da Semop entre janeiro de 2017 e fevereiro de 2019, quando deixou o cargo para assumir a presidência da Limpurb. A partir de agora, ele acumula as duas funções.

A Secis, na qual esteve à frente André Fraga, passa a ter como titular seu antigo subsecretário, o engenheiro ambiental João Resch Leal. Pós-graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho e especialista em Gerenciamento de Resíduos Sólidos, Leal está na prefeitura desde 2013, quando exerceu o cargo de diretor-geral de Ecologia Urbana da Secis.

A partir da segunda gestão do prefeito ACM Neto, foi convidado apra assumir a subsecretaria. “Vamos tentar concluir este ano importantes entregas, como a requalificação do Jardim Botânico e o Plano Municipal de Adaptação e Mitigação de Mudanças Climáticas”, revelou.

A Secult também será comandada pelo seu subsecretário, o ex-deputado estadual Pablo Rodrigo Barrozo. Formado em Direito e pós-graduado em Planejamento Urbano e Gestão de Cidades, o novo titular da Cultura promete estreitar diálogo com setores produtivos para superar os prejuízos causados pelo novo coronavírus.

“Sei da importância da cultura e turiso como gerador de emprego e renda para nosso município, e iremos ter o máximo de diálogo com esses setores. Vamos trabalhar para superarmos esse momento unido, para que venhamos a sair dele mais fortes. Todos os projetos e ações que formos pautar serão baseados nessa determinação”, afirmou o secretário.

A Semtel também passa por mudanças. Sai Alberto Pimentel para assumir o Sildevan Nóbrega. O novo secretário é formado em Educação Física e bacharel em Direito; foi vereador de 2005 a 2012 e deputado estadual de 2011 a 2019.

Outras mudanças

Também passa por mudança de comando a Guarda Civil Municipal. Com a saída de Alysson Carvalho, assume Marcelo Silva que há dois anos atuava como gerente de Operações. O novo inspetor da GCM é formado em Educação Física, tem pós-graduação em Exercícios Físicos Aplicados à Reabilitação Cardíaca e Grupos Especiais e é bacharel em Direito.

A Companhia de Governança Eletrônica (Cogel) deixa de ser chefiada por Alberto Braga para ser conduzida agora por Cláudio Maltez, diretor Técnico e de Infraestrutura. A Diretoria de Ações de Proteção e Defesa do Consumidor (Codecon) também sofrerá mudanças, mas o novo titular será revelado nos próximos dias.

O presidente Jair Bolsonaro deve demitir o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ainda nesta segunda-feira (6). Segundo o jornal O Globo, o ato de exoneração de Mandetta já está sendo preparado. A demissão virá em meio à crise do coronavírus, que exacerbou diferenças entre o presidente e o ministro. O jornal afirma que a expectativa é de que a decisão saia em uma edição extra do Diário Oficial da União, após reunião entre Bolsonaro e todos os ministros, marcada para 17h.

O nome mais cotado para o lugar de Mandetta é o do deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), ex-ministro da Cidadania, que é médico. Ele almoçou com Bolsonaro e mais quatro ministros nesta segunda, no Palácio do Planalto.

Auxiliares do presidente contaram ao jornal que a permanência de Mandetta foi ficando insustentável por conta de suas críticas à postura de Bolsonaro em relação à pandemia. O próprio presidente afirmou que faltava humildade em Mandetta, depois que o ministro defendeu novamente o isolamento social como maneira mais eficaz de combater o novo coronavírus.

Bolsonaro é crítico dessa posição, afirmando que é uma medida radical que implica em prejuízo econômico - a crise poderia ser pior do que a pandemia, avalia. Osmar Terra tem usado as redes sociais para defender o chamado "isolamento vertical", em que apenas os grupos de riscos ficariam em casa.

No domingo, sem citar nomes, Bolsonaro disse que alguns do seu governo "de repente viraram estrelas e falam pelos cotovelos". Disse ainda que não tem "pavor" de usar a caneta quando necessário, sinalizando uma exoneração.

A aliados, Mandetta vem dizendo que não vai se demitir e que uma saída sua dependeria de demissão de Bolsonaro. Afirmou que não vai "abandonar o paciente".

Ainda segundo O Globo, o presidente teve na última semana três audiências com a participação de Terra no Palácio do Planalto, a primeira com o ministro-chefe da Casa Civil , Walter Braga Netto, e as outras duas com dez médicos, para discutir o uso da hidroxicloriquina no tratamento de infectados com a covid-19. Mandetta não foi convidado.

O ministro da Saúde se refereriu a Terra como "Osmar Trevas" em grupo do WhatsApp do DEM, seu partido, em seu único comentário por lá durante a crise do coronavírus.

'Dormindo'
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), se esquivou dos recados do presidente Jair Bolsonaro dados neste domingo, 5, que sinalizou que poderia demitir do governo quem está "se achando". Questionado pela reportagem cerca de uma hora após as declarações, Mandetta afirmou que ainda não tinha visto a frase. "Eu estou dormindo", disse, parecendo bocejar ao telefone. "Amanhã eu vejo, tá?", completou, antes de encerrar a ligação.

Bolsonaro disse a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada que "algo subiu na cabeça" de alguns de seus subordinados, mas que a "hora deles vai chegar". "A minha caneta funciona", afirmou Bolsonaro. "Algumas pessoas no meu governo, algo subiu a cabeça deles. Estão se achando. Eram pessoas normais, mas de repente viraram estrelas. Falam pelos cotovelos. Tem provocações Mas a hora deles não chegou ainda não. Vai chegar a hora deles. A minha caneta funciona. Não tenho medo de usara a caneta nem pavor. E ela vai ser usada para o bem do Brasil, não é para o meu bem", disse Bolsonaro.

Mandetta e Bolsonaro têm divergido sobre estratégias de isolamento da população contra o novo coronavírus. O ministro defende uma ação mais ampla, para evitar aglomerações e estimular redução de fluxo urbano, com medidas como trabalho em home office e fechamento do comércio em locais com grande número de casos. Já Bolsonaro defende um "isolamento vertical" em que sejam afastadas pessoas acima de 60 anos ou que apresentem outras doenças.

Bolsonaro escancarou descontentamento com Mandetta na última semana. O presidente disse que falta "humildade" ao ministro e, embora tenha afirmado que não pretende dispensá-lo "no meio da guerra", ressaltou que ninguém é "indemissível" em seu governo. O protagonismo do auxiliar diante da crise envolvendo a pandemia do coronavírus já vinha incomodando o presidente há algum tempo. Questionado pelo jornal O Estado de S. Paulo sobre as declarações de Bolsonaro, feitas na última quinta-feira, 2, Mandetta respondeu: "Trabalho, lavoro, lavoro", repetindo a palavra que significa "trabalho" em italiano.

No dia seguinte às declarações do chefe, Mandetta disse que continuaria no governo, afirmando que um médico não abandona o seu paciente.

A Bahia registra 431 casos confirmados do novo coronavírus (covid-19). Segundo a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), até o momento, são dez óbitos confirmados e 1.914 casos descartados. Das mortes, oito foram notificadas em Salvador, uma em Utinga e outra em Itapetinga.

Este número contabiliza todos os registros de janeiro até as 12 horas desta segunda-feira (6). Ao todo, 83 pessoas estão recuperadas e 46 encontram-se internadas, sendo 26 em UTI.

Estes números representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.

Sem casos em Ouriçangas
Diferente do divulgado anteriormente, o município de Ouriçangas não possui casos positivos de covid-19. Houve uma retificação na ficha de notificação do paciente, pois o mesmo reside em Salvador.

A Sesab ressalta ainda que os pacientes são responsáveis pelo correto preenchimento dos dados a fim de que as autoridades sanitárias façam as investigações epidemiológicas no tempo mais breve possível.

Ressaltamos que os números são dinâmicos e, na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação. Outras informações em www.saude.ba.gov.br/coronavirus.

Um novo boletim com a descrição detalhada do local de ocorrência dos casos será publicado nesta segunda-feira (6), a partir das 17h.

Fonte: Correio*

A décima morte por covid-19 na Bahia foi confirmada pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) nesta segunda-feira (6). A vítima é uma idosa de 62 anos, que estava internada no Instituto Couto Maia, em Salvador, referência no combate à doença no estado.

Ela estava internada desde o dia 25 de março e morreu na última sexta (3), mas o resultado que confirmou o diagnóstico da doença só foi divulgado hoje.

Segundo a Sesab, a idosa tinha hipertensão, obesidade e histórico de pneumopatia não especificada.

Com isso, sobe para oito o número de mortes por coronavírus em Salvador. A Sesab também registrou mortes em Utinga e em Itapetinga.

Outros casos
A última morte confirmada tinha sido nesse domingo (5), também em Salvador. A vítima foi um idoso de 87 anos, que tinha Alzheimer e foi internado em estado grave em um hospital público na capital baiana em 3 de março com quadro de insuficiência respiratória.

O vice-presidente da Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Apcef-BA), Luiz Batista Felipe Filho, morreu, aos 55 anos, neste sábado (4), vítima da covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus. O bancário estava internado no Hospital Aeroporto, em Lauro de Freitas, e é o 8º morto pela doença no estado.

Neste domingo (5) pela manhã, o Sindicato dos Bancários da Bahia lamentou a morte de Luiz Batista, que era bancário e trabalhava na Caixa há 31 anos.

Mortes por coronavírus na Bahia
29/3 - Homem de 74 anos (Hospital da Bahia, em Salvador)
30/3 - Homem de 64 anos (Hospital Aliança, em Salvador)
1/4 - Mulher de 28 anos (UPA, em Itapetinga)
2/4- Homem de 88 anos (Hospital da Bahia, em Salvador)
3/4 - Homem de 79 anos (Cardiopulmonar, em Salvador)
3/4 - Mulher de 41 anos (Couto Maia, em Salvador)
3/4- Homem de 80 anos (Utinga)
4/4 - Ex-gerente da Caixa Econômica, 55 anos (Hospital Aeroporto, em Lauro de Freitas)
5/4 - Idoso de 87 anos (Salvador)
6/4 - Idosa de 62 anos (Instituto Couto Maia, Salvador)

Dois homens suspeitos de tráfico de drogas e crime contra a criança foram flagrados, no sábado (4), pelo sistema de Reconhecimento Facial da Secretaria da Segurança Pública. Os foragidos da Justiça acabaram capturados em dois pontos de Salvador.

Com mandados de prisões expedidos pela 1ª Vara de Tóxicos e pela 2ª Vara dos Feitos Relativos aos Crimes Praticados Contra Criança e Adolescente, os homens foram percebidos pelas câmeras inteligentes. O sistema apontou semelhanças superiores a 90%.

Guarnições da PM mais próximas dos locais foram acionadas por equipe da Superintendência de Telecomunicações (Stelecom) da SSP. A dupla foi abordada e conduzida até a Central de Flagrantes, onde as ordens judiciais terminaram cumpridas.

Com os dois flagrantes, o Reconhecimento Facial alcançou a marca de 192 foragidos capturados, destes, 82 no ano de 2020.

Fonte: SSP/Ba

Os bairros de Salvador que mais têm sofrido com a falta de abastecimento de água, realizado pela administração estadual através da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), vão ganhar um importante apoio para a oferta do recurso, principalmente neste período de enfrentamento ao coronavírus. Um acordo de cooperação entre a Prefeitura e o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) vai possibilitar a distribuição de quatro mil caixas d'água nas comunidades. O termo foi assinado nesta segunda-feira (6) pelo prefeito ACM Neto e pelo coordenador do Dnocs na Bahia, Lucas Lobão, no Palácio Thomé de Souza.

O material será disponibilizado pelo órgão federal, vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Regional. A distribuição dos reservatórios será feito através de levantamento da Secretaria Municipal de Articulação Comunitária e Prefeituras-Bairro, em conjunto com a Embasa, para identificação das localidades mais afetadas pela falta de abastecimento. As caixas d'água são de polietileno, possuem tampa e capacidade para 500 litros.

O prefeito salientou que, mesmo o serviço de distribuição de água sendo de atribuição estadual, a Prefeitura e o Dnocs estão dando esse apoio para garantir que os cidadãos possam ter acesso ao recurso diante da pandemia da Covid-19.

"Neste momento de combate ao coronavírus, não dá para pedir às pessoas que lavem as mãos, que se mantenham asseadas faltando água. Então, foi feito esse acordo de cooperação com o Dnocs e, a partir de agora, serão levadas essas caixas d'água aos bairros mais pobres, que estão sofrendo com esse problema de desabastecimento. Assim, espera-se, provisoriamente, dar uma solução pra a família para que ela tenha condições de ter água na sua residência", afirmou ACM Neto.

O coordenador do Dnocs na Bahia explicou a motivação para a distribuição dos reservatórios. "O órgão vinha sendo demandado por associações de moradores por conta da falta de abastecimento de água. Nós, sensíveis à questão do coronavírus, entendemos que o know-how da Prefeitura com relação à área social, através da descentralização por meio das Prefeituras-Bairro, poderia nos ajudar para, de maneira organizada, ajudar na entrega dessas caixas d'água e, assim, na higienização dessa população mais carente", disse Lucas Lobão.

Fonte: Secom/Salvador

A noite foi agitada no BBB20. Paredão, prova do líder e novo paredão. Não deu nem tempo para os confinados respirarem.

Logo no começo do programa, os brothers foram surpreendidos por Tiago Leifert, que iniciou o program mais cedo, para anunciar a eliminação de Gabi Martins, com 59,61%. Ela disputou a permanência na casa com Thelma (36,28%) e Babu (4,11%).

Gabi saiu chorando da casa. "Meu coraçãozinho está bem triste, mas eu estou mandando toda a energia positiva para eles. Eu acho que, às vezes, eu não conseguia expressar tão bem o que eu sentia", disse à Leifert logo após deixar o confinamento.

Depois da saída da sister foi realizada uma nova prova do líder. Thelma fez a maior pontuação e se consagrou líder, indicando Flayslane ao paredão.

A votação nesse domingo foi diferente. Os participantes tiveram de se dividir em dois grupos. Com eles já separados, o apresentador anunciou que o confinado de um grupo só poderia votar num brother do outro grupo. Marcela foi a mais votada do grupo formado por Manu, Babu, Rafa e Mari, enquanto Babu foi o mais votado do grupo de Flayslane, Marcela, Gizelly e Ivy.

Pagina 1 de 126