Quinta-feira, 4 de Março 2021
9:26:47pm
Tudo o que você precisa saber sobre o toque de recolher que vale a partir desta sexta

Tudo o que você precisa saber sobre o toque de recolher que vale a partir desta sexta

Os baianos vão ‘sextar’ mais cedo. Nada de bares, restaurantes ou qualquer outra movimentação depois das 22h de hoje em Salvador e outras 342 cidades do estado. A regra é clara: se não houver justificativa de urgência, todo mundo deve ficar em casa enquanto vigora o toque de recolher. Pela regra instituída pelo governo baiano em decreto, das 22h às 5h do dia seguinte, até o dia 25 de fevereiro, somente atividades essenciais estarão liberadas para funcionar.

A medida foi adotada por conta do risco de colapso no sistema de saúde baiano devido ao aumento de casos de covid-19 e aos altos índices de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) e de atendimentos nos gripários da capital. Essas unidades estão com longas filas e dificuldade de regular pacientes. No gripário do Pau Miúdo, por exemplo, os atendimentos saltaram de uma média de 1,1 mil mensais para 4,5 mil, somente em janeiro, com perspectiva de 5 mil atendimentos agora em fevereiro.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), ontem, dos 1078 leitos de UTI para adultos no estado, 76% deles estavam com pacientes graves do novo coronavírus. Nas UTIs pediátricas, a ocupação é de 67%. Em Salvador, dos 1049 leitos de UTI disponíveis para adultos, 75% estão ocupados. Nas pediátricas, a ocupação é de 74%.

Fiscalização

A Polícia Militar da Bahia informou que, durante o período de restrições, irá direcionar os esforços da tropa junto com outros órgãos das administrações municipais para que as medidas previstas no decreto sejam cumpridas pela população. A orientação é levar os infratores resistentes para a delegacia. [

Mas, de acordo com a porta voz da PM-BA, major Flávia Barreto, o principal objetivo não é prender as pessoas. “Esta é uma ação para preservar a saúde e estamos orientando desde já para que as pessoas não permaneçam na rua. Caso encontremos pessoas descumprindo o que está estabelecido, aí sim iremos conduzir para a delegacia porque estarão cometendo dois crimes previstos no decreto, que é o de desobediência e o crime contra a saúde pública. Essa condução só será feita se as pessoas insistirem em permanecer nas ruas aglomerando. Quem estiver se deslocando para suas residências ou a procura de serviços essenciais, como farmácias e hospitais, poderá circular normalmente. Tudo será analisado e com muito bom senso iremos permitir ou não a circulação das pessoas”, esclarece.

Os estabelecimentos comerciais e de serviços das cidades afetadas pelo toque de recolher deverão encerrar as suas atividades até às 21h30, para garantir o deslocamento dos funcionários e colaboradores às suas residências. Os locais deverão estar fechados e vazios às 22h.

Segundo o governador Rui Costa, é necessária a colaboração de todos para as restrições não serem ainda maiores nos próximos dias. “Para a gente não ser obrigado, de forma compulsória, a voltar a fechar, em horário de maior movimento, é melhor que todo mundo contribua fechando no horário de baixo movimento, para que não sejamos obrigados a ampliar este horário, e o comprometimento da rentabilidade do negócio vai piorar”, disse.

Para Tomas Fagundes, um dos sócios do bar Zaccaria, que fica na Pituba, a medida vai trazer impactos significativos para os estabelecimentos. “Além de a gente se prejudicar como proprietário, os funcionários também saem no prejuízo, o que é o pior de tudo. A gente emprega, na verdade, famílias. E existe a possibilidade ainda de que não sejam só sete dias de decreto, então isso deixa todo mundo muito aflito”, diz ele.

A decisão dele para hoje foi de abrir o seu estabelecimento um pouco mais cedo, às 16h, e fechar às 20h. “Todos os funcionários e clientes devem estar em suas casas às 22h. Então, para que dê tempo de isso acontecer, a gente vai encerrar as atividades às 20h”, explica Fagundes. Na terça, quarta e quinta, o bar ficará fechado. “O prejuízo seria ainda maior se a gente funcionasse”, completa.

Já para o gastrobar Beckel’s, também na Pituba, a alternativa foi lançar promoções. “Hoje, quem vier de preto terá chopp dobrado a noite toda. Um protesto silencioso ao absurdo de alguns decretos”, diz o aviso nas redes sociais. A publicação ainda completa: “Não estamos tratando de bebidas ou diversão, mas de dezenas de milhares de empregos só na Bahia”.

Ônibus urbano e frota reguladora

Os ônibus urbanos em Salvador farão sua última viagem às 22h30 e retomarão as atividades a partir das 5h do dia seguinte. Além dos veículos regulares, a Secretaria de Mobilidade (Semob) vai disponibilizar 20 ônibus da frota reguladora, distribuídos nas estações da Lapa, Pirajá, Acesso Norte e Mussurunga, que atenderão os corredores próximos de acordo com a necessidade, visando agilizar o escoamento de passageiros.

O órgão dará atenção especial aos Polos Geradores de Viagem (PGV), como shoppings e empresas de call center, que liberam uma grande quantidade de funcionários após o fechamento. Agentes de trânsito e transporte estarão nos principais pontos monitorando o atendimento e realizando os ajustes necessários para garantir o atendimento no transporte.

Outros modais

Táxis, mototáxis e motoristas por aplicativo poderão circular após às 22h, desde que fique comprovada a necessidade de atendimento às situações especificadas como exceção no decreto, que se resumem aos serviços de saúde e farmácia; ou em que fique comprovada a urgência do deslocamento.

Em cumprimento ao decreto, a CCR Metrô Bahia vai antecipar o fechamento do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas para às 22h30, a partir desta sexta. Até o dia 25 o metrô seguirá funcionando das 5h às 22h30, em todos os dias da semana.

A CCR também informou que, além da limpeza manual, que já havia sido reforçada, os trens agora passam por um processo de nebulização de névoa seca contra o novo coronavírus. O produto tem aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não oferece risco à saúde humana nem ao meio ambiente e tem eficácia atestada pelo Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

No período definido no decreto, o Aeroporto de Salvador tem previstos 298 voos entre as 22h e as 05h, com cerca de 36 mil passageiros sendo embarcados. Quem tem passagem comprada pode ficar tranquilo. As viagens agendadas, com partidas ou chegadas no Aeroporto de Salvador, permanecem inalteradas durante o período do decreto estadual. A decisão garante que os profissionais que trabalham no terminal aéreo se desloquem entre suas residências e o trabalho.

A assessoria do aeroporto reforçou que é importante que os passageiros estejam atentos, principalmente, ao deslocamento até o terminal nos horários de restrição, uma vez que serão permitidos transportes privados de passageiros, em táxis ou por aplicativos. Vale confirmar o voo junto à companhia aérea e manter os cartões de embarque em mãos no trajeto até o aeroporto.

Os horários de funcionamento do sistema de travessia hidroviária entre a capital e as cidades de Itaparica e Vera Cruz também sofrerão alteração a partir da noite desta sexta-feira (19).

No sistema ferry-boat, o último horário de operação da noite será às 21h30 tanto em São Joaquim, como em Bom Despacho. A partir de sábado (20), o primeiro horário passa a ser operado às 5h30 em ambos os terminais, e, a partir das 6h, as saídas ocorrerão normalmente de hora em hora.

Já no sistema de travessias por lanchas, o último horário não sofre alteração, porque segue até as 20h. Pela manhã, a operação tem início às 5h20, no terminal Vera Cruz, e posteriormente realiza o cumprimento da grade regular de horários, de meia em meia hora.

Horários dos shoppings

Entre os dias 19 e 25 de fevereiro, os shoppings de Salvador terão seus horários de funcionamento alterados. No mesmo período, os cinemas desses empreendimentos estarão com atividades suspensas, cumprindo o Decreto Municipal N°33.547/20. Programe as compras:

Shopping Piedade - De segunda à sexta: 10h às 21h, sábado: 10h às 20h, domingo: fechado
Shopping Paralela - De segunda a sábado: 10h às 21h, domingo: 12h às 21h
Shopping Center Lapa - De segunda à sexta: 10h às 21h, sábado: 10h às 20h, domingo: praça de alimentação de 12h às 20h e lojas das 12h às 18h
Shopping da Bahia - De segunda a sábado: 10h às 21h; domingo: lojas das 13h às 21h e praça de alimentação das 12h às 21h
Shopping Bela Vista - De segunda a sábado: 10h às 21h, domingo: lojas das 13h às 21h e praça de alimentação das 12h às 21h
Shopping Barra - De segunda a sábado: 10h às 21h, domingo: 12h à 20h
Shopping Paseo - De segunda a sábado: 11h às 20h, domingo: funcionamento opcional das 13h às 19h
Shopping Itaigara - De segunda a sábado: 10h às 20h, domingo: fechado
Parque Shopping Bahia - De segunda a sábado: 10h às 21h, domingo: 12h às 21h
Salvador Shopping - De segunda a sábado: lojas de 10h às 21h e Bompreço de 7h às 21h, domingo: lojas de 12h às 21h e Bompreço de 8h às 21h. Espaço Gourmet: segunda a domingo de 12h às 21h
Salvador Norte Shopping - De segunda a sábado: 10h às 21h, domingo: 12h às 21h. Big Bompreço: segunda a domingo, das 9h às 21h

Os clientes também podem realizar as compras através das plataformas “Salvador Shopping Online” (www.salvadorshoppingonline.com.br) e “Salvador Norte Online” (www.salvadornorteonline.com.br). Além dos sites, as compras podem ser feitas também pelo aplicativo das plataformas (disponíveis gratuitamente para Android e IOS) e a entrega nos Drive Thrus de cada shopping.

Veja o que pode e o que não pode funcionar

Trabalho à noite - Quem trabalha durante o horário em que vigora o toque de recolher - das 22h às 5h da manhã do dia seguinte - pode circular pela cidade, desde que portando um documento comprobatório;

Vida Boêmia - Os bares e restaurantes da cidade devem estar vazios e fechados às 22h e não podem oferecer delivery;

Combustíveis - Os postos de gasolina podem funcionar, mas as lojas de conveniência instaladas nesses locais, não;

Supermercados - Têm de fechar às 21h30 e só podem reabrir no dia seguinte após o toque de recolher. Também não podem oferecer delivery no horário das restrições;

Remédios - O serviço de delivery só está liberado para as farmácias, que também podem funcionar após 22h;

Liberados - Durante a vigência do toque de recolher podem funcionar somente os serviços profissionais de transporte privado de passageiros, desde que seguindo estritamente as regras do decreto, e os serviços ligados às áreas de saúde e de segurança

Itens relacionados (por tag)

  • Boletim registra mais de 21 mil casos ativos de Covid-19 na Bahia; 111 óbitos são contabilizados

    A Bahia registrou 21.486 casos ativos de Covid-19 de acordo com boletim divulgado nesta quinta-feira (4) pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesab). Segundo boletim, 5.985 novos casos da doença foram confirmados nas últimas 24h.

    De acordo com a Sesab, 111 óbitos foram registrados. As mortes aconteceram em datas diversas, mas foram contabilizadas no boletim desta quinta. Ao todo, 12.251 pessoas morreram vítimas da doença na Bahia. Segundo boletim, em março, o dia com o maior número de óbitos foi no dia 3, com 11 vítimas.

    Com os novos casos, a Bahia alcançou a marca de 700.768 casos de Covid-19 desde o início da pandemia. Na Bahia, 43.353 profissionais da saúde tiveram diagnostico positivo para o vírus.

    O boletim informa também o número de vacinados na Bahia. Segundo a Sesab, 500.471 pessoas foram vacinadas contra a Covid-19, dos quais 141.951 receberam também a segunda dose até as 15h desta quinta.

    Os dados representam notificações oficiais compiladas pelo Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17h desta quinta.

    O boletim completo está disponível no site da Sesab e em uma plataforma disponibilizada pela secretaria de saúde estadual.

    Leitos Covid-19
    Nesta quinta, dos 2.275 leitos ativos na Bahia, 1.697 estão com pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação geral de 75%, de acordo com a Sesab.

    Desses leitos, 1.145 são para atendimento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto e estão com ocupação de 84% (960 leitos ocupados). A taxa de ocupação dos leitos de UTI pediátrica é de 72%, com 26 das 36 unidades em utilização.

    Já as unidades de enfermaria adulto na Bahia estão com 64% da ocupação, e a pediátrica com 82%.

    Em Salvador, dos 1.079 leitos ativos, 908 estão com pacientes internados. A taxa de ocupação geral é de 84%. A taxa de ocupação da UTI adulto é de 84% e a pediátrica de 67%. Nos leitos clínicos adultos, a taxa de ocupação é de 85%, e nos leitos pediátricos, a ocupação é de 86%.

  • Bahia deve alcançar a marca de meio milhão de vacinados contra a covid

    Salvador vai começar a imunizar os idosos acima de 79 anos na quinta-feira (4) graças às quase 15 mil doses da CoronaVac entregues à capital nesta quarta (3). As vacinas integram um lote com 165.600 doses do imunizante produzido pelo Instituto Butantan, que chegou à Bahia na madrugada de quarta. No mesmo dia, o produto que fornece proteção contra o coronavírus começou a ser enviado para as centrais regionais no interior do estado. A expectativa é de que a Bahia alcance a marca de meio milhão de imunizados com a 1ª dose até a próxima quinta (4), calcula a coordenadora de imunização do Estado, Vânia Rebouças.

    Até agora, 480.720 baianos receberam a 1º dose da vacina contra a covid-19 no estado, segundo vacinômetro da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Em Salvador, já 147.943 moradores foram vacinados com a 1ª dose, conforme vacinômetro da Secretaria Municipal da Saúde de Salvador (SMS).

    Os dados estaduais ainda estão distantes da meta de imunização para a fase 1 de vacinação na Bahia, que possui um público alvo mais de 1.4 milhão. O entrave é a escassez de vacinas recebidas pelo estado. “Precisamos receber mais doses para poder realizar a vacinação de forma acelerada, como deve ser. Estamos realizando a logística de distribuição das vacinas com rapidez”, pontuou Rebouças.

    Seguindo o Programa Nacional de Imunização (PNI), os grupos prioritários de todas as fases do plano federal somam cerca de 5 milhões de pessoas  na Bahia. Rebouças calcula que o estado teria a capacidade de imunizar, com a primeira aplicação da vacina, esses grupos em um mês se houvesse doses para tal. “Teríamos que receber 10 milhões de doses para imunizar completamente os grupos prioritários”, afirmou a coordenadora.

    Vacinas liberadas

    Segundo a coordenadora de imunização do Estado, com este novo envio de vacinas, foram liberadas cerca de 83% das doses necessárias para imunizar, com a 1ª dose, os grupos dos trabalhadores da saúde e idosos a partir de 80 anos da Bahia.  A quantidade de imunizantes que cada cidade recebe é calculada com base na população dos grupos prioritários dos municípios. “A orientação é que os municípios possam avançar na vacinação dos idosos em ordem decrescente de idade. Entregamos doses para atender mais de 80% do público a partir de 80 anos”, explicou Rebouças.

    Como vem sendo feito, o Governo do Estado também resguardou metade do lote recebido nesta quarta para assegurar a aplicação da segunda dose da CoronaVac. O intervalo entre as doses da vacina é de 28 dias.  Já a vacina da AstraZeneca/Oxford tem um intervalo de 12 semanas. 

    Aplicação das doses

    A Bahia recebeu 1.111.200 doses de vacinas contra o coronavírus desde o dia 18 de janeiro. Ao todo, foram enviados ao estado seis lotes com os imunizantes - quatro do CoronaVac e dois da AstraZeneca/Oxford. De acordo com Rebouças, todas as cidades devem receber as doses. Para isso, é preciso que o município comprove ter utilizado 75% do estoque de primeira dose disponível para seus moradores.

    A meta da campanha de vacinação contra a Covid-19 no estado é imunizar, pelo menos, 90% dos integrantes dos grupos prioritários. Algumas cidades da Bahia, possuem baixos índices de vacinação, como Senhor do Bonfim, onde só 31,8% das 3.209 doses entregues pelo estado foram aplicadas, segundo o vacinômetro da Sesab. Os dados da ferramenta da Sesab apontam ainda que 21 cidades do interior baiano não aplicaram as segundas doses da vacina. Entretanto, a coordenadora de imunização garante que os imunizantes já começaram a ser aplicados.

    Prefeito de Salvador, Bruno Reis anunciou nesta quarta que a vacinação de idosos com 79 anos ou mais será iniciada na quinta-feira (4) em Salvador. Segundo ele, das mais de 165 mil doses que o estado recebeu, a capital baiana ficará com cerca de 15 mil, que serão distribuídas entre idosos e trabalhadores da Saúde. "A gente vai retomar os trabalhadores da saúde e amanhã iniciaremos a vacinação dos idosos acima de 79 anos. Nós temos 6.800 idosos nessa faixa ", disse Bruno.

    A nova remessa de vacinas foi levada para a sede da Vigilância Sanitária, que fica no bairro do Rio Vermelho, e de lá serão distribuídas para os pontos fixos e de drive-thru. "Se não fosse essa irregularidade na remessa de vacinas, a gente conseguiria fazer uma logística muito melhor, inclusive sem filas. Mas, infelizmente, como as vacinas demoram de chegar, o que a gente anuncia diante desse cenário é que estamos enfrentando de desespero, as pessoas vão todas de vez aos pontos de vacinação", avaliou o prefeito.

    Regiões

    O Extremo-Sul da Bahia possui níveis baixos de aplicação das vacinas contra o coronavírus, segundo o vacinômetro da Sesab. Na região, 73,1% da população que deve ser vacinada nesta primeira fase recebeu a primeira dose do imunizante. Deste grupo, apenas 38,2% receberam a 2ª dose - o menor percentual dentre as regiões baianas.

    De acordo com a coordenadora de imunização, a região possui índices mais baixos de vacinação devido ao tamanho da população indígena, que apresenta mais resistências para a imunização. A Sesab espera imunizar mais de 23 mil indígenas no estado, mas apenas 17 mil foram imunizados até o momento, apesar de 100% das doses voltadas para este grupo já terem sido liberadas. De acordo com ela, os dados de vacinação do Norte e do Sul da Bahia também são impactados pela dificuldade imposta pela população indígena.

    Compra de vacinas pelos estados e município

    A falta de vacinas para a população impede a Bahia de atuar rapidamente na campanha de imunização contra o coronavírus. Entretanto, o cenário pode mudar devido a autorização do Supremo Tribunal Federal (STF) para que estados e municípios compram e distribuam vacinas contra o novo coronavírus caso o governo federal descumpra o Plano Nacional de Imunização ou se as doses previstas pela União forem insuficientes.

    “Nos esforçamos para que a vacinação ocorra de forma rápida, mas existem negociações e questões legais. Algumas demandas ainda são discutidas e ainda não temos um cronograma definido de recebimento de doses que podem ser compradas diretamente com os laboratórios produtores. A compra de mais doses pelo Governo do Estado seria uma conquista por acelerar a vacinação na Bahia”, ressaltou Rebouças.

    Em 2020, o Fundo Soberano da Rússia (RDIF) e o Governo da Bahia assinaram um acordo de cooperação para o fornecimento de até 50 milhões de doses da vacina russa Sputnik V para o estado.

    Salvador demonstrou interesse em aderir ao consórcio de municípios para compra de vacinas contra a covid-19 criado pela Federação Nacional de Prefeitos (FNP) para que as prefeituras possam comprar as vacinas caso o Plano Nacional de Imunização (PNI) não seja capaz de suprir toda a demanda.

    Ainda na busca por expandir a imunização no estado, na terça (2), a Procuradoria Geral do Estado (PGE-BA) judicializou uma nova ação no pela no Supremo Tribunal Federal (STF) para viabilizar o acesso à vacinação contra Covid-19, já que a decisão até agora permite a compra de vacinas sem autorização da Anvisa, mas não a aplicação.

    Segundo a PGE, o pedido de autorização ao STF é para possibilitar a aquisição, importação e dispensação à população baiana de quaisquer vacinas contra a Covid-19, que já sejam registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ou, na falta do registro do órgão, preencham conjuntamente os seguintes requisitos: estejam sendo utilizadas pelos respectivos países de origem e que tenham sido liberadas por uma das seguintes agências estrangeiras: Food and Drug Administration (FDA) European Medicines Agency (EMA);  Pharmaceuticals and Medical Devices Agency (PMDA); ou National Medical Products Administration (NMPA).

    Salvador vai começar a imunizar os idosos acima de 79 anos na quinta-feira (4) graças às quase 15 mil doses da CoronaVac entregues à capital nesta quarta (3). As vacinas integram um lote com 165.600 doses do imunizante produzido pelo Instituto Butantan, que chegou à Bahia na madrugada de quarta. No mesmo dia, o produto que fornece proteção contra o coronavírus começou a ser enviado para as centrais regionais no interior do estado. A expectativa é de que a Bahia alcance a marca de meio milhão de imunizados com a 1ª dose até a próxima quinta (4), calcula a coordenadora de imunização do Estado, Vânia Rebouças.

    Até agora, 480.720 baianos receberam a 1º dose da vacina contra a covid-19 no estado, segundo vacinômetro da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Em Salvador, já 147.943 moradores foram vacinados com a 1ª dose, conforme vacinômetro da Secretaria Municipal da Saúde de Salvador (SMS).

    Os dados estaduais ainda estão distantes da meta de imunização para a fase 1 de vacinação na Bahia, que possui um público alvo mais de 1.4 milhão. O entrave é a escassez de vacinas recebidas pelo estado. “Precisamos receber mais doses para poder realizar a vacinação de forma acelerada, como deve ser. Estamos realizando a logística de distribuição das vacinas com rapidez”, pontuou Rebouças.

    Seguindo o Programa Nacional de Imunização (PNI), os grupos prioritários de todas as fases do plano federal somam cerca de 5 milhões de pessoas  na Bahia. Rebouças calcula que o estado teria a capacidade de imunizar, com a primeira aplicação da vacina, esses grupos em um mês se houvesse doses para tal. “Teríamos que receber 10 milhões de doses para imunizar completamente os grupos prioritários”, afirmou a coordenadora.

    Vacinas liberadas
    Segundo a coordenadora de imunização do Estado, com este novo envio de vacinas, foram liberadas cerca de 83% das doses necessárias para imunizar, com a 1ª dose, os grupos dos trabalhadores da saúde e idosos a partir de 80 anos da Bahia.  A quantidade de imunizantes que cada cidade recebe é calculada com base na população dos grupos prioritários dos municípios. “A orientação é que os municípios possam avançar na vacinação dos idosos em ordem decrescente de idade. Entregamos doses para atender mais de 80% do público a partir de 80 anos”, explicou Rebouças.

    Como vem sendo feito, o Governo do Estado também resguardou metade do lote recebido nesta quarta para assegurar a aplicação da segunda dose da CoronaVac. O intervalo entre as doses da vacina é de 28 dias.  Já a vacina da AstraZeneca/Oxford tem um intervalo de 12 semanas. 

    Fase 1 da vacinação no Estado prevê imunização de 1,4 milhão de pessoas (Foto: Divulgação/Sesab)

    Aplicação das doses
    A Bahia recebeu 1.111.200 doses de vacinas contra o coronavírus desde o dia 18 de janeiro. Ao todo, foram enviados ao estado seis lotes com os imunizantes - quatro do CoronaVac e dois da AstraZeneca/Oxford. De acordo com Rebouças, todas as cidades devem receber as doses. Para isso, é preciso que o município comprove ter utilizado 75% do estoque de primeira dose disponível para seus moradores.

    A meta da campanha de vacinação contra a Covid-19 no estado é imunizar, pelo menos, 90% dos integrantes dos grupos prioritários. Algumas cidades da Bahia, possuem baixos índices de vacinação, como Senhor do Bonfim, onde só 31,8% das 3.209 doses entregues pelo estado foram aplicadas, segundo o vacinômetro da Sesab. Os dados da ferramenta da Sesab apontam ainda que 21 cidades do interior baiano não aplicaram as segundas doses da vacina. Entretanto, a coordenadora de imunização garante que os imunizantes já começaram a ser aplicados.

    Prefeito de Salvador, Bruno Reis anunciou nesta quarta que a vacinação de idosos com 79 anos ou mais será iniciada na quinta-feira (4) em Salvador. Segundo ele, das mais de 165 mil doses que o estado recebeu, a capital baiana ficará com cerca de 15 mil, que serão distribuídas entre idosos e trabalhadores da Saúde. "A gente vai retomar os trabalhadores da saúde e amanhã iniciaremos a vacinação dos idosos acima de 79 anos. Nós temos 6.800 idosos nessa faixa ", disse Bruno.

    A nova remessa de vacinas foi levada para a sede da Vigilância Sanitária, que fica no bairro do Rio Vermelho, e de lá serão distribuídas para os pontos fixos e de drive-thru. "Se não fosse essa irregularidade na remessa de vacinas, a gente conseguiria fazer uma logística muito melhor, inclusive sem filas. Mas, infelizmente, como as vacinas demoram de chegar, o que a gente anuncia diante desse cenário é que estamos enfrentando de desespero, as pessoas vão todas de vez aos pontos de vacinação", avaliou o prefeito.

    Regiões
    O Extremo-Sul da Bahia possui níveis baixos de aplicação das vacinas contra o coronavírus, segundo o vacinômetro da Sesab. Na região, 73,1% da população que deve ser vacinada nesta primeira fase recebeu a primeira dose do imunizante. Deste grupo, apenas 38,2% receberam a 2ª dose - o menor percentual dentre as regiões baianas.

    De acordo com a coordenadora de imunização, a região possui índices mais baixos de vacinação devido ao tamanho da população indígena, que apresenta mais resistências para a imunização. A Sesab espera imunizar mais de 23 mil indígenas no estado, mas apenas 17 mil foram imunizados até o momento, apesar de 100% das doses voltadas para este grupo já terem sido liberadas. De acordo com ela, os dados de vacinação do Norte e do Sul da Bahia também são impactados pela dificuldade imposta pela população indígena.

    Compra de vacinas pelos estados e município
    A falta de vacinas para a população impede a Bahia de atuar rapidamente na campanha de imunização contra o coronavírus. Entretanto, o cenário pode mudar devido a autorização do Supremo Tribunal Federal (STF) para que estados e municípios compram e distribuam vacinas contra o novo coronavírus caso o governo federal descumpra o Plano Nacional de Imunização ou se as doses previstas pela União forem insuficientes.

    “Nos esforçamos para que a vacinação ocorra de forma rápida, mas existem negociações e questões legais. Algumas demandas ainda são discutidas e ainda não temos um cronograma definido de recebimento de doses que podem ser compradas diretamente com os laboratórios produtores. A compra de mais doses pelo Governo do Estado seria uma conquista por acelerar a vacinação na Bahia”, ressaltou Rebouças.

    Em 2020, o Fundo Soberano da Rússia (RDIF) e o Governo da Bahia assinaram um acordo de cooperação para o fornecimento de até 50 milhões de doses da vacina russa Sputnik V para o estado.

    Salvador demonstrou interesse em aderir ao consórcio de municípios para compra de vacinas contra a covid-19 criado pela Federação Nacional de Prefeitos (FNP) para que as prefeituras possam comprar as vacinas caso o Plano Nacional de Imunização (PNI) não seja capaz de suprir toda a demanda.

    Ainda na busca por expandir a imunização no estado, na terça (2), a Procuradoria Geral do Estado (PGE-BA) judicializou uma nova ação no pela no Supremo Tribunal Federal (STF) para viabilizar o acesso à vacinação contra Covid-19, já que a decisão até agora permite a compra de vacinas sem autorização da Anvisa, mas não a aplicação.

    Segundo a PGE, o pedido de autorização ao STF é para possibilitar a aquisição, importação e dispensação à população baiana de quaisquer vacinas contra a Covid-19, que já sejam registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ou, na falta do registro do órgão, preencham conjuntamente os seguintes requisitos: estejam sendo utilizadas pelos respectivos países de origem e que tenham sido liberadas por uma das seguintes agências estrangeiras: Food and Drug Administration (FDA) European Medicines Agency (EMA);  Pharmaceuticals and Medical Devices Agency (PMDA); ou National Medical Products Administration (NMPA).

  • Em discurso, Bolsonaro diz que 'mimimi' e 'frescura' têm que acabar

    O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (4) que é preciso parar de "frescura" e "mimimi" com a pandemia e questionou até quando as pessoas irão ficar "chorando". A declaração foi alvo de críticas por ter sido feita um dia após o Brasil registrar recorde de mortes por covid-19 no Brasil,

    "Vocês (produtores rurais) não ficaram em casa, não se acovardaram. Nós temos que enfrentar nossos problemas. Chega de frescura, de mimimi. Vão ficar chorando até quando? Temos que enfrentar os problemas. Respeitar, obviamente, os mais idosos, aqueles que têm doenças, comorbidades. Mas onde vai parar o Brasil se só pararmos?", disse o presidente durante inauguração de um trecho da ferrovia Norte-Sul, em São Simão (GO).

    Na quarta-feira (3), o Brasil bateu, pelo segundo dia consecutivo, o número máximo de registro de mortes em 24h, com 1.840 óbitos, segundo dados das secretarias estaduais de Saúde. A média móvel dos últimos sete dias também bateu um novo recorde, pelo quinto dia seguido: 1.332 óbitos contabilizados, em média.

    "Até quando vão ficar dentro de casa, até quando vai se fechar tudo? Ninguém aguenta mais isso. Lamentamos as mortes, repito, mas tem que ter uma solução. Tudo tem que ter um responsável", complementou Bolsonaro, que já se posicionou abertamente contra as medidas de isolamento social nesta segunda onda da doença causada pelo coronavírus.

    O presidente também comentou sobre a questão das vacinas, e chamou de 'idiota' quem pede a compra dos imunizantes. “Tem idiota que diz 'vai comprar vacina'. Só se for na casa da tua mãe. Não tem para vender no mundo. Alguns governadores queriam direito a comprar vacina e quem iria pagar? Eu! Onde tiver vacina para comprar, nós vamos comprar”, afirmou.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.