Quinta-feira, 3 de Dezembro 2020
8:07:27pm
Tierry diz que está com coronavírus e faz alerta: 'Covid não é brincadeira'

Tierry diz que está com coronavírus e faz alerta: 'Covid não é brincadeira'

O cantor Tierry, famoso pelos hits “Rita” e “Cracudo”, disse nessa quarta-feira (18) que foi diagnosticado com a covid-19. Em uma série de vídeos postados em seu perfil no Instagram, o artista explicou que decidiu realizar o teste após notar congestões nasais e recebeu o resultado positivo para a doença.

Tierry conta que as congestões começaram cerca de cinco dias antes da realização do teste. “Achei que era por causa da temperatura, por conta da correria. Eu fiz o teste de farmácia e deu negativo para a covid-19, mas decidi fazer o PCR e deu positivo”, disse o cantor, mostrando o resultado a seus seguidores. Apesar disso, Tierry afirmou que passa bem e já está isolado.

Com o diagnóstico, o cantor precisou mudar as datas de shows nas cidades de Altamira e Novo Repartimento, no Pará, que seriam realizados neste fim de semana, para o mês que vem. De acordo com ele, será possível pedir reembolso do valor dos ingressos. Além disso, Tierry se desculpou com os fãs pelos transtornos.

O artista finalizou a fala alertando aos seus seguidores sobre a gravidade da doença. “Se protejam, usem máscara e álcool em gel. Covid não é brincadeira”, disse ele, que, por ironia do destino, também compôs uma música citando o coronavírus chamada "Eu já peguei coisa pior". Ouça abaixo.

 

 

 

 

Tierry diz que está com coronavírus e faz alerta: 'Covid não é brincadeira'

Itens relacionados (por tag)

  • Bahia tem 11.734 casos ativos; ocupação em UTI é de 70%

    A Bahia soma nesta quinta-feira (3) 11.734 casos ativos de Covid-19, situação em que o paciente permanece doente e pode transmitir o novo coronavírus. A elevação de infectados ativos impacta na ocupação hospitalar. A taxa varia de 49% (enfermaria adulto) a 70% (UTI adulto). Para atendimento pediátrico, a taxa encontra-se em 64% (enfermaria) e 59% (UTI).

    Nas últimas 24 horas, o estado registrou 3.268 novos casos confirmados de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,8%) e 3.284 recuperados (+0,8%). Mais 21 óbitos foram atestados tendo como causa o novo coronavírus. Dos 412.685 casos confirmados desde o início da pandemia, 392.615 doentes já são considerados recuperados.

    O estado verifica ainda 114.924 suspeitas de contaminação em investigação. Do total de casos confirmados, 99.357 casos (24,38%) são de moradores de Salvador e os demais 306.107 (75,12%) ao interior e Região Metropolitana. Há 2.017 (0,50%) contaminações diagnosticadas de doentes de outros estados que foram atendidos na Bahia.

    Durante toda a pandemia, 8.336 pessoas morreram vítimas da pandemia. Em 71,65% dos casos fatais, o paciente possuiam comorbidade. O boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Estado informou que 2816 falecidos tinham hipertensão arterial, 2.585 sofriam de diabetes e 1.571 de doenças cardiovasculares.

  • Governo baiano vai reabrir leitos de UTI covid-19 em quatro cidades

    A Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) está reabrindo vagas em unidades de terapia intensiva (UTI) para vítimas de covid-19, por conta do aumento da taxa de ocupação dos leitos destinados aos pacientes que estão com a doença. Em Salvador, o Instituto Couto Maia foi reforçado com 20 leitos e, no Hospital Espanhol, outros 20 devem ser abertos até o final de semana.

    No norte baiano, em Juazeiro, a capacidade foi ampliada com 10 vagas. Em Porto Seguro, no sul, já houve a determinação para que 10 leitos sejam destinados à assistência à covid-19 e, em Feira de Santana, mais 10 leitos já estão sendo destinados aos pacientes com coronavírus.

    O secretário Fábio Villas-Boas diz que se for preciso o Hospital Espanhol, em Salvador, pode expandir em até 80 novos leitos. “Estamos vendo um aumento do número de notificações da covid-19 e de internações. Precisamos continuar tomando todas as medidas de prevenção, como evitar aglomerações e o uso de máscaras. Enquanto governo, podemos garantir que situações excepcionais, como festas em locais públicos, sejam proibidas, mas é importante que todos colaborem”, afirma.

    O cenário visto hoje é mais crítico do que em junho e julho, alerta. "Pela primeira vez, todas as regiões da Bahia estão com número alto de incidência, internação e ocupação de leitos. A sobrecarga no sistema é muito maior, uma vez que outros problemas como acidentes de trânsito também aumentaram”, acrescenta.

    Mais cedo, em entrevista à TV Bahia, ele falou em "segunda onda" por conta desse aumento. "Nós já estamos completando três semanas sucessivas de crescimento progressivo e contínuo do número de casos. Portanto, é possível falar que já estamos entrando numa segunda onda, que vem num cenário mais grave do que o que enfrentamos o início da pandemia", disse.

    Já o governador Rui Costa preferiu não falar em segunda onda, mas disse que o pico por agora pode ser o pior da pandemia. "O volume ainda não nos permite afirmar que temos uma segunda onda, mas o ritmo nos permite afirmar que, daqui a uma ou duas semanas ou nos próximos dez dias, se continuar nesse ritmo, podemos viver não só a segunda onda como a maior onda de casos que a Bahia viveu desde o início da pandemia", disse Rui, durante evento no CAB para entrega de novas viaturas.

    Vacinação
    Também hoje, Rui autorizou a montagem de uma rede de ultrafreezeres, equipamentos que podem chegar até -80°C, para que a Bahia esteja preparada para estocar e distribuir a vacina da Pfizer ou da Moderna — ambas sintéticas, de RNA, a mais avançada tecnologia de vacinas do mundo — quando forem aprovadas.

    “Faremos o registro de preço para aquisição de até 100 ultracongeladores para montarmos, pelo menos nas grandes cidades, uma rede de frio com capacidade para armazenar seja a vacina da Pfizer, seja a vacina da Moderna. Essas vacinas, se estiverem disponíveis para a população da Bahia antes das demais, o Governo do Estado vai estar preparado para fazer aquisição e a distribuição”, diz o secretário.

  • Filha de Alok e Romana nasce em parto prematuro por conta da covid

    Romana Novais deu à luz Raika, sua segunda filha com o DJ Alok, na noite da quarta-feira (2). A bebê nasceu em um parto prematuro, causado por complicações da covid-19, segundo textos postados pelo casal anunciando a chegada da caçula.

    Ambos informaram no início da semana que estavam com a covid-19.

    No início do ano, em 10 de janeiro, eles tiveram o primeiro filho, Ravi. A previsão era que a nova filha nascesse no mesmo dia que o irmão, segundo eles anunciaram em julho.

    "Devido a uma complicação da covid, entrei em trabalho de parto prematuro. A Raika nasceu ontem a noite, de parto natural. Tudo aconteceu muito rápido e graças a Deus ela nasceu muito bem", escreveu Romana em um post na manhã de hoje.

    "Nós duas estamos bem assistidas e em oração p/ uma boa recuperação. Nem tudo acontece como planejamos e os planos de Deus são sempre maiores e melhores que os nossos. Obrigado por todas orações e carinho de cada um de vocês", acrescentou.

    Alok também publicou sobre o nascimento precoce da filha. "Jamais imaginei que meus dois filhos nasceriam no mesmo ano. Ontem minha filha Raika veio ao mundo mais rápido do que imaginávamos mas graças a Deus a Romana e ela estão bem e sob os melhores cuidados médicos", afirmou, definindo tudo que aconteceu como "milagre".

    "Diante de tudo que estamos vivendo, presenciamos mais um milagre. Tudo muito intenso, mas nada acontece sem a intervenção Divina. Com fé em Deus logo estaremos todos juntos em casa", finalizou.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.