Segunda-feira, 25 de Janeiro 2021
3:58:33am
O Jornal da Cidade

O Jornal da Cidade

A Bahia registrou 4.455 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com as informações divulgadas pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) na noite desta quinta-feira (21).

Ainda de acordo com o boletim, o estado contabiliza 553.770 casos confirmados desde o início da pandemia, 533.460 já são considerados recuperados e 10.550 encontram-se ativos. Também desde o início da pandemia, foram registradas 9.760 mortes, o que representa uma letalidade de 1,76%. De acordo com os dados do boletim desta quinta, 32 pessoas morreram em datas diversas.

Nas últimas 24 horas houve um crescimento de 0,8% tanto no número de casos positivos como de pacientes recuperados da doença.

Salvador é a cidade onde há o maior número de casos proporcionais de pessoas atingidas pela doença: 22,14% do total. Dentre os municípios com maior incidência por 100 mil habitantes, as cidades que registram o maior coeficiente são Ibirataia (10.906,48), Itororó ( 9.174,76), Muniz Ferreira (8.879,01), Conceição do Coité (8.728,16) e Itabuna (8.631,81).

De acordo com a Sesab, o boletim epidemiológico contabiliza ainda 945.800 casos descartados e 137.029 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17h desta quinta-feira.

As informações detalhadas no boletim podem ser acessadas no site da secretaria e também em uma plataforma disponibilizada pelo órgão na internet. Segundo o mesmo documento, 38.926 profissionais da Saúde testaram positivo para a Covid-19 em todo o estado.

Vacinas
As primeiras doses da vacina contra a Covid-19 já foram enviadas pela Sesab para os 417 municípios baianos. Do total de cidades, 417 já informaram o total de vacinas aplicadas. Até às 14h desta quinta-feira (21), 36.097 doses já haviam sido aplicadas em profissionais de saúde, indígenas aldeados, idosos em instituições de longa permanência e pessoas com deficiência.

Para ter acesso ao quantitativo de vacinas por município, o cidadão pode acessar o sistema que também está disponível no portal da Secretaria da Saúde.

Mortes por raça, cor e sexo
Dentre os óbitos registrados na Bahia, 56,58% ocorreram no sexo masculino e 43,42% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 55,09% corresponderam a parda, seguidos por branca com 19,40%, preta com 14,71%, amarela com 0,64%, indígena com 0,13% e não há informação em 10,03% dos óbitos.

O percentual de casos com comorbidade foi de 70,77%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (73,84%).

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (21) que, se depender de sua atuação e da bancada de deputados federais da Bahia, não permitirá venda de terras e imóveis a estrangeiros. “Esse país é nosso e de cada um de nós”, completou o presidente. O presidente também disse esperar entregar mais títulos rurais e afirmou que, com a entrega das propriedades, “as pessoas se libertam de um jugo que outros governos impuseram”. “Em dois anos do meu governo nós entregamos mais títulos do que 20 anos de governos anteriores”, disse. De acordo com o presidente, “aqui no Brasil, a propriedade privada é sagrada”.

Bolsonaro cumpriu agenda em Coribe, oeste baiano, para inauguração de trecho recapeado de 67 km da rodovia BR-135, que atende o escoamento de grãos do interior dos Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Acompanharam o presidente os ministros do Turismo, Gilson Machado, e da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, bem como o deputado federal José Rocha (PL-BA).

Durante a cerimônia, Bolsonaro elogiou a atuação de Freitas – segundo o presidente, “hoje, a figura mais importante” – e a do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Apesar das disputas entre pastas sobre a destinação de recursos para investimento em obras de infraestrutura ou atenção ao teto de gastos, Bolsonaro afirmou que, em seu governo, “todos os ministros se entendem e remam na mesma direção”.

Freitas anunciou também que o governo federal deve entregar 170 km em obras de rodovias recapeadas ou duplicadas na Bahia até o fim de fevereiro. “Vamos entregar mais 25 km de duplicação da BR-101, mais 15 km de duplicação da BR-116. As obras não param. Mais quase 80 km de pavimentação da BR-235, que começa no litoral de Sergipe e termina na Ferrovia Norte-Sul, ou seja, nós estamos integrando o Brasil”.

O presidente foi cercado por apoiadores antes e depois do evento, muitos sem máscara. Depois da cerimônia, ele ainda saiu em cavalgada pela cidade.

O governo da Índia liberou as exportações comerciais de vacinas covid--19, e o Brasil vai receber as primeiras remessas ao lado do Marrocos, segundo disse nesta quinta-feira (21) o ministro de Relações Exteriores do país à agência de notícias Reuters. O envio já tem previsão para essa sexta (22).

O Serum Intitute, na Índia, está produzindo a vacina desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, ambas da Inglaterra. O instituto é o maior produtor mundial de vacinas e tem pedidos de doses de vários países do mundo.

Para priorizar a imunização dos seus grupos prioritários, o governo indiano havia suspendido a exportação de doses. No início da semana, o país enviou suprimentos para países vizinhos, como Butão, Bangladesh e Nepal, valorizando sua região.

“O fornecimento das quantidades comercialmente contratadas também começará a partir de amanhã, começando pelo Brasil e Marrocos, seguidos da África do Sul e Arábia Saudita”, disse o Hardh Vardhan Shringla.

Um servidor público foi encontrado morto em uma cela da delegacia de Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia, depois de ter sido preso suspeito de furtar 8,6 mil seringas e outros materiais hospitalares do Núcleo Regional de Saúde do município. O caso aconteceu na quarta-feira (20).

A suspeita da polícia é de que o homem tenha cometido suicídio.

O caso começou quando a direção do Núcleo Regional de Saúde começou a desconfiar do sumiço de materiais hospitalares, como luvas descartáveis, seringas e caixas de isopor. Os responsáveis pela unidade acionaram à polícia, que começou a acompanhar a rotina do Núcleo e passou a suspeitar do servidor, que não teve a identidade divulgada.

Os policiais passaram a seguir o suspeito, foram à casa dele e, ao chegar no imóvel, encontrou o material escondido. De acordo com as investigações, a esposa do funcionário sabia dos furtos.

Os dois foram levados para prestar depoimento no Distrito Integrado De Segurança Pública (Disep) e, enquanto a ocorrência estava sendo registrada, e os policiais eram ouvidos, o suspeito aguardava em uma cela.

Quando o investigador e o advogado de defesa foram buscar o servidor, encontraram ele morto na cela. A delegacia de Vitória da Conquista está investigando o caso.

Trabalhadores da Ford voltaram a protestar contra o fechamento da fábrica da montadora em Camaçari, região metropolitana de Salvador, na manhã desta quinta-feira (21). Há 10 dias, a montadora anunciou que encerrará a produção de veículos em suas fábricas no Brasil.

Muitos trabalhadores estão no local e uma fila de carro está na entrada da sede da montadora, com mais funcionários chegando para a mobilização. O protesto foi convocado por entidades sindicalistas, que pedem a volta dos empregos perdidos.

Durante a manifestação, os trabalhadores tiraram os uniformes e os penduraram em um alambrado que contorna a sede da fábrica. Nesses uniformes, eles escreveram nomes de familiares que também serão afetados com a perda dos empregos, a frases de pedido de respeito.

A montadora alega que serão cinco mil empregos afetados. No entanto, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Bahia, Júlio Bonfim, afirma que o impacto será da perda de emprego de 12 mil trabalhadores diretos.

Com o encerramento das atividades no Brasil, a Ford também fechará as fábricas de Taubaté (SP) e Horizonte (CE), além de Camaçari.

Fechamento da Ford
De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Bahia, Júlio Bonfim, o impacto será da perda de emprego de 12 mil trabalhadores diretos. No entanto, a Ford alega que serão cinco mil empregos afetados.

Júlio Bonfim falou ainda sobre os empregos dos trabalhadores indiretos, de empresas que prestam serviço à montadora. Segundo ele, esses empregos indiretos somam 60 mil trabalhadores.

O prefeito de Camaçari, Elinaldo Araújo, contou que a cidade, que tem arrecadação anual de cerca de R$ 1,3 bilhão em impostos, perdeu R$ 30 milhões do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) e mais R$ 100 milhões do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da receita líquida, com o fechamento da montadora de veículos.

“Esse ano já perdemos cerca de R$ 30 milhões e a partir do ano que vem cerca de R$ 130 milhões. O município tem uma receita anual de R$ 1,3 bilhão e vai perder R$ 130 milhões, vai perder mais de 10% da capacidade de arrecadar. Sendo que a receita era de recurso próprio e o R$ 1,3 bilhão era toda a receita. São receitas do Fundeb, do SUS, que juntas dão esse total”, disse o prefeito de Camaçari.

Quinta, 21 Janeiro 2021 12:44

Não se deve contrariar a quem partiu

Contrariar os desejos de alguém que partiu para o além era um tabu nos tempos antigos. Acredito que até hoje não é de bom tom deixar de cumprir o que se acerta em vida com as pessoas. Mas, no passado, quando os testamentos passaram a ser verdadeiras apólices de seguro para garantir bom trânsito no mundo espiritual, a coisa era levada muito a sério. Acertava-se, por exemplo, doação de fazendas e casas para ordens religiosas, em troca de missas pela alma e o cumprimento disso era fiscalizado pela própria sociedade. Quando aparecia algum boato de que o testamenteiro – a pessoa nomeada para cumprir as disposições do testamento – não estava agindo como deveria, isso era motivo de escândalo.

Aqui está um exemplo dessa preocupação. Manoel da Silva Serva, que em 1811 fundou o primeiro jornal da Bahia A Idade do Ouro do Brasil, foi nomeado procurador do administrador do Morgado de Santa Bárbara em Salvador. Era responsável pela execução das ordens deixadas em testamento pelo casal de defuntos – Coronel Francisco Pereira do Lago e Andreza de Araújo. O problema é que o horário indicado pelos dois, pra celebração das missas em favor de suas almas era muito cedo e poucos podiam verificar se isso, de fato, vinha sendo cumprido.

Começaram os boatos e as maledicências e pra evitar qualquer mancha na sua reputação, Serva pediu uma certidão do testamento ao “Escrivão dos Ofícios das Provedorias das Fazendas dos Defuntos e Ausentes, Capelas e Resíduos, Registro Geral dos Testamentos, Apelações e mais Anexos Respectivos da Cidade de Salvador”. Ao receber o documento da repartição de nome quilométrico, Serva o publicou na edição do dia 17 de julho de 1818 do A Idade do Ouro do Brasil.
A parte mais interessante e esclarecedora é a seguinte: “Serão obrigados a fazer que se digam duas missas cada semana na dita igreja a saber: uma a Nossa Senhora do Rosário ao sábado, pela alma de Andreza de Araújo, e outra ao domingo a Nossa Senhora da Esperança pela alma de Francisco Pereira do Lago, a qual se começara a dizer, antes do dia claro, às horas em que, no Colégio dos Padres da Companhia (de Jesus) se lance as Matinas com as suas obrigações (espirituais)”.

Ou seja, Serva deixa claro que vinha cumprindo o que determinou o casal de defuntos e, se as pessoas não percebiam a celebração das missas, é porque elas eram celebradas antes do dia amanhecer. Essa é uma das passagens do livro Basílicas e Capelinhas – um estudo sobre a história, arquitetura e arte das igrejas de Salvador, cuja quarta edição em forma de ebook foi lançado na semana passada.

 

WhatsApp Image 2020-03-10 at 19.17.21

Biaggio Talento é jornalista, e colaborador do O Jornal da Cidade.

O terceiro dia de vacinação em Salvador começou por um lugar que esbanja simpatia e bom humor. As pessoas com deficiência severa que estão abrigadas no Lar Fonte da Fraternidade, na Capelinha de São Caetano, única instituição desse tipo na capital, foram imunizadas na manhã desta quinta-feira (21). Um após o outro, os dez internos e os sete trabalhadores foram um a um se protegendo contra a doença mais temida da atualidade.

A instituição abriga pessoas com deficiência grave, como é a caso de Giliane Gomes, 28 anos. Originária de uma tribo Pataxó, em Porto Seguro, ela nasceu com deficiência mental e foi rejeitada pela comunidade em que vivia. Chegou ao abrigo quando tinha sete anos e não saiu mais. Ela foi a primeira a ser vacinada nesta quinta-feira. Depois foi a vez de João Carlos Teixeira, 60, e Luciana Reis, 31 anos.

A fundadora e presidente do Lar da Fraternidade, Maria Lúcia Gomes, contou que ficou alegre com a ação. "Esse é um momento muito importante e ficamos muito felizes pela oportunidade de poder nos vacinar", disse.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que fará a vacinação em outros 18 locais no decorrer do dia, incluindo instituições de longa permanência e unidades de saúde, como já aconteceu com os idosos das Obras Sociais Irmã Dulce e do Abrigo Dom Pedro II, e com profissionais de saúde do Hospital Municipal e do Hospital Martagão Gesteira.

O prefeito Bruno Reis acompanhou a vacinação no Lar da Fraternidade e disse que essa primeira etapa da campanha será concluída nos próximos dias. "A previsão é de que até o final dessa semana, possivelmente no sábado, a gente possa concluir o processo de vacinação na nossa cidade. E aí estamos na expwtctcia na prodção de mais doses da anvisa e a gente possa seguir dando continuidae ao processo de vaicnação", afirmou.

A meta desta quinta-feira é imunizar cerca de 4 mil pessoas. Ontem foram vacinados 3.922 profissionais de saúde e idosos, sendo que desde o início da vacinação 5.319 pessoas foram protegidas. Serão 21 mil até o final do processo. Por enquanto, as mulheres são maioria representando 65% do público atingido.

Um incêndio atingiu o Terminal do "Serum Institute of India" na cidade de Pune. O laboratório é considerado o maior fabricante de vacinas do mundo e é responsável pela fabricação da Covishield, desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, que podem ser exportadas ao Brasil.

Segundo o site The Times Of India, as chamas atingiram um prédio em construção. Com isso, as doses das vacinas, tal qual sua produção, não foram afetadas.

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, usou seu Twitter para reclamar publicamente da fabricante de vacinas contra covid-19 Pfizer. Segundo ele, a empresa está se recusando a vender o imunizante ao estado.

Fábio lembrou que a vacina foi testada em 1.500 voluntários baianos e que havia conversas, em 2020, para a Bahia comprar doses.

"A Pfizer usou a boa fé de 1.500 voluntários baianos e agora recusa-se a vender a vacina para a Bahia. Em 2020 reuniram-se oficialmente com o governador Rui Costa para vender a vacina e a partir dali no preparamos. Apoiamos o centro de pesquisas da OSID (Irmã Dulce), investimos na montagem de uma rede de ultracongeladores e, agora, nos informam que venderam tudo pra outros países", relata.

Na cobrança o secretário também tuitou mensagens e inglês, sempre marcando o perfil oficial da empresa e mencionando Carlos Murillo, presidente da Pfizer Brasil.

Voluntários no escuro
Nesta quarta-feira (20), o CORREIO publicou uma matéria mostrando que os baianos participantes dos estudos envolvendo as vacinas da Oxford e Pfizer ainda estão sem saber se foram imunizados ou não. A dúvida acontece porque apenas metade dos voluntários receberam a vacina, enquanto outra parte recebeu um placebo.

Quando os laboratórios começaram a recrutar pessoas para testar seus imunizantes em desenvolvimento, uma das promessas é que os voluntários que receberam placebo seriam vacinados tão logo a substância em questão estivesse liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A Pfizer ainda não foi aprovada no Brasil, mas muitos voluntários não sabem se podem – ou devem – tomar a Coronavac.

Já nesta quinta-feira, a Pfizer anunciou que todos os brasileiros que participaram do estudo serão vacinados ainda neste mês. Os baianos precisam buscar a Osid para receberem o imunizante.

Os brasileiros que participaram dos testes da farmcêutica Pfizer para a vacina contra covid-19, mas que tomaram o placebo, começarão a ser imunizados a partir deste mês. Segundo a empresa, cerca de 1.400 pessoas receberão gratuitamente as duas doses da vacina, que ainda não está disponível para uso no Brasil.

"O procedimento está de acordo com as tratativas definidas juntos aos órgãos brasileiros Anvisa e Conep, e faz parte do termo de consentimento assinado pelos participantes no início da pesquisa", diz nota divulgada pela farmacêutica.

No entanto, os voluntários é que devem procurar os centros que estão responsáveis pelos estudos no Brasil. Na Bahia, os testes foram conduzidos pelas Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), em Salvador.

Voluntários reclamam
O CORREIO publicou uma reportagem nessa quarta-feira (20) relatando que os voluntários baianos que participaram dos estudos clínicos com as vacinas contra a covid-19 da Pzifer e de Oxford/AstraZeneca até o momento não foram informados pelos laboratórios se receberam a dose do agente ativo ou o placebo.

Quando os laboratórios começaram a recrutar pessoas para testar seus imunizantes em desenvolvimento, uma das promessas foi de que os voluntários que receberam placebo seriam vacinados tão logo a substância em questão estivesse liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A vacina de Oxford foi liberada no domingo, 17, em caráter emergencial para uso no Brasil. No mesmo dia, também foi liberada a Coronavac, do laboratório chinês Sinovac com o Instituto Butantan. As primeiras doses de Coronavac chegaram a Salvador na noite de segunda-feira, 18, e, nesta terça-feira, 19, a primeira etapa da imunização começou.

A questão é que muitos voluntários de outros laboratórios não sabem se podem – ou devem – tomar a Coronavac. No caso da vacina de Oxford, aqueles que não sabem se já tomaram a substância na fase de testes, não têm certeza se precisam tomar de novo.

Uma das voluntárias do estudo do laboratório americano Pfizer com a empresa alemã BioNTech é a psicopedagoga Kátia Leite, 56 anos. Ela diz que desde novembro não recebe mais notícias das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), instituição responsável pela coordenação da pesquisa em Salvador. “Acho que eles estão negligenciando, a gente merecia mais um pouco de atenção. Eles não ligam mais, não passam mensagem, não dão um retorno. Você não sabe de nada. A gente está voando, sem saber de nada”, reclama Kátia.

Secretário questiona farmacêutica
O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, usou seu Twitter para reclamar publicamente da fabricante de vacinas contra covid-19 Pfizer. Segundo ele, a empresa está se recusando a vender o imunizante ao estado.

Fábio lembrou que a vacina foi testada em 1.500 voluntários baianos e que havia conversas, em 2020, para a Bahia comprar doses.

"A Pfizer usou a boa fé de 1.500 voluntários baianos e agora recusa-se a vender a vacina para a Bahia. Em 2020 reuniram-se oficialmente com o governador Rui Costa para vender a vacina e a partir dali no preparamos. Apoiamos o centro de pesquisas da OSID (Irmã Dulce), investimos na montagem de uma rede de ultracongeladores e, agora, nos informam que venderam tudo pra outros países", relata.

Pagina 1 de 332