Terça-feira, 13 de Abril 2021
11:30:31pm
Rui diz que não há previsão de reverter decreto que proíbe venda de bebidas aos finais de semana

Rui diz que não há previsão de reverter decreto que proíbe venda de bebidas aos finais de semana

O governador Rui Costa comentou nesta quarta-feira (7), durante entrevista ao programa Balanço Geral, da RecordTv Itapoan, sobre a possibilidade de flexibilização do decreto estadual que impede a venda de bebeidas alcoólicas durante o final de semana em bares e restaurantes. O Estado tem sido pressionado por entidades e asociações do setor que cobram a liberação do comércio de bebidas aos sábados e domingos.

Para Rui, no momento, não há previsão para reverter ou editar o decreto que suspende a venda de bebidas nesses estabelceimentos, pois, segundo ele, o consumo de produtos alcoólicos nesses locais, gera aglomerações desnecessárias e dificulta o combate á Covid-19.

“Não existe nesse momento como reverter. A vida está em primeiro lugar. Eu respeito a opinião de todos, não vou contestar. Mas existe um consenso de todos que o consumo de alcoól gera aglomeração. O grau de contaminação associado ao alcoól é muito alto. Já liberamos durante a semana. Se querem beber, compra durante a semana e bebe em casa, com sua família. Hoje nós saímos de 22 mil casos ativos para 13.800 mil contmainados ativos. A abertura tem que ser gradual. Aquelas reuniões de bar só contribuem para a contmainação nos finais de semana”, explicou o govenrador.

Segundo o governador, aos finais de semana, 80% da conta das pessoas que frequentam bares e restaurants aos finais de semana é com bebida. Por isso, não tem como o Estado identificar quem é bar e quem é restaurante, pois os bares também vendem comidas e os restaurantes também vendem bebidas. No entanto, ele afirmou que pretende avaliar, daqui a uma ou duas semanas, uma possível liberação.

“É dificíl identificar o que é bar e o que é restaurante. Neste momento não é possível, quem sabe daqui a uma ou duas semanas, possamos liberar em alguns horários. Peço a compreensão de todos. A decisão de abrir e manter fechada vai caber a cada um sobe o seu negócio. Se agente continuar caindo o número de contaminados, quem sabe a gente não pensa em liberar alguns horários depois. Mas temos que ter cautela”, completou.

Itens relacionados (por tag)

  • Bolsonaro tem 15 dias para explicar fala sobre uso de Forças Armadas

    O ministro Marco Aurélio Mello, decano do Supremo Tribunal Federal (STF), deu 15 dias para que o presidente Jair Bolsonaro envie, caso queira, explicações sobre uma declaração dada em março, quando defendeu o uso das Forças Armadas para a manutenção da liberdade na pandemia.

    "Notifiquem o requerido [Bolsonaro] para, querendo, apresentar manifestação no prazo de 15 dias", escreveu o ministro em despacho na última quinta-feira, 8. O presidente não é obrigado a responder ao pedido de explicações.

    Na ocasião, em discurso aos apoiadores no Palácio do Planalto, Bolsonaro afirmou que 'tiranos tolhem a liberdade das pessoas', em referência a governadores e prefeitos que impuseram restrições à circulação de pessoas para frear o avanço do coronavírus.

    "Alguns tiranetes ou tiranos tolhem a liberdade de muitos de vocês. Pode ter certeza, o nosso Exército é o verde oliva e é vocês também. Contem com as Forças Armadas pela democracia e pela liberdade", disse. "Estão esticando a corda, faço qualquer coisa pelo meu povo. Esse qualquer coisa é o que está na nossa Constituição, nossa democracia e nosso direito de ir e vir", prosseguiu.

    Bolsonaro foi chamado a se manifestar em uma petição movida pelo deputado federal Elias Vaz Andrade (PSB). O parlamentar afirma que o presidente sugestiona a prática de atos criminosos e acusa as autoridades públicas de forma ambígua.

    "Além de ameaçar os destinatários da mensagem (do qual se desconhece ao certo) que as ações podem ser estímulos a intervenção do Exército Brasileiro e das forças armadas para manutenção da democracia e liberdade, como se houvesse atos violadores destes direitos fundamentais", argumenta o deputado.

    A ação é uma interpelação judicial. Neste tipo jurídico, que tem potencial de subsidiar eventuais ações penais, o objetivo é garantir espaço para esclarecimento preliminar de ações ou fatos questionados. "Para o bem da sociedade que se pretende seja conhecedora dos fatos: que se esclareçam as coisas", afirma o deputado federal Elias Vaz Andrade.

  • Vereadores de Camaçari apresentam pedidos de melhoria de infraestrutura

    Uma pauta extensa, composta por cerca de 50 proposições, marcou a 10a Sessão Ordinária da Câmara de Camaçari, realizada na manhã desta terça-feira (13/04). Entre os temas prioritários de discussão estiveram solicitações voltadas para melhorias na área de infraestrutura, dentre elas o pedido de requalificação urbanística do acesso às localidades turísticas da Costa de Camaçari, como Busca Vida, Vila de Abrantes, Jauá, Arembepe, Barra do Jacuípe, Guarajuba/Monte Gordo e Itacimirim/Barra do Pojuca.

    De autoria do vereador Gilvan Souza (PSDB), a Indicação No 111/2021 defende que turismo não é só receita, mas também demanda investimento. “Fomentar o turismo não é somente focar na receita que essa atividade gera, mas também demanda investimentos, especialmente em infraestrutura. Pedimos, portanto, que o Poder Executivo coloque em ação o projeto que já está pronto referente à requalificação desses acessos citados. E é importante dialogar com a comunidade porque é a partir disso que será possível restaurar e destacar as peculiaridades de cada localidade, marcando as características de cada uma delas”, afirmou o vereador. Ainda segundo o parlamentar, dialogar com a comunidade também ajuda a garantir o acolhimento das necessidades e proporcionar o bem-estar das famílias que residem e transitam pelo local diariamente.

    O pedido de revitalização da Praça Judith Gomes de Souza, localizada no bairro da Lama Preta, também esteve entre as sugestões, apresentado através da Indicação No 224/2021, do vereador Tagner (PT). “A área é muito importante para aquela comunidade, pois oferece um espaço de socialização para as famílias que residem no local e como poder público, precisamos fiscalizar para que esses equipamentos funcionem adequadamente”, destacou o parlamentar. Já a Indicação No 233/2021, apresentada pelo vereador Dilson Magalhães Júnior (PSDB), pede além da manutenção preventiva da mesma praça, que sejam instalados brinquedos adaptados para pessoas com deficiência física.

    Já para a comunidade de Parafuso foram aprovadas pelos parlamentares duas indicações de autoria do vereador Ivandel Pires (Cidadania). A Indicação No249/2021 trata da revitalização da Prainha de Parafuso com a realização de intervenções como reforma completa da praça, manutenção do parquinho e construção de barracas de apoio para os pescadores da comunidade. Já a Indicação No 250/2021 pediu o desassoreamento do Rio Prainha, localizado em Parafuso, que consiste na drenagem e limpeza do rio.

    Para Jauá, o presidente da Casa, vereador Júnior Borges (DEM) apresentou a Indicação No 216/2021, que solicitou ao Poder Executivo a revitalização da Fonte da Barrica, conhecida mais popularmente como Fonte de Jauá. “Essa fonte é tradicional naquela localidade e precisamos preservá-la como uma fonte de água limpa e que atende às demandas reais de quem a utiliza. Por isso pedimos que sejam feitos estudos técnicos para proceder com a revitalização”, explicou.

    Foram aprovados ainda durante a sessão, dois requerimentos de autoria de todos os vereadores para realização de audiências públicas. O Requerimento No 006/2021 prevê para o dia 29 de abril a realização de Audiência Pública para discutir a volta às aulas na cidade. Já o Requerimento No 005/2021 marca para o dia quatro de maio a Audiência Pública para debater os aspectos do transporte público do município.

  • Rui autoriza eventos com até 50 pessoas na Bahia

    Em decreto publicado nesta terça-feira (13) no Diário Oficial do Estado (DOE), o governador da Bahia, Rui Costa, autorizou a realização de eventos com até 50 pessoas no estado.

    Já os eventos com mais de 50 pessoas, ainda que previamente autorizados, seguem proibidos. Essas confraternizações incluem eventos desportivos, religiosos, cerimônias de casamento, feiras, circos, eventos científicos, solenidades de formatura, passeatas e afins, bem como aulas em academias de dança e ginástica.

    Já a venda de bebidas alcóolicas segue proibida na Bahia durante os finais de semana -- com a proibição iniciando às 18h de sexta-feira.

    No último domingo (11), Rui também prorrogou o toque de recolher na Bahia. Com isso, no período das 20h às 5h, em toda a Bahia, segue restrita a locomoção de pessoas, sendo proibida a permanência e o trânsito em vias, equipamentos, locais e praças públicas. 

    Segue proibida ainda, em todo o território baiano, a prática de qualquer atividade esportiva coletiva amadora até 19 de abril, sendo permitidas as práticas individuais, desde que não gerem aglomerações.

    O funcionamento de academias e estabelecimentos voltados para a realização de atividades físicas segue liberado, desde que limitada a ocupação ao máximo de 50% da capacidade do local, observados os protocolos sanitários estabelecidos. 

    Aulas presenciais: continuam suspensas, até 19 de abril, as aulas presenciais nas unidades de ensino, públicas e particulares, ressalvados os estágios curriculares obrigatórios dos cursos da área de saúde. 

    Transporte: a circulação dos meios de transporte metropolitanos deverá ser suspensa das 20h30 às 5h, até 19 de abril. A circulação dos ferry boats também será suspensa das 20h30 às 5h do dia 12 a 16 de abril, ficando vedado o funcionamento nos dias 17 e 18 de abril. 

    Lanchas e ferry-boat: a circulação fica proibida das 20h30 às 5h, até 19 de abril, limitada a ocupação ao máximo de 50% da capacidade da embarcação nos dias 17 e 18 de abril. 

    Em decreto publicado nesta terça-feira (13) no Diário Oficial do Estado (DOE), o governador da Bahia, Rui Costa, autorizou a realização de eventos com até 50 pessoas no estado.

    Já os eventos com mais de 50 pessoas, ainda que previamente autorizados, seguem proibidos. Essas confraternizações incluem eventos desportivos, religiosos, cerimônias de casamento, feiras, circos, eventos científicos, solenidades de formatura, passeatas e afins, bem como aulas em academias de dança e ginástica.

    Já a venda de bebidas alcóolicas segue proibida na Bahia durante os finais de semana -- com a proibição iniciando às 18h de sexta-feira.

    No último domingo (11), Rui também prorrogou o toque de recolher na Bahia. Com isso, no período das 20h às 5h, em toda a Bahia, segue restrita a locomoção de pessoas, sendo proibida a permanência e o trânsito em vias, equipamentos, locais e praças públicas. 

    Segue proibida ainda, em todo o território baiano, a prática de qualquer atividade esportiva coletiva amadora até 19 de abril, sendo permitidas as práticas individuais, desde que não gerem aglomerações.

    O funcionamento de academias e estabelecimentos voltados para a realização de atividades físicas segue liberado, desde que limitada a ocupação ao máximo de 50% da capacidade do local, observados os protocolos sanitários estabelecidos. 

    • Aulas presenciais: continuam suspensas, até 19 de abril, as aulas presenciais nas unidades de ensino, públicas e particulares, ressalvados os estágios curriculares obrigatórios dos cursos da área de saúde. 
    • Transporte: a circulação dos meios de transporte metropolitanos deverá ser suspensa das 20h30 às 5h, até 19 de abril. A circulação dos ferry boats também será suspensa das 20h30 às 5h do dia 12 a 16 de abril, ficando vedado o funcionamento nos dias 17 e 18 de abril. 
    • Lanchas e ferry-boat: a circulação fica proibida das 20h30 às 5h, até 19 de abril, limitada a ocupação ao máximo de 50% da capacidade da embarcação nos dias 17 e 18 de abril. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.