Quinta-feira, 28 de Maio 2020
1:13:13pm
Shoppings voltam a funcionar em sistema drive thru em Salvador

Shoppings voltam a funcionar em sistema drive thru em Salvador

Dois meses depois do início das restrições no funcionamento de shoppings centers a prefeitura de Salvador resolveu dar o primeiro passo a caminho da reabertura desses espaços. Na manhã desta segunda-feira (18), o prefeito ACM Neto autorizou esses estabelecimentos a funcionarem no sistema drive thru, ou seja, os clientes agora podem fazer as compras online e retirar os produtos diretamente no shopping.

Neto frisou que a medida não significa a reabertura imediata. Os clientes não podem, por exemplo, entrar nesses locais. A logística será similar a que foi implantada por alguns estabelecimentos no feriado do Dia das Mães: a pessoa faz a compra online, vai de carro até o shopping, entra com o veículo no estacionamento, recebe o produto do vendedor sem sair do carro, e retorna para casa.

“Nós autorizamos informalmente alguns shoppings que nos pediram para iniciar a operação de drive thru no período de Dia das Mães. Ela aconteceu com pleno êxito e sem qualquer risco para a saúde pública. Acreditamos, portanto, que foi uma operação bem sucedida e por isso decidimos oficializar a autorização para que eles funcionarem nesse modelo, de segunda a sábado, das 12h às 20h”, afirmou.

Os shoppings devem montar os pontos de entrega no estacionamento, com distanciamento de três metros entre cada um, e com apenas um funcionário por estrutura. O pagamento deve ser feito preferencialmente online, no ato da compra, ou através de cartão de crédito ou débito no local da retirada. Os produtos e equipamentos precisam ser higienizados na hora da entrega, o estacionamento não será cobrado, e não será permito o acesso de pessoas a pé.

Quem descumprir alguma das regras poderá ser interditado e terá o serviço suspenso. Lojas de rua também podem fazer uso do drive thru, mas, antes, precisam procurar a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) e apresentar um planejamento. A prefeitura quer evitar que o serviço provoque congestionamentos.

Além dos shoppings, foram anunciadas medidas para toda a cidade. Vendedores ambulantes terão que usar máscaras e manter o distanciamento de 2 metros entre as barracas. Quem descumprir a determinação poderá ter a licença suspensa.

No comércio formal as regras são manter a distância de dois metros entre os clientes, oferecer álcool gel na entrada e na saída dessas pessoas das lojas, e higienizar as superfícies de toque a cada 2 horas. Os meios de pagamento devem ser limpos após cada uso, e está proibida a testagem, prova ou experimentação nos estabelecimentos.

Todos os decretos com restrições, como a suspensão de aulas na rede pública e particular e do funcionamento de salões de bares e restaurantes, foram prorrogados até 1º de junho. Até o domingo, Salvador estava cm 70% dos leitos clínicos e 83% dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) ocupados. Na rede privada a taxa de ocupação das acomodações destinadas aos pacientes com a covid-19 está em 82%.

Menos bairros
Parece que a dura que a prefeitura deu nos moradores da Boca do Rio e do Centro da cidade surtiu efeito. Depois de uma análise sobre os dados desses bairros nos últimos dias, o município percebeu que a taxa de contaminação diminuiu nesses locais e resolveu retirar os dois da lista de lugares onde é necessário isolamento mais rígido.

A partir desta terça-feira (19), o comércio poderá reabrir nessas localidades e os vendedores ambulantes poderão retornar para a rua, mas mantendo o distanciamento de dois metros entre as barracas, o uso de máscaras e higienizando as mãos com álcool gel. As medidas valem tanto para as atividades informais como para as formais.

As equipes da prefeitura passaram o fim de semana examinando dados sobre os 163 bairros de Salvador. Eles analisaram informações como a quantidade de pessoas circulando nessas localidades, o número de veículos que transitam nessas regiões, o acúmulo de novos casos de coronavírus em cada uma dessas áreas, o número de óbitos, e as interdições feitas nos estabelecimentos que descumpriram os decretos municipais nessas localidades.

Novos bairros
Por outro lado, Plataforma não passou no teste e terá que seguir com isolamento rígido. Já os dados da Pituba serão divulgados apenas na quarta-feira (20). De qualquer forma, a quantidade de bairros com medidas de isolamento mais rígidas em Salvador para combater o avanço da contaminação do novo coronavírus aumentou.

Nesta segunda-feira, a prefeitura informou que acrescentou à lista Liberdade, Lobato e Bonfim. Essas três localidades estão com altos índices de transmissão da doença e, por isso, vão enfrentar as mesmas restrições da Boca do Rio, Plataforma, Centro e Pituba.

Na prática, serão permitidos o funcionamento apenas de supermercados, farmácias, agência bancarias, lotéricas, sistema de deliverry, repartições públicas, clínicas veterinárias, serviços de imagem e radiologia, atendimento de tratamento contínuo, como oncologia e hemofilia, e laboratórios de imagem. O comércio formal e os vendedores ambulantes terão que suspender as atividades a partir de quarta-feira (20).

Os comerciantes informais terão direito a uma cesta básica, mesmo aqueles que já receberam o auxílio de R$ 270 disponibilizado pela prefeitura. Nesses bairros serão distribuídas máscaras, realizados testes rápidos, feitas ações e combate ao Aedes aegypti e do Cras itinerante, será dado apoio às instituições que atendem crianças, idosos e pessoas com deficiência, e feita a higienização de ruas e avenidas.

Isolamento
As primeiras medidas de isolamento em Salvador começaram em março. No dia 14 daquele mês, um sábado, a prefeitura anunciou a proibição de eventos com mais de 500 pessoas na cidade, por tempo indeterminado, e a suspensão de viagens internacionais para os servidores. Na semana seguinte, município e estado apertaram ainda mais o cerco contra o novo coronavírus.

Na segunda (16/03), as aulas municipais foram suspensas na rede pública e privada, e parques públicos foram fechados. Na terça (17/03), as universidades de Salvador, Feira de Santana e Porto Seguro suspendem as atividades. Na quarta (18/03), é informado que shoppings, academias, cinemas e teatros serão fechados. Nesse mesmo dia a Universidade Federal da Bahia (Ufba) decide suspender as aulas por tempo indeterminado.

Na quinta (19/03), o governador suspende as aulas na rede estadual e particular de ensino. Na sexta (20/03), as Rodoviárias de Salvador, Feira de Santana, Porto Seguro, Prado e Bom Despacho, na Ilha de Itaparica, são fechadas. O ferry-boat e as lanchas para Vera Cruz sofrem redução de 30% na capacidade e alteram horários de funcionamento para evitar aglomerações. Já o transporte hidroviário para Morro de São Paulo e Barra Grande é suspenso. No sábado (21), as praias do Farol da Barra, Porto da Barra, Rio Vermelho, Piatã, Itapuã e Ribeira são fechadas, inicialmente, por 15 dias

Confira a linha do tempo das medidas de isolamentos mais importantes:

14 de março – Prefeitura anuncia a proibição de eventos com mais de 500 pessoas na capital, por tempo indeterminado, e a suspensão de viagens internacionais para os servidores;

16 de março – Prefeito ACM Neto determina a suspensão das aulas da rede municipal e particular da cidade, por 15 dias, o fechamento de parques públicos e a suspensão de férias e licenças de profissionais da Saúde, Guarda Municipal, Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), e Defesa Civil (Codesal);

17 de março – Universidades de Salvador, Feira de Santana e Porto Seguro suspendem as atividades;

18 de março - Prefeito ACM Neto anuncia em entrevista coletiva o decreto que determinou o fechamento dos shoppings centers por 15 dias, a partir do sábado (21). Academias, cinemas e teatros também foram fechados. Ufba decide suspender as aulas por tempo indeterminado;

18 de março – Nesse mesmo dia, o governo Rui Costa solicita à Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) e à Agência Nacional da Vigilância Sanitária (Anvisa) que todos os voos internacionais, assim como os com origem ou destino de São Paulo e do Rio de Janeiro fossem suspensos na Bahia;

19 de março – Governador Rui Costa decreta a suspensão das aulas na rede estadual e privada da Bahia;

20 de março – Os Terminais Rodoviários de Salvador, Feira de Santana, Porto Seguro, Prado e Bom Despacho (Ilha de Itaparica) são fechados por determinação do governo do estado;

20 de março – O funcionamento do ferry-boat e das lanchas para Vera Cruz sofre redução de 30% e altera horários de funcionamento para evitar aglomerações. Suspenso o transporte hidroviário para Morro de São Paulo e Barra Grande;

21 de março – As praias do Farol da Barra, Porto da Barra, Rio Vermelho, Piatã, Itapuã e Ribeira foram fechadas ao público por 15 dias;

25 de março – Publicado decreto municipal determinando o fechamento dos salões de bares e restaurantes em Salvador, por 15 dias. Os estabelecimentos são autorizados apenas a vender comidas para viagem e oferecer delivery. Outros decretos proíbem o funcionamento de igrejas, salões de beleza, academias de condomínio e obras particulares que não sejam essenciais;

27 de março – Prefeitura determina a suspensão das atividades do comércio de rua de Salvador com área superior a 200 metros quadrados. Até aquele momento 85 estabelecimentos tinham sido interditados e outros 32 perderam a licença por descumprir os decretos.

10 de abril – Governador Rui Costa publica no Diário Oficial do Estado um novo decreto de calamidade pública – o primeiro foi publicado um mês antes. A medida foi para facilitar o acesso aos recursos federais para o combate à pandemia da covid-19.

11 de maio – Os bairros da Boca do Rio, Plataforma e o Centro entram em isolamento setorizado. As medidas de restrições ficam mais rígidas porque essas regiões apresentaram índice elevado de contaminação.

13 de maio – Prefeitura aumenta as restrições ao bairro da Pituba, região com o maior número de pessoas infectadas. Apenas serviços essenciais são autorizados a funcionar e o calçadão à beira-mar é interditado para evitar aglomerações.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.