Festival da Virada pode ter protocolos menos rígidos, se pandemia permitir

Festival da Virada pode ter protocolos menos rígidos, se pandemia permitir

Caso o Festival da Virada aconteça, a prefeitura pode estabelecer regras menos rígidas das que estão em vigor atualmente para o setor de eventos de Salvador. Isso vai depender, segundo o prefeito Bruno Reis, se a situação epidemiológica da pandemia da covid-19 estiver melhor. “Se vão ter protocolos mais ou menos rígidos, vai depender do avanço da pandemia, mas com certeza vão ter protocolos”, disse.

A declaração foi dada em entrevista coletiva realizada durante a entrega de uma nova geomanta na Rua Diva Pimentel, no bairro Fazenda Grande do Retiro. Bruno relembrou que, atualmente, só são permitidos eventos de até 1,1 mil pessoas. “São regras sérias que atendem desde ao consumo de bebida até a forma de acesso aos eventos”, recorda.

Como o Festival da Virada de Salvador é um evento que, normalmente, reúne milhares de pessoas e chama a atenção de turistas do Brasil todo, a expectativa do setor do turismo é que ele não seja realizado sob as regras atuais. Mas Bruno reforça:

“O que vai determinar uma rigidez maior ou menor, sendo possível realizar o Festival da Virada, é como esteja a pandemia. Como ela está se comportando de forma global”, diz.

O prefeito também lembrou que a realização do evento ainda não é dada como certa. A expectativa é que uma decisão seja tomada ainda em outubro com base no que é observado na realização de grandes eventos em outros locais do Brasil e do mundo.

“Essa semana, por exemplo, a gente comemora a festa da padroeira Nossa Senhora Aparecida. A previsão é que mais de 100 mil pessoas estejam lá [em Aparecida – São Paulo] para celebrar essa data. Vamos ver as consequências disso. Todos os eventos que estão acontecendo no Brasil e no mundo estão servindo de parâmetro para a gente tomar a nossa decisão", disse.

Itens relacionados (por tag)

  • Decisão sobre Réveillon e Carnaval será tomada este mês; veja o que está em jogo

    Para participar do Réveillon e do Carnaval de Salvador será preciso ter completado a vacinação contra a covid-19 com as duas doses. Nesta segunda-feira (04), o prefeito Bruno Reis (DEM) informou que vai exigir o certificado de vacinação nos pórticos de acesso à folia. Ele também não descarta adotar outras medidas. Apesar do anúncio, a prefeitura ainda não tem certeza se as duas festas vão ocorrer. A decisão será tomada até o final deste mês.

    Bruno Reis participava da entrega de uma escola em Fazenda Grande II, região de Cajazeiras, quando foi questionado se cogita adotar protocolos de proteção contra a covid-19 no Carnaval. O gestor disse que a realização da festa ainda está em análise e vai depender do cenário da pandemia, mas adiantou que as medidas sanitárias que forem pensadas para o Carnaval também serão aplicadas ao Réveillon.

    “Ainda no mês de outubro daremos início à discussão sobre as festas de Réveillon e Carnaval. Vamos exigir, para ter acesso, as duas doses da vacina. Disso não abro mão. A festa do Réveillon acontece em um espaço fechado e para as pessoas terem acesso, terão que ter as duas doses. E, no Carnaval, a gente colocará barreiras para fazer as revistas e garantir as restrições das marcas e, se for possível, serão instaladas mais cedo para exigirmos a comprovação da vacinação”, afirmou.

    O prefeito disse que não descarta adotar outros protocolos e que os detalhes serão discutidos nos próximos dias. No Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes está otimista para a realização das duas festas e disse que vai flexibilizar as medidas de proteção. Segundo O Globo, ele afirmou, no domingo (03), que depois da vacinação a vida vai voltar ao normal.

    Bruno Reis, porém, opta pela cautela. “O Rio de Janeiro nunca foi parâmetro para nossas decisões. O Rio durante a pandemia sempre teve permissividade muito maior do que a média dos outros estados e capitais. O Rio, recentemente, foi a cidade mais impactada com a variante delta. Eles restabeleceram leitos e tiveram aumento de casos. Mas, se o prefeito dá uma mensagem nesse sentido é porque a própria variante delta não trouxe as consequências que os cientistas esperavam. Mas eu discordo de não ter protocolos”, disse.

    Em Salvador, o Réveillon acontecerá entre os dias 29 de dezembro e 2 de janeiro. Durante evento, em agosto, o prefeito revelou que as atrações estão confirmadas e que serão cinco dias de festa, mas frisou que tudo vai depender dos números da pandemia. Ontem, ele voltou a dizer que o comportamento da variante delta e a taxa de ocupação dos leitos serão considerados na decisão.

    Cenário
    Apesar da variante delta ter sido confirmada em Salvador, não houve alteração no quadro da pandemia. Atualmente, a ocupação dos leitos clínicos e de UTI na cidade está em 26%. Nos últimos dois meses, o percentual tem ficado abaixo de 30%. Em toda a Bahia, a ocupação nas UTIs também está em 26% e a dos leitos clínicos em 20%. Já os leitos pediátricos têm números maiores: 48% para clínicos e 59% para UTIs.

    A vacinação é outro elemento importante na equação. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), 2 milhões de pessoas receberam a 1ª dose (93% da população com 18 anos ou mais) e 1,2 milhão recebeu a 2ª (78% do público). Já a dose de reforço aplicada em idosos e profissionais de saúde tem 52 mil registros. A Bahia tem cerca de 15 milhões de habitantes e 5,3 milhões estão completamente imunizados.

    Enquanto as autoridades discutem a possibilidade de realizar o Carnaval, a estudante e manicure Ana Luísa Lima, 22, disse que já separou a roupa da folia. Apesar do evento ser em fevereiro, ela já está em contagem regressiva.

    “Não aguento mais essa pandemia. Tomei minha vacina, e todo mundo lá em casa também, porque queremos voltar a ter uma vida mais tranquila. A prefeitura faz bem em pensar em algumas medidas”, opina.

    No Festival Virada da passagem de 2019 para 2020, o evento reuniu 2 milhões de pessoas nos cinco dias de festa. E o administrador Daniel Ventura, 28, estava na multidão. “Saudades do que a gente já viveu. Espero que a situação melhore, que os números da pandemia caiam ainda mais e que a gente possa dizer de coração ‘adeus ano velho e feliz ano novo’. Depois de tudo o que vivemos e estamos passando, a gente merece”, afirmou.

    Festas em números:

    Carnaval 2020

    16,5 milhões de foliões nas ruas
    1,1 milhão nos bairros
    2,6 mil horas de música
    1.016 apresentações de trios, fanfarras, palcos e blocos
    12,7 mil artistas envolvidos na programação
    210 atrações em corda
    Festival Virada 2019/2020

    2 milhões de foliões
    1 milhão de foliões no dia 31 de dezembro
    49 apresentações
    70 horas de música
    5 dias de festa
    Taxa de ocupação dos leitos:

    UTI em Salvador: 26%
    Clínicos em Salvador: 26%
    UTI na Bahia: 26%
    Clínicos na Bahia: 20%
    Vacinação em Salvador:

    1ª dose: 2 milhões de vacinados
    2ª dose: 1,2 milhão de vacinados
    3ª dose (reforço): 52 mil vacinados
    Bairros com maior número de casos confirmados:

    Pituba (7.752 desde o início da pandemia)
    Pernambués (6.750)
    Brotas (6.480)
    Itapuã (5.367)
    Fazenda Grande do Retiro (4.570)
    Liberdade (4.232)
    São Marcos (4.206)
    Cabula (3.959)
    São Cristóvão (3.914)
    Federação (3.866)

  • Novo decreto mantém shows com público superior a 500 pessoas proibidos na Bahia

    A realização de shows, festas, públicas ou privadas, e afins, independentemente do número de participantes, segue suspensa em todo território do estado da Bahia até 10 de setembro. Até esta data, estão autorizados apenas eventos e atividades com público de até 500 pessoas, como cerimônias de casamento, eventos urbanos e rurais em logradouros públicos ou privados, circos, parques de exposições, solenidades de formatura, passeatas, funcionamento de zoológicos, museus, teatros e afins.

    Nos municípios integrantes de Regiões de Saúde em que a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19 se mantiver superior a 50%, por cinco dias consecutivos, os eventos e atividades devem acontecer com público de até 100 pessoas. O decreto não estabelece restrição de locomoção noturna, medida que também não estava estabelecida na versão original do decreto.

    As medidas estão previstas na atualização do decreto nº 20.658, que o Governo do Estado publicou no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (31), prorrogando até 10 de setembro de 2021 todas as medidas estabelecidas na primeira versão do documento, publicado originalmente em 20 de agosto de 2021. As medidas contra a pandemia do novo coronavírus foram estabelecidas de acordo com a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19 nos municípios baianos.

  • Prefeito volta a proibir eventos com até 500 pessoas em Feira de Santana

    O prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins, anunciou que suspendeu a permissão da realização de eventos com até 500 pessoas na cidade. De acordo com a gestão municipal, a decisão ocorre por conta da "falta de comprometimento de promotores de eventos e empresários deste setor, somado à irresponsabilidade de alguns cidadãos".

    Um novo decreto com a oficialização da suspensão foi publicado nesta quarta-feira (18). Além disso, medidas de segurança contra o coronavírus foram anunciadas.

    Uma das principais mudanças é a alteração no horário das atividades econômicas.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.