Quinta-feira, 5 de Agosto 2021
8:36:30am
Alagoinhas gera revolta ao liberar vacina para alunos de Medicina que estudam fora do país

Alagoinhas gera revolta ao liberar vacina para alunos de Medicina que estudam fora do país

A Prefeitura de Alagoinhas, a 124km de Salvador, decidiu eleger como grupo prioritário para a vacinação contra a covid-19 os estudantes de medicina de instituições de fora do país, que poderiam se imunizar no município desta terça-feira, 06 até a quinta-feira, 08 de julho. A medida, postada nas redes sociais da administração municipal na noite de segunda-feira (05), irritou moradores da cidade como a estudante Victória Veiga, 22 anos, que ficou sabendo da iniciativa pela internet.

"Todas as pessoas que eu conheço e que conversei sobre [o assunto], receberam essa informação com indignação. Não faz o menor sentido colocar como prioridade um grupo que nem sequer estuda, estagia ou atua na cidade", diz a jovem.

Outros moradores de Alagoinhas, ontem, usaram as redes sociais para expressar o descontentamento com a notícia. Procurada pela reportagem, a prefeitura da cidade não se manifestou sobre o caso até o fechamento desta reportagem, às 23h30 desta terça-feira, 06.

O analista de qualidade Mateus Moraes, 20, foi um dos moradores que criticou a decisão e afirmou que ‘a campanha de vacinação na cidade é orientada por status e não pela necessidade de salvar vidas’. "A prefeitura está utilizando critérios sem fundamento. Existem pessoas muito mais expostas ao vírus como os professores com menos de 30 anos, os comerciantes e a classe industrial. A vacinação aqui tem sido mais valorizada pelo status que gera para a prefeitura, no sentido de dizer que está imunizando mais gente que as outras cidades, do que pelo cuidado com as pessoas", opina o jovem, que relata que só existem dois pontos de vacinação em toda a cidade, o que causa aglomeração nas filas e expõe os cidadãos.

Indignação

Ainda de acordo com o analista, enquanto a gestão municipal elege estudantes de medicina que não estudam no município como grupo prioritário, estudantes de cursos de saúde que moram em Alagoinhas não receberam ainda a vacina anticovid.

Esse é o caso, por exemplo, da graduanda Kamilla Queiroz, 23 anos, que estuda odontologia. Ela é aluna da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), mas é natural de Alagoinhas e está na cidade natal desde o início da pandemia. Inclusive, Kamila conseguiu obter o direito à vacinação por conta das clínicas odontológicas que a UEFS mantém para a prática dos futuros profissionais e que estão paradas por conta da crise sanitária, mas acabou não se imunizando porque, no centro de vacinação da cidade, foi informada de que precisaria tomar as doses a que teria direito em Feira de Santana, onde a sua faculdade está situada.

Para ela, ver o anúncio de que quem estuda fora do país pode se vacinar, enquanto quem estuda na Bahia teve o direito à vacina negado foi uma surpresa desagradável:

"Nós, estudantes e moradores fomos pegos de surpresa com essa notícia, de forma vergonhosa. Por que pessoas que fazem faculdade de medicina em outro país são prioridade aqui? Por que a negligência com os estudantes de saúde do próprio município? Todos com quem conversei estão profundamente irritados e questionando se a prioridade da vacinação é o dinheiro", declarou Kamilla à reportagem.

Não precisa nem ser prejudicado diretamente pela prioridade para estar contra a decisão da prefeitura. Entre as pessoas ouvidas pelo CORREIO, a indignação é unanimidade. Uma moradora, que preferiu não se identificar, não poupou críticas à atual gestão.

"Eu acho um absurdo essa mobilização para vacinar estudantes de fora do país. Não tem lógica nenhuma. Acredito que, se fosse para ter prioridade, deveria ser para quem trabalha na rua, para o pessoal do camelódromo ou trabalhadores de lojas que correm mais riscos", afirmou a moradora.

O Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), que tem monitorado a vacinação na Bahia e chegou a protocolar pedidos no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a vacinação determinados grupos, considerados prioritários em decisões da CIB – Comissão Intergestores Bipartite; além de orientar secretarias de saúde de prefeituras a não fazer a vacinação desses grupos, foi procurado para falar sobre o caso de Alagoinhas, mas não respondeu até o fechamento desta reportagem.

O que diz a Sesab

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), também foi procurada e declarou que, na campanha de vacinação no estado, ainda há determinados grupos com prioridades para a imunização, mas salientou que outros não serão adicionados. No mês passado, a CIB decidiu que a vacinação no estado deveria seguir pelo critério de idade, com exceção dos grupos prioritários já estabelecidos.

"Os grupos prioritários continuam existindo, o que não ocorrerá mais é a inclusão de novos grupos. É preciso ficar claro que todas as pessoas têm o direito à imunização no Sistema Único de Saúde (SUS)", escreveu a Sesab, em nota enviada à reportagem.

A secretaria afirmou ainda que não tem conhecimento da situação de Alagoinhas, mas deixou claro que estudantes de medicina durante o internato estão dentro dos grupos prioritários.

"Ressaltamos ainda, apenas como exemplo, que existem brasileiros que estão viajando para os Estados Unidos para serem imunizados. Um estrangeiro que recebe uma dose da vacina em seu país e viaja para o Brasil tem direito a tomar a segunda dose, caso esteja em trânsito. A vacinação é universal contra a covid-19. Não há, portanto, qualquer ‘fura-filas’ no caso hipotético por ser de outro país", concluí a nota da Sesab.

Itens relacionados (por tag)

  • Novo lote com 86,6 mil doses de vacinas contra a covid chega à Bahia

    Uma nova remessa com 86.600 doses de Coronavac chegou a Salvador na manhã desta quarta-feira (4). O avião pousou no aeroporto de Salvador às 9h20, segundo a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab).

    A aeronave com a segunda carga de vacinas prevista para chegar hoje deve pousar às 16h50. São mais 165.630 doses da vacina da Pfizer/BionTech. Com isso, no total a Bahia recebe mais 249.230 doses hoje.

    Segundo a Sesab, as doses da Coronavac serão divididas para primeira e segunda aplicação. Já as da Pfizer serão integralmente usadas para a primeira dose.

    As vacinas serão conferidas pela equipe da coordenação de imunização da Secretaria da Saúde do Estado e devem começar a ser enviadas para as regionais de saúde, de onde serão encaminhadas para os municípios nesta quinta-feira. Elas serão remetidas, exclusivamente, aos municípios que aplicaram 85% ou mais das doses anteriores. Esta foi uma decisão da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que é uma instância deliberativa da saúde e reúne representantes dos 417 municípios e o Estado.

    Com as duas remessas desta quarta, a Bahia chegará ao total de 11.582.140 doses de vacinas recebidas, sendo 4.120.500 da Coronavac; 5.586.900 da AstraZeneca/Oxford; 1.619.940 da Pfizer e 254.800 da Janssen.

  • Mais 249 mil doses de vacinas chegam à Bahia nesta quarta

    Mais vacinas vão chegar à Bahia nesta quarta-feira (4). Serão 249 mil doses das vacinas Coronavac e Pfizer, segundo informações da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab).

    A primeira remessa, com 86.600 doses de Coronavac, vem em um voo previsto para pousar na capital às 9h35. Já a segunda carga, com 162.630 doses da Pfizer, desembarca por volta das 16h50.

  • Após ofensas contra chef, secretário de Saúde da Bahia pede exoneração do cargo

    Um dia após a divulgação das ofensas do secretário estadual de Saúde Fábio Vilas-Boas contra a chef e empresária Angeluci Figueiredo, do Preta, o gestor pediu exoneração o cargo. A saída de Fábio Vilas-Boas do cargo que ocupava desde janeiro de 2015, ainda no primeiro mandato de Rui Costa, foi anunciada pelo Governo do Estado, através de nota divulgada à imprensa, e minutos depois reafirmada pelo próprio Vilas-Boas nas suas redes sociais. O cardiologista entregou uma carta com o pedido de exoneração na tarde desta terça-feria (3) e a solicitação foi aceita pelo governador Rui Costa.

    Na carta, o médico agradeceu a confiança do governador que lhe fez o convite e que "me deu a oportunidade de contribuir para uma verdadeira revolução na saúde visando atender a quem mais precisa". Fábio também desculpou-se por episódios recentes envolvendo a empresária Angeluci Figueiredo.

    O governador Rui Costa agradeceu pelo empenho com que o médico conduziu a pasta durante sua gestão. O substituto de Fábio Vilas-Boas será anunciado nos próximos dias. Interinamente, a Sesab será conduzida pela subsecretária Tereza Paim.

    As ofensas contra a chef do restaurante Preta ocorreram durante uma troca de mensagens de texto no domingo (1º). O ex-titular da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) se exaltou com a chef ao encontrar o restaurante fechado, numa excursão ao lado de parentes e amigos, e enviou diversos insultos à profissional via WhatsApp.

    Na segunda-feira (2), uma carta de Angeluci em resposta às ofensas do secretário e explicando as circustâncias circulou pelas redes sociais. Em seguida, secretário pediu desculpas “pelos comentários inadequados”, “em circunstâncias injustificáveis”.

    Diversas entidades, como a OAB-BA e o Conselho de Turismo da Bahia divulgaram nota para repudiar a atitude do então secretário Fábio Vilas-Boas.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.