Sábado, 8 de Maio 2021
1:49:11pm
Forrozeiro Del Feliz é assaltado enquanto gravava clipe na Barra

Forrozeiro Del Feliz é assaltado enquanto gravava clipe na Barra

O forrozeiro Del Feliz foi vítima de um assalto a mão armada enquanto gravava um clipe no Cristo da Barra, em Salvador, nesta quarta-feira (28). Na ação criminosa, ocorrida por volta das 8h da manhã, o assaltante levou os celulares do cantor e de seu produtor.

Em entrevista ao CORREIO, o cantor revelou que conseguiu recuperar os aparelhos pouco tempo depois. Enquanto o produtor tentou perseguir o assaltante, que correu em direção à Ondina, Del localizou policiais, que interceptaram o ladrão na altura do Vila Galé, em Ondina.


"Foi um susto. O celular é algo material, que a gente recupera depois, mas o maior medo é a vida, pois você nunca sabe o desfecho de um assalto. Alguém que coloca uma arma na cintura e vai assaltar não tem apego a vida, pois ele sabe que pode matar ou morrer durante o crime", relata o forrozeiro.

Outra preocupação do cantor também eram os arquivos armazenados no aparelho. Del Feliz está gravando uma série de videoclipes por cidades do Nordeste em parceria com artistas como Dudu Nobre, Falamansa e Emanuelle Araújo.

Boa parte do material gravado estava arquivado no próprio celular e seria perdido durante o assalto, pois não foi feito um back-up.

Um dos lançamentos de Del foi, inclusive, um jingle em homenagem à Polícia Militar da Bahia. "Curiosamente 30 dias após eu lançar a música, pude contar com a ajuda deles que, como sempre, estavam prontos para atender o cidadão", diz.


"É importante saber que temos profissionais como os policiais e médicos, por exemplo, à postos para nos ajudar durante essa pandemia. É um momento difícil, onde as pessoas estão perdendo vidas, empregos, ficando sem educação", analisa o cantor.

Itens relacionados (por tag)

  • Salvador estima vacinar 50% da população até junho; veja grupos contemplados

    O vacinômetro de Salvador apontava, às 18h desta quarta-feira, 05, 563.719 pessoas vacinadas com a primeira dose contra a covid-19 na capital, o que equivale a 29% da população acima de 18 anos vacinável da cidade. Mas, a estimativa da prefeitura é avançar nesses números. De acordo com o prefeito Bruno Reis, a ideia é chegar até o final de junho com 50% da população vacinável - o que equivale a cerca de 900 mil pessoas - tendo tomado ao menos a primeira injeção contra o coronavírus.

    “Nós estamos apostando que vai ter mais vacina, o governo vai cumprir o calendário e vamos chegar no final de junho com 50% da população vacinável com a primeira dose garantida”, disse o gestor durante coletiva virtual de imprensa, durante a entrega da última etapa da Estrada Velha do Aeroporto e o lançamento do programa Maio Amarelo.

    Segundo Bruno Reis, é necessário que a vacinação seja acelerada para que o município consiga reduzir investimentos que estão sendo feitos no combate a pandemia.

    “Se a prefeitura, até o final de junho, não imunizar 50% da sua população vacinável, nós não teremos mais condições de manter o nível de investimento na área social, de saúde e transporte público como estamos fazendo hoje. Nosso cofre não comporta”, alertou o prefeito.

    Para dar conta desse aumento na vacinação, o prefeito disse que será lançado um processo seletivo para contratar, sob Regime Especial de Direito Administrativo (Reda), mais de 250 profissionais que vão trabalhar na imunização da população. “Investir em vacina é primeiro salvar vidas e é o melhor investimento, pois ela permite reduzir o nível de investimento em outras áreas. Quem mais quer acelerar a vacinação sou eu”, afirmou.

    Nesse processo de aceleração da imunização, os grupos que estão na expectativa para serem vacinados não escondem a ansiedade. O professor de química Jefferson Ribeiro, 24 anos, só espera o sinal verde da escola particular onde trabalha para se dirigir ao posto de vacinação. É que, após decisão judicial, todos os trabalhadores da Educação estão sendo vacinados em Salvador. “Eu tenho asma. É verdade que há algum tempo não tenho crise, felizmente, mas não quero ficar desprotegido”, disse Jefferson.

    Mesmo podendo retornar às atividades presenciais desde a segunda-feira (03), a escola em que o professor leciona decidiu manter o ensino remoto, por enquanto. “Eu prefiro estar na sala de aula do que ter que fazer aula online, pois no virtual eu não consigo perceber se o aluno está entendendo bem. Gosto de ficar em pé no quadro, algo mais tradicional mesmo. Mas para isso, tenho que estar vacinado com as duas doses”, disse.

    Para ficar imunizado, tem de tomar duas doses
    O desejo do professor Jefferson em tomar logo as duas doses de vacina e completar seu esquema vacinal é o que deve ser feito por todo mundo, indicam os especialistas. Até essa semana, Salvador vinha imunizando a população apenas com duas vacinas: a CoronaVac, produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria, no Brasil, com o Instituto Butantan; e a da farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford e envazada pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) em território brasileiro.

    Agora, a Secretaria Municipal da Saúde de Salvador (SMS) conta também com doses da vacina produzida pela empresa americana Pfizer junto com a alemã BioNTech. Foram 26.910 doses que desembarcaram na Bahia na segunda-feira (03). Todas ficaram em Salvador e desde a terça, 04, estão sendo aplicadas na população. O intervalo adotado em Salvador para a aplicação da segunda dose da Pfizer é de 90 dias.

    No total, 254.847 pessoas de Salvador já completaram todo o esquema vacinal, tomando a primeira dose e o reforço, segundo os dados desta quarta, 05, do Vacinômetro municipal. Já a Bahia ultrapassou a marca de 2,5 milhões de baianos que tomaram a primeira dose, o que representa quase 17% da população do estado. Outros 1,2 milhão de baianos completaram o esquema vacinal com as duas doses (veja no final do texto a lista de pessoas que já podem ser imunizadas na capital baiana).

    Salvador segue sem CoronaVac
    A CoronaVac é a única vacina que está em falta em Salvador, desde a terça-feira (4). Segundo o prefeito Bruno Reis, nesta quinta-feira, 06, um novo lote com 50 mil doses desse imunizante vai desembarcar na Bahia e Salvador ficará com 10 mil doses. A quantidade não é suficiente para atender as 65 mil pessoas que estão na fila para tomar a 2ª dose e estão com o prazo adiado. “Até o dia 1º de maio nós conseguimos aplicar a segunda dose com base no cartão. De lá pra cá tivemos que reduzir por letras”, lamentou o prefeito, que culpou o Ministério da Saúde por ter causado o problema.

    “Sempre fazíamos a retenção de 50% das doses. Mas tiveram as remessas dos lotes 8, 9 e 10 que o governo federal autorizou aplicar 100%, garantindo que, na data de vencimento, teria mais vacina para aplicar a segunda dose. Assim fizemos e essas doses não chegaram”, afirmou.

    Segundo Burno Reis, Salvador ficou 18 dias sem receber qualquer dose de CoronaVac. O último lote foi no sábado, 30 de abril, com apenas 3 mil doses. “Os municipios ficam com a pior parte. Somos os que têm mais responsabilidades e menos autonomia. Se o governo federal disse que 100% das doses poderiam ser aplicadas e que eles garantiriam a vinda da segunda, o que a gente iria fazer? Se tivéssemos retido, iriam questionar se era uma decisão política. A gente tem que seguir o Ministério da Saúde, cumprir o que foi determinado”, apontou.

    Só para segunda dose
    Por causa da fila para a segunda dose de CoronaVac em Salvador, a prefeitura interrompeu a aplicação desse imunizante como primeira dose. A meta, segundo o prefeito, é só voltar a usar a CoronaVac quando todo o público que aguarda a 2ª dose for imunizado.

    “Nós esperamos que cheguem mais doses e todas que chegarem serão usadas exclusivamente para as segundas doses. Nós só vamos voltar a aplicar a primeira dose da CoronaVac depois que zerar essa fila de pessoas que não estão recebendo na data correta”, disse.

    Atualmente, o número de pessoas que aguardam a segunda dose em Salvador, segundo o levantamento do CORREIO com a SMS, é de 65 mil pessoas. Caso haja mais atrasos no envio de novas ampolas, o número de ameaçados de atrasar o esquema vacinal pode chegar a 86 mil pessoas, considerando as pessoas que estão programadas para serem imunizadas até segunda,10 de maio.

    Quem já pode ser imunizadas em Salvador?
    *Idosos com 60 anos ou mais de idade nascidos até o dia 31 de dezembro de 1961.
    *Pessoas com todas as comorbidades elencadas no Plano Nacional de Imunização com idade igual ou superior a 40 anos.
    *Pessoas com transtorno Intelectual severo e moderado, entre elas as pessoas com Espectro Autista, com idade entre 18 e 59 anos,
    *Pessoas com 55 anos ou mais de idade com deficiência permanente e cadastro ativo para o recebimento do Benefício de Prestação Continuada (BPC)
    *Imunossuprimidos com idade entre 18 e 59 anos
    *Pessoas com síndrome de down com idade entre 18 e 59 anos
    *Pacientes em hemodiálise
    *Pacientes transplantados
    *Trabalhadores da saúde e autônomos
    *Doulas
    *Trabalhadores da limpeza urbana com 40 anos ou mais que atuem em Salvador
    *Trabalhadores do ensino superior das redes privada e pública de Salvador, com 40 anos ou mais de idade
    *Trabalhadores da educação básica da rede pública e privada com idade igual ou superior a 18 anos
    *Rodoviários com idade igual ou superior a 50 anos
    *Agentes de segurança com idade igual ou superior a 40 anos

  • Governo autoriza venda de bebidas alcoólicas aos fins de semana em Salvador

    O governo da Bahia, em decreto publicado nesta quarta-feira (5), autoriza o retorno da venda de bebidas alcoólicas em Salvador e nas regiões do estado com ocupação de menos de 75% nas UTIs de covid-19.

    Além disso, o decreto também autoriza o retorno das atividades nas unidades de ensino, públicas e particulares, da capital. A volta às aulas é exclusiva em Salvador.

    Já o toque de recolher foi reduzido, também na capital. Agora as restrições de locomoção vão das 22h às 5h a partir desta quarta-feira (5).

    inda de acordo com o decreto, caso a ocupação de leitos de UTI Covid volte a atingir o índice de 80% em Salvador, poderá haver alteração no horário do toque de recolher, na liberação de aulas e na comercialização de bebidas.

    Como fica o resto da Bahia
    No restante do estado, para liberação das aulas semipresenciais em cada município e venda de bebida alcoólica aos finais de semana, continua a valer a determinação de que as regiões de saúde precisam alcançar a taxa de 75% ou menos de ocupação de leitos de UTI por cinco dias consecutivos.

    Esse mesmo critério vale para alterar para 22h o início do toque de recolher nos outros municípios baianos.

     

  • Aplicação da segunda dose da CoronaVac é suspensa em Salvador

    A aplicação da 2ª dose da CoronaVac será suspensa em Salvador a partir desta quarta-feira (5), por conta do desabastecimento do imunobiológico pelo Governo Federal. A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) aguarda o recebimento de novo lote para regularizar a situação na capital baiana e, assim, realizar o fechamento do esquema vacinal daqueles que já receberam a primeira dose.

    A imunização domiciliar, através do Vacina Express, está mantida para a segunda dose da CoronaVac nesta quarta-feira (5). A segunda aplicação das doses da vacina Oxford também segue sem restrição para os indivíduos habilitados no município.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.