Quinta-feira, 5 de Agosto 2021
9:31:50am
Mãe narra desespero ao encontrar filho de 3 anos morto: 'estava com o dente travado'

Mãe narra desespero ao encontrar filho de 3 anos morto: 'estava com o dente travado'

Ao descer as escadas do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba, a doméstica Daniela Galeão Góes, 25, desabafou: “Ele estava gelado, o dente travado e o pescoço todo marcado”. Após o depoimento, prestado na manhã desta terça-feira, 20, ela ainda procurava respostas para a violência praticada contra seu filho caçula, Luís Fernando, de 3 anos, encontrado morto numa casa no bairro de Valéria, durante a madrugada. “Não consigo entender porque ela fez isso”, disse a mãe, que acusou a vizinha, de apelido Cacau, dona do imóvel onde o menino foi localizado.

O corpo de Luís Fernando Galeão Góes foi encontrado pela própria mãe e outros moradores dentro de um saco de linhagem, debaixo de uma mesa. Na hora, estavam no imóvel a vizinha e a mãe dela, que aproveitaram o tumulto para fugir.

Poucas horas depois, ainda na manhã desta terça, 20, as duas suspeitas foram encontradas mortas com sinais de agressão, em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Segundo a polícia, os corpos de Rosenilda de Cássia Gonçalves, de 61 anos, e Uelma Gonçalves da Cruz, 38, foram achados perto de uma fábrica no CIA. Uma equipe da 22ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) foi ao local após receber denúncia sobre corpos abandonados na Estrada Santo Antônio do Rio das Pedras.

As mortes das duas serão investigadas pela 22ª Delegacia (Simões Filho). Já o assassinato do menino é investigado pela 3ª Delegacia de Homicídios, em Salvador.

Buscas
Daniela contou que, por volta das 18h de anteontem, Luís Fernando e a irmã, de 4 anos, brincavam com o filho da vizinha, de 7 anos, na Rua Manoel Quirino. “A irmã entrou para fazer xixi e eu o chamei, mas Luís disse que ia continuar brincando com o amigo de pega-pega”, contou. Aproximadamente uma hora depois, a doméstica deu por falta do filho e foi procurá-lo. Os vizinhos disseram que viram o menino ainda brincando.

“Os meninos eram muito amigos. Às vezes o meu filho ficava na casa dela, outras vezes o filho dela ficava lá em casa. Os dois se davam muito bem e eu e ela também. A gente ia juntas buscar cestas básicas”, contou Daniela.

Em busca do filho, a doméstica foi à casa da vizinha, a 100 metros de sua. “Primeiro, ela disse que Luís não estava lá e que o filho já dormia. Pedi para que acordasse o menino. Ela foi lá e instantes depois voltou com o filho, dizendo que Luís ficou brincando com um outro menino que não conhecia”.

Diante das informações, Daniela começou a procurar o filho na região. “Fui gritando pela vizinhança e nisso o horário foi passando, aí publiquei nas redes sociais a foto dele e por volta de 1h30 (madrugada desta terça) parei de novo na porta dela com aquele aperto no coração”.

Daniela foi à casa da vizinha Cacau, mas desta vez levou moradores que a auxiliavam na busca. Foi uma amiga que notou algo estranho no imóvel. “Ela arrodeou a casa e viu através de um buraco na porta dos fundos que havia alguém embalando alguma coisa. Então, implorei para que Cacau abrisse a porta, mas ela e a mãe não queriam abrir, dizendo que perderam a chave. Quando disse que íamos arrombar, ela abriu”.

Ela e os demais vasculham o imóvel. “Entrei e procurei no guarda-roupas, debaixo da cama. Quando estava indo para o banheiro, o marido de minha amiga viu que debaixo da mesa havia um embrulho. Quando abri, era o meu filho, com um corte na cabeça. Foi horrível”.

Nessa hora, Cacau, o filho e a mãe já estavam do lado de fora. “Eu perguntei porque ela fez aquilo, mas ela só respondeu: ‘Ele não está morto, está desmaiado’ e depois fugiram”.
Daniela levou o filho para a UPA de Valéria, onde o médico constatou o óbito. Ele disse a ela que Luís Fernando teria recebido pauladas e foi vítima de estrangulamento.

A mãe, que mora no bairro há quatro anos, não consegue entender o que levou a vizinha a tamanha crueldade: “Já me perguntei várias vezes e não achei resposta”.

O pai soube da morte do filho em São Paulo, onde está há 15 dias. Desempregado, foi em busca de serviço na construção civil. “Ele está arrasado. Está vindo para o enterro”, contou a mãe. Luiz deve ser enterrado hoje.

Cacau morava na Rua Manoel Quirino há quatro meses. Os moradores disseram que ela era de poucas palavras. “Era muito difícil cumprimentar as pessoas. O que ela fez mexeu muito com a gente, todo mundo aqui adorava a criança. Ninguém sabe ao certo o porquê de tanta perversidade”, disse Ana Cláudia dos Santos, 40, moradora do bairro.

Relembre outros casos

2019 - O corpo de Maria Elaine Sobras Cortes, 10 anos, foi encontrado em um terreno em Alto de Coutos, no Subúrbio Ferroviário. Um vizinho da vítima, que trabalhava como pedreiro na casa da família, foi preso na ocasião. A polícia não explicou o motivo da prisão e disse apenas que estava relacionada à investigação da morte da garota;

2017 - Roberto Luiz do Rosário Lima, morador de Pedrão, perdeu as netas Sofia, de 1 ano e quatro meses, e Luna Morena, de 5. Desaparecidas até hoje, segundo a família, as meninas estavam no mesmo carro em que seus pais e um motorista foram mortos a tiros, na zona rural do município. O inquérito policial das investigações não apontou suspeitos;

2015 – Rafael Pinheiro de Jesus, 29, acusado da morte de Marcos Vinícius Carvalho, 2, encontrado morto em um areal de Itapuã, foi liberado da prisão no mesmo ano do crime. Ele era padrinho da criança, se entregou à polícia, acompanhado por um advogado, e foi preso em flagrante por ocultação de cadáver. Ele alegou que a criança morreu depois de tomar um mingau e que, desesperado, enterrou o corpo. O caso aconteceu em setembro;

2015 - Uma adolescente de 16 anos confessou ter matado Adonay Santos, 9, em Candeias, na RMS. Segundo a polícia, ela disse que viu o menino empinando pipa e pensou em sequestrar o garoto para pedir resgate de R$ 600. Pegou o menino, trancou em casa, mas não chegou a fazer contato com a família para pedir dinheiro. A adolescente decidiu matar o menino ao perceber que a polícia já estava envolvida nas buscas. A adolescente foi encaminhada para o Ministério Público de Candeias, onde ficou internada provisoriamente por 45 dias.

Itens relacionados (por tag)

  • A cada três habitantes de Salvador, um deve dinheiro, aponta Serasa

    Quando a promotora de vendas Isabel Lima*, 38, fez um empréstimo, há três anos, para terminar de construir sua casa, não imaginava que 36 meses depois ainda estaria endividada e devendo quase quatro vezes mais na praça. “Além do empréstimo, acabei perdendo o controle do cartão de crédito e gastando mais do que podia”, diz a baiana. E ela não está sozinha, segundo a Serasa, a Bahia encerrou o primeiro semestre de 2021 com cerca de 4 milhões de pessoas endividadas. É o quarto estado mais devedor do país, que tem 62,5 milhões de inadimplentes, sendo que 1,1 milhão deles vive em Salvador.

    Como a capital tem cerca de 3 milhões de habitantes, significa que a cada três pessoas, uma está devendo na praça. “Sem consegui pagar o cartão, eu acabei me embolando com o empréstimo. Para complicar ainda mais, tive despesas médicas com meus pais e quando vi não tinha mais como pagar as contas. É uma sensação horrível”, acrescenta Isabel.

    A porta-voz da Serasa, Aline Maciel, afirma que a falta de controle com o cartão de crédito ainda é um dos principais problemas que leva consumidores à inadimplência. Ainda segundo ela, o órgão oferece um curso virtual de educação financeira que ensina como equilibrar as contas, e lista alguns erros frequentes dos usuários:

    “Não acompanhar os gastos feitos no cartão, gastar mais do que se pode pagar, e pagar com atraso são erros muito comuns. Outro ponto é emprestar o cartão de crédito, isso acontece bastante. Você precisa refletir que a pessoa que está te pedindo o cartão emprestado talvez ela não tenha a capacidade e a responsabilidade necessárias para ter um cartão de crédito, então, você não deve empestar o seu”, contou.

    A comunicação é outro elemento importante. A orientação é sempre procurar a empresa, explicar a situação e renegociar a dívida antes que juros e multas aumentem o débito. Mas para quem já entrou no vermelho o Serasa Limpa Nome oferece algumas vantagens. Até o dia 22 de agosto, será possível renegociar dívidas por até R$ 100 com descontos que podem chegar a 99%. Tudo de forma virtual, nas plataformas da empresa.

    Na prática, o consumidor consegue verificar os débitos e fechar um acordo sem sair de casa. “Ele vai escolher a melhor proposta, finalizar o acordo e gerar o boleto para pagamento. É importante que ele faça a negociação com parcelas que cabem no bolso, para evitar aumentar a dívida, e que fique atento aos golpes. O mais seguro é gerar os boletos diretamente em nossas plataformas”, afirma a gerente da Serasa.

    Crise
    A Bahia lidera o ranking de devedores da região Nordeste, mas também é o estado com a maior população. O valor médio por inadimplente no estado é de R$ 2.844. Já em Salvador, a média da dívida por pessoa é de R$ 3.906. Ceará aparece em segundo lugar, com 2,38 milhões de negativados, sendo seguido do Maranhão, com 1,87milhão de consumidores no vermelho.

    Muitos são trabalhadores que viram a situação se complicar com a pandemia, quando a renda foi reduzida de repente ao mesmo tempo em que o home office fez aumentar as despesas com luz e internet. A promotora de vendas Ana Alves*, 28 anos, disse que fez um malabarismo para tentar equilibrar as contas, mas que não conseguiu.

    “A gente já vivia com o salário apertado, então, já não tinha muito onde cortar. Quando o salário reduziu, eu sai cortando o máximo que pude, mas como cortar alimentação, luz, água e internet? Tinha muita coisa parcelada porque compramos com base na antiga renda, que mudou com a pandemia. Foi bastante complicado”, disse.

    Ela faz parte do perfil de consumidor negativado mais comum no Brasil. Segundo o Mapa da Inadimplência, lançado em maio, as mulheres representam 50,1% dos devedores, e a faixa etária mais endividada é de 26 a 40 anos (35,8%). As despesas com bancos e cartões de crédito representam quase 30% de todas as dívidas, por isso, o economista Edísio Freire reforça a necessidade de cuidados.

    “A melhoria do endividamento precisa vir acompanhada de boas atitudes do ponto de vista do consumo, ou seja, entender o que pode comprar. Dívida não é ruim, ela é necessária, se você quer comprar um bem de alto valor agregado vai precisar parcelar. Quando essa dívida entra no descontrole é que isso se transforma no endividamento”, diz.

    O especialista aconselha que em casos de financiamento e outros empréstimos o devedor negociei diretamente com o banco ou financeira. “É possível trocar uma dívida mais cara por uma mais barata, conseguir descontos, carência e extensão do prazo, mas é preciso lembrar que toda negociação vai incidir juros, mesmo que a instituição lhe dê alguma concessão”, afirmou.

    Superendividamento
    Em julho entrou em vigor a Lei 14.181/21, conhecida como Lei do Superendividamento, que alterou o Código de Defesa do Consumidor para evitar o endividamento desenfreado dos clientes e coibir abusos por parte das empresas.

    A nova legislação obriga bancos, financiadoras e empresas que vendem a prazo a informar ao consumidor o custo efetivo total, a taxa mensal efetiva de juros e os encargos por atraso, o total de prestações e o direito de antecipar o pagamento da dívida ou parcelamento sem novos encargos. Assédio ao consumidor e propagandas de empréstimos do tipo “sem consulta ao SPC” também foram proibidos, entre outras ações.

    O diretor de relações institucionais da Serasa Experian, Julien Dutra, acredita que a lei aperfeiçoa o mercado de crédito e torna as melhores práticas, que já são seguidas por algumas concedentes de crédito, obrigatórias para todos.

    “Portanto, é uma lei positiva para o mercado de crédito e principalmente para os consumidores, pois segue o caminho de melhoria e mudança na cultura de crédito para algo mais positivo e transparente. A Serasa Experian entende que a Lei pode melhorar a negociação entre credores e devedores sob duas perspectivas”, disse.

    Ele apontou que a legislação torna mais claro para o consumidor os ônus e riscos da negociação e reforça a necessidade de o credor realizar análises mais abrangentes e completas o que ajuda a diminuir o risco de inadimplência. E oferece a consumidores já superendividados novas ferramentas de negociação.

    *As fontes pediram para ter as identidades ocultadas, por isso, foram usados nomes fictícios.

    Confira como renegociar a dívida no Serasa Limpa Nome:

    Passo 01 – Acesse o site do Serasa Lima Nome ou baixe o aplicativo no celular, digite o CPF e faça o cadastro;

    Passo 02 – Verifique as dívidas existentes e as possibilidades de parcelamento. É possóvel negociar pelo WhatsApp (11) 99575-2096;

    Passo 03 – Escolha a melhor forma de pagamento e a data de vencimento;

    Passo 04 – Hora de gerar o boleto e fazer o pagamento on-line, presencialmente em agências bancárias ou lotéricas;

    Como evitar entrar no vermelho:

    Conheça seu orçamento, para saber quanto ganha e no que gasta;
    Depois, identifique o que é prioridade e o que pode esperar;
    Evite comprar por impulso;
    Fuja de linhas de créditos com juros altos;
    Como sair do vermelho:

    Verifique sua capacidade de pagamento para só fazer acordos que pode cumprir;
    Busque negociação com os credores, como descontos e prazo maior para pagamento;
    Tente aumentar a receita com atividades extras, mesmo que fora da sua área;
    Pesquise e se informe mais sobre finanças e endividamento;
    *Dicas do economista Edísio Freire.

  • Gilberto lamenta eliminação, mas exalta atuação: 'Mostramos força'

    O Bahia bem que lutou, mas o triunfo por 2x1 sobre o Atlético-MG, na noite desta quarta-feira (4), no estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana, não foi suficiente para o tricolor seguir vivo na Copa do Brasil.

    Apesar da eliminação nas oitavas de final do torneio, o atacante Gilberto exaltou a atuação do Esquadrão. O time chegou a abrir 2x0 no primeiro tempo, resultado que levava o duelo para os pênaltis, mas levou o gol de Vargas no segundo tempo e viu a vaga ficar com o time mineiro.

    "A gente lutou bastante, esse grupo não se entrega. E a gente não se entregou. Conseguimos tirar a vantagem que eles tinham. Aconteceu o gol deles... Acabamos sem a classificação. Mas estamos de parabéns, mostramos nossa força. Não foi o jogo que queríamos, mas o nosso grupo mostrou que somos fortes", disse o camisa 9.

    Apesar do adeus na Copa do Brasil, o Bahia quebrou o jejum de vitórias e voltou a vencer depois de cinco jogos na temporada. Agora, o time vai mudar o foco para a Série A do Brasileirão. Neste sábado (7), o Esquadrão encara o Cuiabá, às 21h, na Arena Pantanal.

  • Novo lote com 86,6 mil doses de vacinas contra a covid chega à Bahia

    Uma nova remessa com 86.600 doses de Coronavac chegou a Salvador na manhã desta quarta-feira (4). O avião pousou no aeroporto de Salvador às 9h20, segundo a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab).

    A aeronave com a segunda carga de vacinas prevista para chegar hoje deve pousar às 16h50. São mais 165.630 doses da vacina da Pfizer/BionTech. Com isso, no total a Bahia recebe mais 249.230 doses hoje.

    Segundo a Sesab, as doses da Coronavac serão divididas para primeira e segunda aplicação. Já as da Pfizer serão integralmente usadas para a primeira dose.

    As vacinas serão conferidas pela equipe da coordenação de imunização da Secretaria da Saúde do Estado e devem começar a ser enviadas para as regionais de saúde, de onde serão encaminhadas para os municípios nesta quinta-feira. Elas serão remetidas, exclusivamente, aos municípios que aplicaram 85% ou mais das doses anteriores. Esta foi uma decisão da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que é uma instância deliberativa da saúde e reúne representantes dos 417 municípios e o Estado.

    Com as duas remessas desta quarta, a Bahia chegará ao total de 11.582.140 doses de vacinas recebidas, sendo 4.120.500 da Coronavac; 5.586.900 da AstraZeneca/Oxford; 1.619.940 da Pfizer e 254.800 da Janssen.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.