Se a perda de um único filho é uma dor imensurável, imagina sete, e num espaço de 15 dias? Preso acusado de envolvimento na morte de dois PMs em Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, o cigano Rodrigo Silva Matos tinha conhecimento até o dia 20 deste mês que quatro dos seus 10 filhos tinham sido mortos pela polícia. Mas a baixa na família não parou. Anteontem, mais três foram mortos numa outra caçada aos ciganos restantes que estão sendo acusados de participar da execução do tenente Luciano Libarino Neves, 34 anos, e do soldado Robson Brito Matos, 30. Três ainda são procurados pela polícia, sendo dois adolescentes.

Parentes temem que a família seja dizimada. “O pai está inconsolável. A mãe, a mesma coisa. Eles perderam sete filhos e três estão sendo caçados iguais a bicho. Eles [policiais] estão aterrorizando, invadindo casas de pessoas inocentes. A situação está muito difícil. Os que estavam envolvidos nas mortes dos policiais já foram mortos no início. Agora, eles [policiais] querem matar todos os irmãos, que são 10 no total”, declarou uma parente dos ciganos mortos. Por medo de represália, ela abandonou a casa em Vitória da Conquista. 

No dia 13 deste mês, o tenente e o soldado, ambos lotados na 92ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/ Vitória da Conquista / Ronda Rural), foram mortos no distrito de Josué Gonçalves quando foram à paisana apurar denúncias de roubos na região e acabaram sendo identificados e baleados.

O primeiro filho do cigano Rodrigo a ser morto foi Ramon da Silva Matos, baleado no mesmo dia da execução dos PMs no bairro de Lagoa das Flores. Ele teria reagido a tiros. No dia seguinte, mais três vieram a óbito. Morais da Silva Matos, 13, foi baleado dentro de uma farmácia em Vitória da Conquista. Apesar de a circunstância ainda não ter sido esclarecida, a família acusa a polícia. Já na cidade de Itiruçu, Arlan e Dalvan da Silva Matos estavam num CrossFox, de cor preta, e teriam reagido a tiros ao avistarem uma barreira da PM. Foram atingidos.

“Estive com o seu Rodrigo no último dia 20. Ele já estava fragilizado, pois naquele momento, ele só sabia da morte dos três, Arlan, Dalvan e do Ramon. Quando eu falei que Morais também tinha sido morto, os olhos dele encheram de lágrimas, balançou a cabeça e ficou muito triste. Abalado, ele perguntou pelos outros e eu falei que a gente estava tentando achá-los para perguntar o que, de fato, aconteceu naquele dia e ajudar de alguma forma”, contou o cigano Rogério Ribeiro, presidente do Instituto Cigano do Brasil (ICB).

Rodrigo foi preso no dia 14, acusado de ser um dos autores dos disparos que mataram os PMs. Ele contou ao cigano Rogério Ribeiro que estava sendo ameaçado por causa de umas terras que comprou na região. “Um corretor vendeu as terras a ele. Dias depois, apareceu um suposto dono dizendo que Rodrigo teria que sair, em um tom de ameaça, dizendo que: ‘se não saíssem por bem, sairiam por mal’. Então, todos estavam com os ânimos à flor da pele, pois esperavam que viriam pistoleiros ou outras pessoas para matá-los”, relatou Rogério.

Vídeo
Anteontem, o ICB recebeu um vídeo e várias fotos dos corpos de Sólon, Diogo e Bruno Silva Matos, mortos na zona rural do município de Anagé. Na gravação, aparece a voz de um homem e de mais duas pessoas tratando com desdém os corpos dos ciganos no hospital de Anagé. “Eles estavam rindo, comemorando as mortes, aproximavam a câmera e desdenhavam dos corpos. Conseguimos identificar que a voz é de um servidor do hospital. As famílias vendo tudo isso, como ficam? Não é só porque são ciganos. Mas não se deve agir desta forma com ninguém”, declarou Rogério.

O instituto encaminhou o vídeo e um ofício ao presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Hélio Leitão, pedindo providências contra o servidor de Anagé e contra todos que participaram da gravação. Procurada, a OAB disse que ainda não recebeu o ofício.

Um dia após as mortes do tenente e do soldado, Rodrigo estava com Arlan quando foi baleado. “Ele relatou que estava cavando uma cerca lá no terreno junto com Arlan, ajeitando um galinheiro, recebeu um tiro no braço direito e caiu. Quando acordou, estava no hospital da cidade. Alguém levou ele para lá, mas não soube dizer quem”, contou Rogério. No mesmo dia, Arlan acabou morto com o irmão Darlan em Itiruçu.

Proteção
Uma família de ciganos de Vitória da Conquista está sendo acompanhada pela Defensoria Pública do Estado (DPE/BA) após a instituição receber denúncias de perseguição de policias militares à comunidade cigana depois do assassinato dos PMs. Cinco mulheres e sete crianças da família foram para um município vizinho, e a Defensoria busca a inserção delas em um programa de proteção a testemunhas. “A mãe dos meninos, as mulheres dos meninos, os filhos dos meninos que foram mortos correm risco de morte, assim como todos nós. Toda a comunidade cigana está apavorada”, contou uma parente dos ciganos que não vive mais na região de Conquista.

A assessoria da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) foi procurada, mas pediu que a reportagem entrasse em contato com a Polícia Militar, que não retornou até o fechamento desta edição.

Entenda a cronologia dos crimes:

13 de julho – O tenente Luciano Libarino Neves, 34 anos, e o soldado Robson Brito Matos, 30, são mortos durante uma investigação no distrito de Josué Gonçalves, em Vitória da Conquista. Um grupo de ciganos seriam os assassinos.

13 de julho – No mesmo dia do assassinato dos policiais o cigano Ramon da Silva Matos foi morto pela polícia, no bairro de Lagoa das Flores, durante confronto. Ele foi socorrido, mas chegou sem vida ao hospital.

14 de julho – O cigano Rodrigo Silva Matos é preso suspeito de envolvimento na morte dos dois policiais militares. Ele é pai de Ramon e dos outros ciganos que seriam assassinados nos dias seguintes.

14 de julho - Arlan e Dalvan da Silva Matos são assassinados na cidade de Itiruçu em confronto com PMs, após a prisão do pai. No mesmo dia Morais da Silva Matos, 13, morre depois de ser baleado em uma farmácia em Vitória da Conquista. Apesar da circunstância ainda não ter sido esclarecida, a família acusa a polícia.

18 de julho - O empresário Diego Santos Souza, 29 anos, morreu em Conquista. Ele foi encontrado dentro de um carro carbonizado. Testemunhas afirmam que o jovem foi confundido com um cigano, mas a polícia investiga as hipóteses de acidente ou homicídio.

28 de julho - Sólon, Diogo e Bruno Silva Matos são mortos durante confronto com a polícia no município de Anagé. Segundo a PM, eles estavam às margens do rio Gavião e revidaram a abordagem.

Publicado em Polícia

Políticos e figuras públicas se manifestaram prestando condolências a Herzem Gusmão. Prefeito de Vitória da Conquista, Herzem morreu na noite desta quinta-feira (18), vítima de coronavírus. Foram mais de três meses lutando contra a doença desde que foi internado em Conquista até a sua transferência para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde faleceu aos 72 anos. O velório e o enterro do prefeito acontecem nesse sábado (20), em Vitória da Conquista.

O primeiro a ir a público foi o secretário de saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas. Recém recuperado do coronavírus, Vilas-Boas chegou a ficar internado em UTI e teve 95% do seu pulmão comprometido pela mesma doença que tirou a vida de Herzem.

Em sua conta do Twitter, o secretário escreveu prestou seus sentimentos ao povo de Vitória da Conquista e à família do Prefeito.

Prefeito de Salvador, Bruno Reis afirmou que Herzem Gusmão era "uma das grandes figuras públicas da nossa Bahia. É realmente uma grande perda porque ele era um líder que trazia esperança à população de Vitória da Conquista. Que Deus conforte a família e os amigos nesse momento de extrema dor".

Presidente nacional dos Democratas, ACM Neto escreveu que "infelizmente, a Covid segue interrompendo milhares de histórias em nosso país. Dessa vez, foi um grande amigo e parceiro político, o prefeito Herzem Gusmão. Tenho certeza que ele vai deixar muita saudade nas pessoas que, como eu, tiveram o privilégio de sua convivência". O ex-prefeito de Salvador publicou uma foto junto a Herzem Gusmão e prestou solidariedade aos familiares, amigos e à população de Vitória da Conquista.

Presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, Geraldo Júnior lamentou o falecimento de Herzem, a quem chamou de seu amigo pessoal. "Lamentamos por essa precoce perda e que Deus nos ajude a superar esse difícil momento. Nosso abraço sentido na família, amigos e nos conquistenses", escreveu.

Secretário da saúde em Salvador, Leo Prates afirmou que Gusmão deixou um legado de alguém que sempre defendeu os interesses de sua terra, seja atuando no rádio ou na política.

Presidente estadual do Democratas, Paulo Azi emitiu comunicado à imprensa declarando uma imensa tristeza, principalmente levando em consideração o agravamento da pandemia no Brasil como um todo.

"Herzem deixa um legado de muito trabalho e dedicação por Conquista, mesmo antes de ser prefeito. Muito querido e carismático, sempre era muito firme em seus posicionamentos e ao defender seus ideais. É uma grande perda para sua querida Conquista, mas também para a Bahia. Meus sentimentos à família e aos amigos. Que Deus dê a ele o descanso eterno e conforte o coração de todos neste momento de dor", afirmou Azi.

Governador da Bahia, Rui Costa também foi a público lamentar o falecimento de Herzem. "Recebo com muita tristeza a notícia do falecimento de Herzem Gusmão, prefeito de Vitória da Conquista, uma das grandes cidades do nosso Estado. Na política, atuamos em campos opostos, mas procurando sempre cumprir a nossa missão", escrevou o Governador antes de prestar solidariedade a amigos e familiares do prefeito de Conquista.

A Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (Alba) decretou luto oficial. Presidente da Casa, Adolfo Menezes afirmou que eles foram companheiros de Legislativo entre 2015 e 2018. Menezes definiu Herzem como um pessoa obstinada, com um grande senso de responsabilidade pela coisa pública, além de desejar que a agora prefeita de Vitória da Conquista, Sheila Lemos, honre o legado deixado por seu antecessor.

Publicado em Política

Foram pouco mais de três meses de luta contra o coronavírus, mas o prefeito de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão, não resistiu às complicações geradas pela doença e faleceu nesta quinta-feira (18). Com 72 anos, Herzem foi diagnosticado com Covid-19 em 7 de dezembro. Pouco mais de uma semana depois, foi internado no Hospital Samur, em Conquista, com complicações pulmonares causadas pela doença, e posteriormente transferido para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

O prefeito de Conquista tinha apresentado melhora no quadro clínico durante a última semana, chegando inclusive a deixar o leito de Terapia Intensiva. No sábado (6), ele retornou. As notícias depois disso foram de sucessivas pioras no quadro clínico. Na ocasião, Herzem afirmou em um áudio que a "equipe médica achou por bem que eu voltasse pra UTI. Eu estou ainda necessitando de mais oxigênio. Então, eu voltei para usar o cateter de alto fluxo”.

"É com mais profundo pesar que informamos o falecimento do Prefeito de Vitória da Conquista, Sr. Herzem Gusmão, ocorrido na noite desta quinta (18), por volta das 21h, no Hospital Sírio Libanês", escreveu a assessoria do Prefeito em publicação no Instagram. O velório e o enterro do prefeito acontecem nesse sábado, em Vitória da Conquista.

Por conta da doença, Herzem Gusmão não conseguiu estar à frente de Conquista em nenhum dia do seu segundo mandato na maior cidade do sudoeste baiano e terceiro maior colégio eleitoral do Estado. A Eleição em 2020 foi acirradíssima, com o Mdebista virando o pleito para cima de Zé Raimundo (PT) nas últimas semanas de campanha.

Nascido no dia 2 de junho de 1948, Herzem Gusmão iniciou a carreira trabalhando em uma rádio, aos 20 anos. O prefeito reeleito em Conquista é formado em Direito e pós-graduado em Comunicação e Jornalismo pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Em 2014, foi eleito deputado estadual suplente. Um ano depois, assumiu o mandato onde ficou por 15 meses.

A saída da Assembleia Legislativa foi para assumir o cargo de Prefeito em sua cidade Natal em 2016, quando venceu o próprio Zé Raimundo, também no segundo turno, com 57,68% dos votos válidos em Conquista na ocasião, o equivalente a 166.223 votos.

Já em 2020, Herzem foi eleito com 54% dos votos, sendo escolhido por 97.364 conquistenses. Mas quem tomou posse no dia 1º de janeiro de 2021 foi a sua vice, Sheila Lemos (DEM), que seguirá no cargo pelos próximos três anos. O discurso de Sheila na posse foi breve, pedindo orações pela vida do prefeito. Uma semana depois, no dia 8 de janeiro, Herzem tomou posse virtual, ainda na UTI.

O projeto de tecnologia para geração de empregos foi o lema da campanha vitoriosa nas últimas eleições. Herzem e Sheila prometeram um foco em planejamento, desburocratização e melhoria no ambiente de negócios, que deve continuar. Já para incentivar atividades industriais, a administração preometeu investir em planos de tecnologia e inovação - a exemplo do Parque Tecnológico da Cidade.

Publicado em Política

Herzem Gusmão, prefeito de Vitória da Conquista, sofreu uma piora em seu estado de saúde nesta terça-feira (16). Segundo a assessoria de imprensa do gestor, a maioria das funções vitais dele está comprometida e o quadro, no momento, é instável e muito grave.

"Na manhã desta terça-feira (16), o prefeito Herzem Gusmão apresentou piora do quadro clínico e maior comprometimento das funções vitais. Apesar de todas as medidas adotadas pela equipe médica para conter o avanço das complicações, no momento, o quadro é instável e muito grave. A familía agradece e reforça o pedido de orações pela vida de Herzem. Deus abençõe a todos", diz o comunicado.

Com 72 anos, Herzem foi diagnosticado com Covid-19 em 7 de dezembro. Pouco mais de uma semana depois, foi internado no Hospital Samur, em Conquista, com complicações pulmonares causadas pela doença, e posteriormente transferido para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Foi de lá que ele foi empossado para o novo mandato, no dia 8 de janeiro, em cerimônia online, no leito de hospital. Atualmente, a cidade é comandada pela vice-prefeita Sheila Lemos (DEM).

Publicado em Política

O prefeito de Vitória da Conquista (BA), Herzem Gusmão, apresentou evolução desfavorável em seu estado clínico, tendo que ser intubado na manhã desta sexta-feira (12). Ele está internado na UTI da Hospital Sírio Libanês, em São Paulo (SP), em decorrência das complicações por conta da covid-19.

Os filhos de Herzem seguem em viagem a São Paulo na tarde de hoje para acompanhar o tratamento do pai que, no momento, está na companhia da primeira dama Luci Freire Gusmão.

Com 72 anos, Herzem foi diagnosticado com Covid-19 em 7 de dezembro. Pouco mais de uma semana depois, foi internado no Hospital Samur, em Conquista, com complicações pulmonares causadas pela doença, e posteriormente transferido para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Foi de lá que ele foi empossado para o novo mandato, no dia 8 de janeiro, em cerimônia online, no leito de hospital. Atualmente, a cidade é comandada pela vice-prefeita Sheila Lemos (DEM).

Publicado em Política

Um servidor público foi encontrado morto em uma cela da delegacia de Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia, depois de ter sido preso suspeito de furtar 8,6 mil seringas e outros materiais hospitalares do Núcleo Regional de Saúde do município. O caso aconteceu na quarta-feira (20).

A suspeita da polícia é de que o homem tenha cometido suicídio.

O caso começou quando a direção do Núcleo Regional de Saúde começou a desconfiar do sumiço de materiais hospitalares, como luvas descartáveis, seringas e caixas de isopor. Os responsáveis pela unidade acionaram à polícia, que começou a acompanhar a rotina do Núcleo e passou a suspeitar do servidor, que não teve a identidade divulgada.

Os policiais passaram a seguir o suspeito, foram à casa dele e, ao chegar no imóvel, encontrou o material escondido. De acordo com as investigações, a esposa do funcionário sabia dos furtos.

Os dois foram levados para prestar depoimento no Distrito Integrado De Segurança Pública (Disep) e, enquanto a ocorrência estava sendo registrada, e os policiais eram ouvidos, o suspeito aguardava em uma cela.

Quando o investigador e o advogado de defesa foram buscar o servidor, encontraram ele morto na cela. A delegacia de Vitória da Conquista está investigando o caso.

Publicado em Polícia

Uma rede supermercados é alvo de uma operação em Vitória da Conquista, nesta terça-feira (8). A ação investiga a sonegação de mais de R$ 4 milhões em ICMS. Denominada ‘Operação Reforma’, a ação já cumpriu nessa manhã quatro mandados de busca e apreensão expedidos pela 1ª Vara Criminal.

Segundo informações do Minsitério Público, a operação é para coletar provas que atestem a evasão fiscal, com a declaração de débitos de ICMS decorrentes de operações comerciais, mas sistematicamente não os recolher ao fisco estadual.

“Este tipo de atuação sem recolhimento de impostos representa concorrência desleal e perda de arrecadação do Estado, com o consequente prejuízo na prestação de serviços públicos, sendo passível de caracterizar crime contra a ordem tributária, conforme decidido no último ano pelo Supremo Tribunal Federal”, destacou o promotor de Justiça Hugo Casciano de Sant´Anna, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal e aos Crimes Contra a Ordem Tributária, Econômica, as Relações de Consumo e a Economia Popular (Gaesf).

A força-tarefa é constituída pelo Ministério Público estadual, por meio Gaesf, a Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), e a Polícia Civil do Estado da Bahia.

A ação determinou o sequestro de ativos da empresa e de seus sócios, incluindo imóveis, veículos e contas bancárias, para assegurar a restituição dos valores devidos aos cofres públicos.

A investigação também apura fraudes na escrituração e a realização de operações com mercadorias tributadas sem a emissão de documentos fiscais. Além disso, a força-tarefa levantou indícios da prática de lavagem de capitais, uma vez que os proprietários da empresa expandiram seus negócios durante o período em que não recolheram os tributos devidos ao fisco, inclusive com a abertura de uma nova unidade comercial.

A empresa já vinha sendo monitorada pelos órgãos fazendários desde o ano de 2014 e os seus sócios já respondem a uma ação penal na Justiça local por outras práticas de sonegação de impostos. Participaram da operação três promotores de Justiça, três delegados de polícia, seis servidores da Sefaz e nove investigadores da Polícia Civil.

A ‘Operação Reforma’ é uma das ações da força-tarefa de combate aos crimes tributários que são planejadas pelos integrantes do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira). O comitê é formado por integrantes do MP, Sefaz, Secretaria Estadual de Administração (Saeb), Tribunal de Justiça (TJ), Secretaria de Segurança Pública (SSP) e Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Publicado em Polícia

Apenas duas das 417 cidades da Bahia escolheram seus prefeitos em segundo turno. Em ambas deu reeleição. Na segunda maior cidade do estado, Feira de Santana, Colbert Martins (MDB) venceu Zé Neto (PT) com 54,42% dos votos válidos. Já em Vitória da Conquista, terceiro maior município baiano, Herzem Gusmão (MDB) recebeu 54% dos votos válidos vencendo o oponente Zé Raimundo (PT).

Os dois prefeitos reeleitos também ganharam de virada. Os emedebistas finalizaram o primeiro turno atrás dos oponentes petistas, mas conseguiram mudar o cenário e se reeleger. As margens eram apertadas na primeira etapa das eleições, em Feira de Santana, a diferença foi de 3,37 pontos percentuais, com Zé Neto com 41,55% dos votos válidos e Colbert com 38,18%. A distância foi menor ainda em Vitória da Conquista. Apenas 1,74 ponto percentual separaram Zé Raimundo, que recebeu 47,63% dos votos válidos, de Herzem, com 45,89%.

Mesmo com a reeleição, nem tudo deve permanecer igual. Colbert Martins já anunciou uma reforma administrativa na prefeitura de Feira de Santana, o que deve mudar as secretarias da cidade e até a equipe. Em Conquista, o planejamento de Herzem Gusmão também é implantar uma reforma administrativa na prefeitura, um desejo que data do 1º mandato.

Confira as entrevistas com os prefeitos reeleitos:

Colbert Martins (MDB) - prefeito eleito de Feira de Santana e atual gestor da cidade

Com a reeleição, quais serão as prioridades do seu próximo mandato em Feira de Santana?

A prioridade número 1 será e continua sendo o combate à covid-19. Trabalho para que as pessoas tenham testagem maior e precocemente para identificação dos casos e também para garantir que todos os doentes possam ser isolados ou internados. Temos feito uma intervenção muito forte para recuperar o centro de Feira.

Quais são os maiores desafios que você deve enfrentar nos próximos quatro anos?

Um dos desafios é aguardar a vacina, pois Feira tem o nível mais baixo em termos de óbitos na Bahia, para uma cidade de grande porte. O vírus tem um impacto forte na economia de todo o mundo. Outro desafio é trabalhar para manter o equilíbrio econômico e fiscal com o pagamento integral dos salários em dia. Neste ano, já pagamos o 13º; investimos recursos para não ter nenhum tipo de atraso.

Apesar da reeleição, você pretende fazer alguma mudança na estrutura da sua gestão?

Pretendo fazer uma reforma administrativa para readequar a gestão à nova realidade. Criaremos a Secretaria da Mulher, um espaço ocupado por mulheres. Atualmente, as secretarias englobam temas que não são afins. Temos pastas muito amplas que precisam ser redimensionadas.

Há algo que você queira fazer diferente no próximo mandato?
Pretendemos inovar com o uso de internet para as pessoas não precisarem ir até a prefeitura, vamos distribuir medicamentos diretamente, investir na telemedicina. Vamos criar as prefeituras-bairro e prefeitura-distrito no modelo que existe em Salvador para descentralizar as ações de manutenção.

Herzem Gusmão - prefeito eleito de Vitória da Conquista e atual gestor da cidade

Com a reeleição, quais serão as prioridades do seu próximo mandato em Vitória da Conquista?
Nossas prioridades são continuar trabalhando em prol da educação, saúde e planejando e organizando a cidade com seus planos. Vamos continuar trabalhando para erradicar a escola que não ensina. Com o projeto Educar pra Valer, com a Fundação Lemann, conseguirmos elevar o IDEB de Conquista, inclusive, pagamos 14º para os profissionais da educação que atuam nas unidades de ensino que atingiram a meta. Também vamos expandir a atenção básica. Já aderimos ao programa Saúde na Hora, do Governo Federal, e vamos continuar implantando novas unidades do programa. A meta ainda é zerar a fila para procedimentos de pequeno porte em 2021. Trabalhamos com base em planos para um crescimento ordenado.

Apesar da reeleição, você pretende fazer alguma mudança na estrutura da sua gestão?
A reforma administrativa está pronta e será encaminhada para a Câmara logo nos primeiros meses do próximo mandato. O texto vai fazer mudanças leves [na administração] acabando com as improvisações. A reforma é necessária para modernizar a máquina da administração e é pilotada pela Fundação Dom Cabral, que é uma das melhores da América Latina. Não tivemos como fazer isso no primeiro mandato, mas a reforma está pronta e pode sofrer apenas pequenos ajustes pois é muito atual.

Quais são os maiores desafios que você deve enfrentar nos próximos quatro anos?
Existem vários desafios, entre eles o de continuar a organizar a cidade, acabar com a escola que não ensina, avançar com a atenção básica. Temos muita fé em Deus e na equipe que nós temos, que fez um trabalho extraordinário em 4 anos.

Há algo que você queira fazer diferente no próximo mandato?
A reforma administrativa está pronta e será encaminhada para a Câmara logo nos primeiros meses do próximo mandato. O texto, que é muito atual, vai fazer mudanças leves na administração, acabando com as improvisações. A reforma é necessária para modernizar a máquina da administração e é pilotada pela Fundação Dom Cabral, uma das melhores da América Latina. Não tivemos como fazer isso no primeiro mandato. Vamos seguir no mesmo caminho, estamos fazendo tudo de forma planejada. Imaginamos governar 8 anos, não quatro. A cidade estava tão desorganizada que ficamos quase 2 anos organizando a casa.

Publicado em Política

Segunda vitória na prefeitura de Vitória da Conquista, contra o mesmo adversário. Parece que um raio cai, sim, no mesmo lugar. Herzem Gusmão (MDB) foi reeleito como gestor conquistense com 54% dos votos válidos.

É o segundo triunfo consecutivo diante do adversário petista, Zé Raimundo, que ficou com 46%. Desta vez, o pleito foi mais apertado para o prefeito. Em 2016, Gusmão venceu nos dois turnos. Este ano, a virada aconteceu apenas no segundo turno. Zé Raimundo obteve uma votação melhor no dia 15 de novembro, com 47%, contra 45% do atual vencedor.

A reeleição é a consolidação do crescimento de Herzem Gusmão como figura pública de Conquista. Antes destas duas eleições vitoriosas, o político chegou a disputar as eleições municipais de 2008 e 2012, sem sucesso. Perdeu, nas duas oportunidades, para o também petista Guilherme Menezes.

O crescimento no segundo turno se deu graças as alianças conquistadas. Ele recebeu o apoio do candidato derrotado no primeiro turno, Cabo Herling (PSL). ACM Neto (DEM), atual prefeito de Salvador, também se aliou à campanha, assim como o candidato eleito na capital, Bruno Reis (DEM).

“Com as bênçãos e os votos de vocês, Vitória da Conquista continuará crescendo! Muito obrigado a cada um de vocês, pela campanha limpa, pelo apoio, pelas orações. Vamos seguir retribuindo com o nosso trabalho”, escreveu o prefeito reeleito em uma rede social.

Em seguida, do seu comitê, falou pela primeira vez após a segunda vitória nas urnas. E de virada. “A cidade julgou o nosso trabalho iniciado em 2017, foi a aprovação da nossa gestão. Irma [Lemos], que indicou a filha como vice, preparou Sheila [Lemos] para esse momento e estou muito feliz. Eu sei que Sheila vai ajudar muito”, disse Herzem.

Filho de Conquista, Herzem Gusmão nasceu no dia 2 de junho de 1948. É formado em jornalismo e direito, mas ganhou destaque na cidade como radialista. Chegou a ser deputado estadual suplente, em 2015. “Daremos continuidade no que pensamos e planejamos para o segundo mandato. Portanto, muito obrigado a todos da cidade que acreditaram, votaram, e também à zona rural. Faremos um governo para todos, até porque nem todos poderiam ter votado em mim e em Sheila. Vamos firmes para transformar essa nossa cidade”, completou.

 

Publicado em Política


Com obras em ritmo acelerado, 128 novos leitos dedicados ao atendimento de pacientes politraumatizados, sobretudo vítimas de acidentes automobilísticos serão entregues na região de Vitória da Conquista. Os leitos estão distribuídos em duas unidades e o secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, inspecionou nesta sexta-feira (30), as obras do Centro de Traumatologia, que funcionará no espaço do antigo Hospital Afrânio Peixoto, e do Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC).

Serão aplicados mais de R$ 17 milhões apenas em obras, sendo R$ 2,5 milhões fruto de emendas dos deputados estaduais Zé Raimundo e Fabrício Falcão, bem como do deputado federal Waldenor Pereira. “No HGVC, os 48 leitos atenderão as demandas de urgência e emergência, enquanto os 80 leitos do Centro de Traumatologia serão dedicados a procedimentos eletivos e ao segundo tempo das cirurgias ortopédicas de alta complexidade, inclusive com a colocação de prótese”, afirma Vilas-Boas, ao pontuar que cerca de 40% das internações hospitalares na Bahia são decorrentes de acidentes de trânsito.

Ainda no HGVC, está em fase final a implantação de salas de fisioterapia, terapia ocupacional, nutrição, serviço social, psicologia e residência médica, além de uma nova área administrativa. Também será ampliada a oferta do serviço de oncologia na unidade.

Descentralização dos serviços de saúde

Mais de R$ 60 milhões já foram investidos pelo Governo do Estado no município de Vitória da Conquista, somente na área da saúde, dotando a região de um dos maiores complexos assistenciais de saúde da Bahia. Integram o complexo o Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) tipo III, uma policlínica regional, um centro de diagnóstico por imagem e uma Unidade de Alta Complexidade em Oncologia.

De acordo com Fábio Vilas-Boas, a medida faz parte do processo de descentralização dos serviços de saúde conduzido pelo Governo do Estado “O governador Rui Costa segue determinado a ampliar e descentralizar os serviços de média e alta complexidade, permitindo assim que a população de Conquista e região não precise se deslocar para a capital”, ressalta o secretário.

Publicado em Saúde
Pagina 1 de 2