Nova função do WhatsApp permite envio de mensagens temporárias que somem em 7 dias

Nova função do WhatsApp permite envio de mensagens temporárias que somem em 7 dias

Imagine enviar uma mensagem com data de validade? Nesta quinta-feira (5), o WhatsApp anunciou que em breve irá lançar o recurso de "mensagem temporária", a nova ferramenta irá possibilitar o envio de textos já pré-determinados para sumirem após sete dias. De acordo com a plataforma, o objetivo da atualização é otimizar espaço no smartphone do usuário. O recurso deve ficar disponível no Brasil ainda neste mês de novembro, através de atualização.

“Como queremos que as conversas no WhatsApp sejam similares às conversas que temos pessoalmente, desenvolvemos uma maneira prática para apagar automaticamente as mensagens que não precisam ser guardadas para sempre”, explica comunicado.

Para utilizar a nova função, basta ativá-la nas configurações do aplicativo. A partir desta ativação, todas as mensagens envidas terão caráter temporário e desaparecerão após sete dias. Mensagens recebidas ou enviadas antes disso não serão afetadas. A nova função poderá ser utilizada em conversas individuais ou em grupos, no entanto, neste último, a ferramenta deverá ser acionada somente pelos administradores.

Em relação a fotos, vídeos e outros tipos de mídia, eles também poderão ser excluídos da conversa após sete dias, mas devem continuar armazenados no dispositivo do usuário caso o download automático esteja ativado.

Veja alguns pontos importantes sobre a atualização no FAQ do WhatsApp:
Mensagens temporárias desaparecerão mesmo que um usuário não abra o WhatsApp durante sete dias. Contudo, pode ser que a pré-visualização da mensagem seja exibida nas notificações até que o WhatsApp seja aberto.

Ao responder diretamente a uma mensagem, ela será exibida acima da sua resposta. Se você responder a uma mensagem temporária, o texto dessa mensagem poderá ser exibido mesmo depois de sete dias.

Se uma mensagem temporária é encaminhada para uma conversa onde as mensagens temporárias estão desativadas, essa mensagem não desaparecerá da conversa para onde foi encaminhada.

Se um usuário fizer backup antes de uma mensagem desaparecer, essa mensagem temporária será incluída ao backup. Contudo, a mensagem temporária será apagada quando o usuário restaurar o backup.

 

Itens relacionados (por tag)

  • Facebook planeja mudar de nome na próxima semana, diz portal

    O Facebook está preparando uma grande mudança que inclui uma mudança de nome, informou reportagem do portal The Verge, especializado em tecnologia. A expectativa é que na semana que vem o CEO Mark Zuckerberg anuncie o novo nome da companhia, durante o evento Connect.

    De acordo com uma fonte, o novo nome da empresa deve ser apresentado no dia 28 de outubro. A rede social homônima não deve sofrer alteração de nome por enquanto.

    A mudança pode ter ligação com uma mudança de rumos do Facebook, que agora quer investir no metaverso - um ambiente virtual coletivo. O metaverso lembra a realidade virtual, mas segundo especialistas vai além, porque permitiria que o usuário entrasse em um universo virtual mais amplo, conectado a todo tipo de ambiente digital.

    Outro fator por trás da mudança podem ser as polêmicas envolvendo o Facebook. Uma ex-gerente de produto da empresa prestou depoimento no Senado dos EUA afirmando que a companhia não protege seus usuários em nome do lucro. A ideia seria ter um novo começo, longe dos escândalos recorrentes.

    Não se sabe que outras alterações a estrutura da empresa pode ter. O Facebook não comentou o assunto.

    A estratégia de mudança de nome não é nova. Em 2015, o Google passou por uma reorganização em que a Alphabet passou a ser o nome do conglomerado, que hoje inclui também Android, Youtube, Calico, Waymo, Google X, Deep Mind e outras empresas.

  • Em um mês, startups baianas receberam investimentos de pelo menos R$ 79,1 milhões

    O setor de inovação de Salvador não para de crescer e se fortalecer. Só no mês de setembro, seis startups baianas receberam investimentos de, pelo menos, R$ 79,6 milhões. A informação é da Associação Baiana de Startups (Abastartups). Apenas duas fintechs baianas, as empresas que utilizam tecnologia para atuar no mercado financeiro, tiveram um investimento de R$ 70 milhões no total. R$ 40 milhões para a ZigPay e R$ 30 milhões para a BomConsórcio.

    Fundada em 2017, a primeira se denomina como a mais inovadora plataforma de gestão de consumo e pagamento para casas noturnas, bares, restaurantes e eventos. Já a segunda é especializada no mercado de cotas de consórcio.

    Os outros investimentos são de R$ 4,5 milhões na escola de tecnologia baiana Cubos Academy, empresa que oferece educação na área da tecnologia; R$ 1,9 milhões na erural, especializado no comércio eletrônico da área da pecuária; R$ 1,5 milhões na QRPoint, desenvolvedora de soluções para RH; e R$ 1,2 milhões para a Infleet, que criou um hub integrador de gestão de frotas do Brasil.

    Para Donjorge Almeida, diretor de Comunidades da Associação Baiana de Startups (Abastartups), esses números mostram o crescimento do setor. “Ao longo do ano, aconteceram outros investimentos em outras empresas. É fato que as startups baianas estão se consolidando cada vez mais no mercado nacional e até internacional”, diz.

    Salvador é lider em startups no Norte-Nordeste
    Atualmente, Salvador está na oitava colocação na lista das cidades com mais startups, sendo a primeira de todo Norte-Nordeste. “Nós conseguimos ter maturidade nas startups baianas e isso é muito importante. Elas estão faturando, tendo investimento e Salvador continua na frente, como referência”, argumenta Donjorge.

    Esse cenário pode ser mais fortalecido graças a Prefeitura de Salvador, que pretende mapear e desenvolver o ecossistema de inovação e empreendedorismo na cidade. O primeiro passo já foi dado na manhã desta segunda-feira (27), quando o prefeito Bruno Reis (DEM) assinou um convênio de cooperação técnica com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

    A iniciativa terá investimento de R$ 300 mil, sendo metade da Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (Semit) e o resto do Sebrae. Segundo a prefeitura, ambas instituições coordenarão o mapeamento, a ser executado pela Fundação Certi em, aproximadamente, sete meses. “Iremos mapear e apoiar as startups com projeção local e nacional. Nosso desejo é produzir soluções. Queremos uma cidade inteligente e inovadora e não há outro caminho que não seja o investimento nesse setor, que pode gerar milhares de empregos”, diz Bruno Reis.

    No levantamento, a prefeitura não vai apenas contar quantas startups têm na cidade, mas criar uma base para tomar medidas mais assertivas para criação de novas políticas públicas e para impulsionar as empresas de tecnologia. A iniciativa também permitirá conhecer quais matrizes econômicas do ecossistema soteropolitano de startups estão mais fortes, assim como aquelas que necessitem de mais apoio para crescimento.

    “Eles vão usar toda uma metodologia para fazer uma radiografia clara do ecossistema de inovação e a gente precisa disso. Hoje, Salvador tem muitas startups de educação, mas será que esse é realmente o nosso forte? Alguns dizem que é a economia criativa, a indústria do entretenimento, mas a gente não sabe. Só com essa metodologia específica que vamos poder responder qual é a nossa força”, explica Donjorge.

    Ele também apontou como pode ser prejudicial para o setor a ausência dos dados. “No Brasil, em geral, a pandemia favoreceu o surgimento de muitas startups voltadas para saúde, educação e financeiro. A gente não sabe como foi isso em Salvador. Não temos números disso”, reclama.

  • Instagram anuncia fim do ‘arrasta para cima’ nos stories

    A função 'arrasta para cima' nos stories do Instagram deve acabar nos próximos dias. A rede social anunciou que pretende acabar com a função a partir do dia 30 de agosto. O recurso permite que as pessoas visitem páginas externas deslizando a tela para cima. No entanto, ainda será possível sair dos stories para páginas externas. A função 'arrasta pra cima' será substituída por adesivos de link.

    O Instagram diz que com a mudança pretende “agilizar a experiência de criação de histórias” e oferecer mais “controle criativo”, já que os usuários poderão formatar os adesivos de link.

    Desde junho, a plataforma passou a testar esses adesivos para vários usuários, e não apenas para pessoas que já tinham o "direito" do 'arrasta para cima'. Para ter a função, os usuários devem ser verificados ou ter pelo menos 10 mil seguidores.

    Segundo o Instagram, durante os testes, foi possível perceber que os adesivos combinam mais com a forma como as pessoas usam a plataforma. Além da diferença de gestos, a principal diferença entre os dois recursos é que os espectadores podem responder às histórias que têm um adesivo de link, mas não podem responder às histórias deslizantes.

    Por enquanto, só as pessoas que já tinham a opção de deslizar para cima poderão usar o adesivo, o uso do adesivo pelos demais usuários está “ainda em avaliação” pela empresa.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.