No Dia Mundial da Água, confira dicas de consumo racional do recurso

No Dia Mundial da Água, confira dicas de consumo racional do recurso

Todos os anos, o mundo debate sobre a importância da água para a sobrevivência humana. A data foi criada em 1992 pela Organização das Nações Unidas (ONU) com objetivo de ampliar a discussão sobre o recurso natural, essencial para vida em nosso planeta, além de incentivar seu consumo consciente e chamar a atenção para os perigos de escassez, já que apenas 2,5% da água disponível na superfície da Terra pode ser utilizada para consumo humano.

Em janeiro, a UNESCO realizou a Conferência Internacional sobre Água, Megacidades e Mudança Global. O órgão acredita que a diversidade de conhecimento e de recursos técnicos e financeiros existentes nas megacidades (presentes em todos os continentes, exceto na Oceania) seriam uma oportunidade para criar soluções inovadoras e garantir o acesso à água e ao saneamento para todas as populações.

O encontro reuniu os atores do setor para construir soluções aos desafios relacionados à água que as megacidades enfrentam, especialmente com as mudanças climáticas e a pandemia. Clique aqui para saber mais.

Áreas urbanas
Atualmente, a proporção da população urbana em algumas regiões já ultrapassa 70% e a projeção é que o crescimento populacional nas próximas décadas seja maior nesses locais, particularmente nas regiões com mais de 10 milhões de habitantes. A UNESCO estima que, até 2030, mais de 1 bilhão de pessoas devem viver em aproximadamente 100 grandes cidades e 60% da população mundial viverá em áreas urbanas, por isso é fundamental praticar o consumo consciente da água.

Como evitar o desperdício
O consumo humano diário varia muito se considerarmos o local onde se vive, o clima, os hábitos, vazamentos, uso de máquinas que precisam de água, modelo de descargas, a forma como abrimos e fechamos as torneiras em casa. Tudo isso influencia o valor da fatura mensal.

Dicas de consumo racional:
1 - Confira se a válvula do vaso sanitário está regulada. Considere trocar por caixa acoplada com botão duplo (urina e fezes). Benefício: Vasos sanitários com caixa acoplada utilizam 6 litros de água/descarga, em vez dos mais de 20 litros das válvulas de parede.

2- Prefira chuveiro comum à ducha e feche a torneira ao se ensaboar.
•Banho de 15 minutos de ducha com registro totalmente aberto = 243 litros de água
•Banho de 15 minutos de ducha com registro meio aberto = 153 litros de água
•Banho de 15 minutos de chuveiro comum com registro aberto = 51 litros de água

Benefício: Em um banho de 5 minutos, fechando a torneira ao se ensaboar, o volume consumido reduz-se em média 3 vezes em relação às situações anteriores

3 - Ao escovar os dentes, enxague a boca com a água do copo. Benefício: Economia de 3 litros de água.

4 - Feche a torneira ao se barbear, escovar os dentes ou lavar a louça. Cada 5 minutos com a torneira aberta gasta em torno de 25 litros.

5- Antes de lavar a louça, remova os restos de comida de todas as peças e deixe-as de molho. Ensaboe tudo, mantendo a torneira fechada, e enxague de uma vez.

Benefício: Você economiza em torno de 243 litros de água que seriam gastos com a torneira meio aberta por 15 minutos.

6- Acumule roupa para lavar de vez, seja na mão ou na máquina. Benefício: A economia varia de acordo com a quantidade de roupa ou da máquina utilizada, mas lavar o máximo de roupa vai economizar litros de água

7- Reaproveite a água do enxague da máquina de lavar para ser usada na faxina e para lavar o carro. Benefícios: Mais litros a menos na sua conta

8 - Evite o uso de mangueira. Para molhar as plantas, prefira o regador. Se tiver um jardim grande, opte pela mangueira com esguicho-revólver. Para lavar o carro, use balde e panos e, para fazer faxina, balde e vassoura.

9 - Cubra sua piscina quando não estiver em uso. Uma piscina de tamanho médio exposta ao sol e ao vento, perde 3.785 litros de água/mês, por evaporação. Com a cobertura, a perda reduz-se em 90%.

Itens relacionados (por tag)

  • 'Mona Lisa', obra de da Vinci, sofre ataque de visitante no Louvre

    Um dos quadros mais famosos do mundo, a Mona Lisa, de Leonardo da Vinci, sofreu um ataque de um visitante. Segundo informações do jornal El País, o homem teria jogado algo como uma torta na icônica obra, que fica exposta no Museu do Louvre, em Paris.

    De acordo com visitantes que estavam no local no momento do ato, a polícia autuou e expulsou rapidamente o autor do ataque. O jornal revelou ainda que a obra não sofreu danos, pois a Mona Lisa fica protegida por vidros.

    Os funcionários do Louvre fizeram a limpeza do local de forma rápida, o que foi registrado em vários vídeos pelo público presente.

  • Rússia é suspensa do Conselho de Direitos Humanos da ONU

    A Assembleia Geral das Nações Unidas suspendeu a Rússia do Conselho de Direitos Humanos nesta quinta-feira (7). A proposta foi aprovada com 93 votos a favor, 24 contra e 58 abstenções - entre elas, a do Brasil.

    A medida foi apresentada pelos Estados Unidos, diante das hostilidades na Ucrânia por forças russas, em especial na cidade de Bucha. Países como Brasil e África do Sul afirmaram que iriam se abster da votação por desejarem mais informações e investigação para tomar a decisão. A China, que tem buscado adotar um tom neutro durante sessões das Nações Unidas, informou que votaria contra, exigindo que "qualquer acusação seja feita com base em fatos".

    O embaixador chinês Zhang Jun disse, na sessão, que é necessário "evitar acusações sem fundamentos" e reforçou que diálogo e negociação são a única solução para a crise ucraniana. O representante da China reiterou que as imagens de destruição vistas em Bucha devem ser verificadas.

  • Papa pede que pais não condenem filhos por orientação sexual

    O Papa Francisco pediu nesta quarta-feira, 26, que os pais não condenem os filhos por causa de orientação sexual, mas sim ofereçam apoio a eles. O pontífice fez o comentário em audiência semanal no Vaticano, referindo-se às dificuldades dos pais na criação dos filhos.

    "Essas questões incluíam pais que veem diferentes orientações sexuais em seus filhos e como lidar com isso, como acompanhar seus filhos e não se esconder atrás de uma atitude de condenação", afirmou Francisco, que, em outros momentos, já havia dito que os homossexuais têm o direito de serem aceitos por suas famílias como filhos e irmãos. Também tem defendido que os casais homossexuais tenham proteções legais, mas no que diz respeito à esfera civil, não dentro da Igreja Católica. Embora não possa aceitar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a instituição pode apoiar leis de união civil destinadas a dar a eles direitos conjuntos nas áreas de pensões e saúde e questões de herança.

    Acolhimento
    Para Francisco Borba Ribeiro Neto, coordenador do Núcleo Fé e Cultura da PUC-SP, o cenário sinaliza acolhimento, até diante da necessidade de se evitar preconceitos, mas ao mesmo tempo não indica mudança na doutrina da Igreja. "O cristão tem o dever de amar todas as pessoas e denunciar todo ato que não leva à realização humana de cada um", diz. No caso da homossexualidade, ressalta Borba, "uma série de preconceitos sociais, que não têm nada de cristãos, confundiram essa fórmula simples". "O que deveria ser uma denúncia de comportamentos que não realizavam plenamente o ser humano se tornou atos discriminatórios e de desamor para com pessoas concretas, que normalmente precisavam até mais do apoio dos cristãos que as demais. Francisco está empenhado em corrigir essa compreensão equivocada da prática dos valores cristãos", afirma.

    "As normas vindas de diferentes instâncias da Igreja Católica podem parecer confusas, mas o espírito geral é sempre o mesmo: deve-se fazer o máximo para acolher o homossexual, mas deixar claro que não se considera o ato homossexual construtor da realização plena da pessoa", conclui o sociólogo.

    Em 15 de março de 2021, o Vaticano decidiu que a Igreja Católica não pode abençoar a união entre pessoas do mesmo sexo porque Deus "não pode abençoar o pecado". No entanto, segundo o decreto, homossexuais podem ser aceitos e podem receber bênçãos na Igreja Católica. (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS).

    As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.