Quarta-feira, 21 de Outubro 2020
7:48:59am
Prazo para recadastramento do cartão SUS é prorrogado mais uma vez em Salvador

Prazo para recadastramento do cartão SUS é prorrogado mais uma vez em Salvador

O prazo para realização do recadastramento do cartão SUS foi prorrogado mais uma vez em Salvador. Agora, os beneficiários que ainda não fizeram a atualização cadastral terão até 31 de outubro para efetuar o procedimento.

O recadastramento pode ser feito por meio do site criado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) ou de forma presencial em uma das 152 unidades básicas da rede municipal, com o agente comunitário de saúde.

Os moradores da capital baiana deverão informar o RG ou certidão de nascimento, CPF ou cartão SUS e o comprovante de residência em nome do usuário ou de algum parente de primeiro grau.

É possível também que uma pessoa da família realize o cadastro dos demais moradores, caso apresente toda documentação. A validação do cadastro será realizada após acesso à unidade de saúde. A medida segue determinação do governo federal, que instituiu um novo modelo de financiamento para a Atenção Primária, sendo o cadastramento a principal estratégia de transferência de recursos da União para as prefeituras.

Segundo a SMS, até o momento, mais de 1,7 milhão de moradores da capital já realizaram o recadastramento obrigatório do cartão do SUS. A Secretaria ainda alerta que toda a população deve ser cadastrada, até mesmo as pessoas que possuem plano de saúde e aqueles usuários que não utilizam com frequência as unidades municipais. As pessoas que já possuem cadastro realizado pelo agente comunitário não precisam realizar novamente.

Itens relacionados (por tag)

  • Salvador bate recorde e tem maior árvore de Natal de garrafas pet do país

    Foram 22 mil garrafas pet, 21 metros de altura e um recorde batido. A árvore de natal que, em 2019 enfeitou a Praça Municipal no Centro Histórico, superou recordes nacionais e é, agora, a maior árvore de Natal feita com o material reciclado no país. O troféu que simboliza a marca, registrada pelo RankBrasil, foi entregue nesta segunda-feira (19) ao prefeito ACM Neto e ao então presidente da Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb), Marcos Passos, responsável pelo projeto.

    Desde a sua concepção até a montagem e instalação, foram necessários quatro meses, com a participação de cerca de 30 pessoas. Profissionais da Limpurb realizaram os trabalhos de produção da obra, que teve assinatura do artista plástico Gilson Cardoso. “Foi muito trabalho e esforço. Nunca tinha feito uma árvore deste tamanho. Fico feliz com essa conquista, saber que a gente conseguiu passar a mensagem, que as pessoas vejam que é possível reutilizar aquilo que se joga fora”, lembra o artista que se diz honrado com o prêmio. Nos anos anteriores, o recorde pertencia à cidade de Barra Velha, em Santa Catarina, que havia feito árvores do material com 15,2 e 16,4 metros de altura, respectivamente, em 2017 e 2018.

    Para o atual secretário municipal de ordem pública - que comandava a Limpurb em 2019 - Marcos Passos, o reconhecimento é um marco. “É um marco para a prefeitura que desde o início dessa gestão vem desempenhando ações de conscientização da população quanto a preservação do meio ambiente e a educação ambiental. Fazer essa árvore foi justamente para reafirmar o nosso compromisso com a educação ambiental. Uma forma de conscientizar a população de que esses materiais servem sim para fazer arte, como foi a árvore, ao invés de estar indo para aterros sanitários”, acredita.

    Para o Natal desse ano, ainda está sendo analisada a possibilidade de, talvez, repetir o feito e fazer uma árvore ainda maior. “Ano passado fizemos, além de uma campanha interna para arrecadar as garrafas, parcerias com dois grandes eventos que aconteceram na cidade e que foi possível entrar no final para recolher. Esse ano, estamos planejando fazer uma árvore em um conceito parecido, estamos tentando inclusive aumentar, mas a própria pandemia acabou impedindo esse grandes eventos, o consumo desses materiais diminuiu um pouco, então estamos com dificuldade no recolhimento do material e por isso ainda não batemos martelo para a árvore”, explica Passos.

    Além de garrafas pet, a árvore gigante foi construída com arame, lacre, tela de proteção e tinta esmalte sintético vermelho, dourado e verde para colorir os enfeites. Após a desmontagem, todas as garrafas foram doadas para cooperativas de reciclagem.

    Outros adereços
    Mesmo sem a certeza sobre a árvore gigante, a ornamentação com materiais reciclados já está sendo pensada para o Natal deste ano, Entre as novidades, uma decoração será montada na Praça Ana Lúcia Magalhães, no bairro da Pituba, com vários outros adereços além da já simbólica árvore (essa em tamanho menor).

    “Na praça teremos ornamentação com renas, trenó, árvore, anjos, tudo a partir de materiais recicláveis e de aproveitamento. Vai ser mais uma oportunidade de mostrar diversas maneiras de fazer um trabalho de reaproveitamento e passar a mesma mensagem”, conta o Gilson, novamente a frente do projeto.

    Para a decoração da Ana Lúcia, além de garrafas pet, serão utilizados materiais como restos de isopor, de madeira, papel e tonéis. “Unir a arte ao meio ambiente é o meu grande sonho que tá sendo realizado de novo, mostrar as pessoas que é possível fazer muito com material reciclado, reaproveitado”, completa o artista.

    Linha do tempo do recorde

    2017 - Barra Velha/SC - 15,2m - 19 mil garrafas
    2018 - Barra Velha/SC - 16,4m - 30 mil garrafas
    2019 - Salvador/BA - 21m - 22 mil garrafas

  • PF da início a nova fase da Lava Jato em Salvador, Fortaleza e São Paulo

    Uma nova fase da operação Lava Jato começou nesta sexta-feira (16) em Fortaleza, São Paulo e Salvador. Batizada de "Marquetagem", a ação cumpre nas cidades citadas 17 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Eleitoral da capital cearense. A investigação é de crimes relacionados a suposto caixa 2 de R$ 25 milhões delatado por executivos da J&F, de Wesley e Joesley Batista.

    A investigação teve início em 2018, com colaboração premiada de executivos do grupo. A ação de hoje busca levantar mais provas em relação a suspeita de condutas ilícitas de políticos e empresários envolvidos na liberação de créditos tributários do Programa de Incentivo às Atividades Portuárias e Industriais do Ceará (Proapi). O crédito seria liberado em troca de propina.

    Os pagamentos, totalizando R$ 25 milhões, teriam ocorrido por meio da simulação da prestação de serviços publicitários e do uso de notas fiscais frias, bem como através de doações oficiais para campanhas eleitorais nos anos de 2010 e 2014. Entre os alvos das medidas estão empresas de propaganda e marketing que teriam sido usadas para recebimento das propinas, segundo informações de Fausto Macedo, do Estadão.

    Os investigados poderão responder pelos crimes de falsidade ideológica eleitoral, corrupção, lavagem de dinheiro e integrar organização criminosa.

    “A operação foi batizada de Marquetagem, em alusão ao significado do termo que define o uso da publicidade distantes dos valores éticos”, afirmou a PF em nota.

  • Justiça determina que ferry-boat cumpra medidas de segurança contra coronavírus

    Uma determinação da Justiça determina que o sistema ferry-boat adote medidas sanitárias obrigatórias em um prazo de 10 dias. Após ser notificada, a Internacional Travessias terá que promover mudanças nas embarcações.

    Após esse prazo, todos os ferries deverão contar com demarcação do distanciamento, disponibilização de álcool em gel e uso de equipamentos de proteção individual por parte dos colaboradores.

    A decisão judicial estabelece ainda que a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba) ficará responsável pela fiscalização das normas a serem cumpridas.

    Caso a Internacional Travessias não cumpra a ordem judicial e a Agerba não fiscalize, ambas ficam sujeitas a multa diária de R$ 50 mil, com o limite de R$ 300 mil.

    Até o momento, tanto a Internacional Travessias quanto a Agerba informaram que ainda não foram notificadas pela Justiça.

    O assunto foi remetido à Justiça pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), que ofereceu uma denúncia sobre as aglomerações nas embarcações. O órgão disse que durante quatro meses enviou vários ofícios para saber quais medidas de biossegurança estavam sendo implementadas e não obteve retorno.

    A Internacional Travessias informou que estava cumprindo as normas determinadas, inclusive na redução no número de passageiros em casa embarcação. Já a Agerba disse que faz relatório semanais sobre a atuação da Internacional Travessias na execução das medidas de biossegurança.

    Ainda no documento, há a informação de que a Agerba fez várias notificações contra a empresa. No começo deste mês, a Internacional Travessias já recebeu 555 autos de infração de 2014, quando assumiu o transporte, até 2020.

     

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.